arte CCBB

Surrealismo com Salvador Dalí

25.8.14Isabelle Fernandes


No início desse mês finalmente fui visitar a exposição do Salvador Dalí, no Centro Cultural do Banco do Brasil aqui no Rio. Mesmo para alguém totalmente leiga no quesito artes plásticas como eu, a experiência foi ótima. Ao longo da exposição, eu fui totalmente conquistada pela estilo do Dalí, pelas emoções e reflexões que ele consegue passar com as suas pinceladas e então tive a ideia de escrever esse post. Então, vamos lá? 

Para ser sincera, eu não conhecia absolutamente nada sobre o homem. Sabia apenas que ele era o cara que pintou o quadro dos relógios derretidos, coisa que eu achava bem louca e interessante. Então cheguei na exposição nua e crua. Em cada sala há as pinturas e algumas matérias antigas sobre ele, em outras há também esboços e documentários sendo exibidos. Como sou meio impaciente, nem parei para