a culpa é das estrelas amizade colorida

A fórmula é a mesma, o filme é igual?

10.9.14Adriana Araujo


Oi, gente! Estou de férias da faculdade (Deus é mais) e tenho assistido bastante filmes esses dias. Quem vê muitos filmes, já reparou que eles tendem a seguir uma espécie de fórmula, ou seja, um mesmo formato, que guia as histórias de um mesmo gênero, mais ou menos como o roteiro acima. O que muda é a forma como a coisa é abordada, mas o fio condutor “a+b=c” está ali. O interessante é que, apesar do formato igual, o resultado é diferente. Alguns se saem bem, outros nem tanto. A seguir, alguns filmes que seguem essa lógica. Aviso: o post contém spoilers de todos os filmes.

Formato "Amigos com benefícios"*: Sexo sem Compromisso e Amizade Colorida 
*Pesquisando sobre os filmes descobri que Friends with Benefits (amigos com benefícios) é o título original do filme Amizade Colorida, em inglês.
A premissa básica da história é: dois amigos, um homem e uma mulher, que resolvem por razões parecidas (pés na bunda recentes, medo de se machucar etc.) fazer sexo, mas sem se comprometer. Eles não podem se apaixonar um pelo outro. Obviamente, isso dá certo por um tempo até que eles se apaixonam. E resolvem parar com a amizade e com os benefícios. E depois de descobrirem que não podem viver um sem o outro se tornam um casal lindo, feliz e apaixonado (e que faz sexo!).

Nem eles acreditam que isso vá dar certo
Desses dois, o meu favorito disparado é "Amizade Colorida" cujos personagens principais são vividos por Mila Kunis e Justin Timberlake. Ele está se mudando para Nova York onde irá trabalhar com ela. Ambos terminaram relacionamentos recentemente e por isso não querem se envolver (mas querem fazer sexo -q). A forma como a história se desenrola nesse filme é mais plausível, na minha opinião, pois mostra toda a aproximação deles, com ela mostrando a cidade e tal, e o momento em que eles fazem o acordo. O modo como eles vão se apaixonando também é mais fofinho e crível. No final você se pega torcendo por eles (mesmo sabendo que eles vão ficar juntos). 

Em "Sexo sem Compromisso" a relação dos dois não foi muito convincente pra mim. Não torci por eles, e achei a relação crua. Apesar de terem se encontrado algumas vezes ao longo da vida, eles nunca chegaram a ficar amigos, fazendo ficar forçada essa coisa de “nos conhecemos da vida inteira”, porque eles nunca foram de fato próximos. Uma coisa que me influenciou muito foi ver a Natalie Portman nesse filme. Estou acostumada com ela em dramas intensos como "Cisne Negro" e vê-la num papel mais bobinho, me causou estranhamento. Já o Ashton Kutcher está a mesma coisa de sempre, já que esse tipo de filme é meio que a especialidade dele. Enfim, impliquei. -q

Essa foto tá depondo contra minha opinião, já que o casal do filme que menos curti tá bem mais fofo nela -q

Formato "Adolescente com câncer que vai morrer em breve e antes vive uma grande paixão": "Agora e Sempre", "A culpa é das Estrelas" "Uma prova de Amor" Bônus: "Pronta para Amar"
O roteiro é basicamente: uma adolescente com câncer (sempre uma menina), conhece um menino (em alguns, ele também tem a doença) vive um grande amor, o primeiro no caso, já que também é premissa básica perder a virgindade com o camarada em questão -q, e depois morre.

Desses citados o meu favorito (que é um dos favoritos da vida) é "Uma prova de Amor", que tem toda uma história familiar envolvida e um final (antes do final óbvio) surpreendente, levado pela trama, que é muito inteligente. O romance é só mais um dos dramas envolvidos na história de Kate (Sofia Vassilieva), o que faz com que com o filme seja tão melhor que os demais, pois apesar de ter um ponto em comum, vai muito além. Se eu tivesse que indicar um desses três seria esse, sem dúvida. No aclamado "A culpa é das Estrelas" a única diferença é que o menino morre e ela termina o filme viva (fugindo um pouquinho da fórmula). E em "Agora e Sempre", o menino é saudável, o resto é tudo igual. Nem tenho muito o que descrever em termos de diferenças entre os filmes, pois eles são realmente muito parecidos.


Mesmo tendo aquele fio condutor em comum, com a coisa do câncer e do amor antes de morrer, "Pronta para Amar" é diferente porque acontece com uma mulher na casa dos 30 anos, bem sucedida, divertida e cheia de amigos, que não acredita muito no "e foram felizes para sempre", até se apaixonar pelo médico com que está se tratando. Esse é o meu segundo favorito nessa listinha, pois a troca de alguns elementos deu uma renovada bem positiva. Seria mais do mesmo, mas como foi contado de forma diferente, se tornou mais legal.

*Outras fórmulas:
*Alguns dos elementos abaixo são mesclados com outros, fazendo com que, às vezes, a fórmula não seja "pura".
  • O casal fica junto, se separa, mas depois volta e são felizes para sempre. ("O diário de uma paixão", "Juntos pelo acaso" , "Um lugar chamado Notting Hill")
  • O cara fica com a mulher por alguma aposta imbecil com amigos, mas se apaixona por ela,  que descobre e termina, porém eles voltam a ficar juntos. ("Dez coisas que eu odeio em você", "Como perder um homem em dez dias")
  • Um dos dois é comprometido, mas se separa pra ficar com o outro. ("Cartas para Julieta", "SOS Mulheres ao mar", "Casa comigo?")
  •  Eles fingem que são um casal por alguma razão, mas se apaixonam de verdade. ("Esposa de mentirinha", "A proposta")


-Adriana Araujo

TAGS: , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

11 comentários

  1. Esse post <3
    Não vi quase nenhum dos filmes do formato do câncer porque sinceramente é muito Nicholas Sparks pra mim hahahahahah aliás, esse homem usa a mesma fórmula pra todo livro. Porém o do John Green me agradou (não "omg melhor livro melhor filme" mas é legal) porque ele sabia que tava lidando com o clichê emocionalmente apelativo e parece que quis dar uma mexida.
    Mas vou começar a mostrar isso pra todo mundo que vier me dizer que X é igual a Y porque tem ~semelhanças na sinopse~. Isso e o THG x Divergent que eu fiz. Se a história fosse só o plot, Kill Bill e Revenge seriam a mesma coisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Se a história fosse só o plot, Kill Bill e Revenge seriam a mesma coisa." <3 <3
      Adorei a frase Jessy e seu texto de THG x Divergent é muito bom!

      Excluir
    2. Você leu? Obrigada!! <3
      (inclusive quem me inspirou a escrever foi um amigo que desprezava Divergent porque leu a sinopse, achou cópia, e agora reclama de mesmice cada vez que eu leio uma distopia hahahahahah tudo a ver com o post aqui)

      Excluir
    3. A regra é seguir uma mesma fórmula não significa que os filmes/livros/arte serão iguais. Pelo o que eu entendi, de acordo com o seu comentário, há exceções para a regra:
      1) Caso o autor/roteirista/blabla seja o mesmo (?)*
      Fiquei com dúvida quanto ao seu comentário :/ AUSHAUSHAUSHA

      Excluir
    4. Exceções: 1) caso o autor seja Nicholas Sparks. HAHAHAHAHAHAH

      Excluir
    5. Não, brincando. hahahahaha
      Eu não falei que eram obras iguais, mas sim que ele usava a mesma fórmula em tudo que fazia. E eu não curto essa fórmula. Porém curti o do John Green, que se encaixa um pouco nela.

      Excluir
  2. Não vi Amizade Colorida, mas assisti a Sexo sem Compromisso, só que acho esse tema meio batido demais, previsível. Já Pronta Para Amar é um filme lindo, gostei demais, ainda mais porque adoro os atores protagonistas.

    Beijoss, Livro Lab

    ResponderExcluir
  3. fiquei esperando no limite do amanhã aparecer no post. PROPAGANDA ENGANOSA

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *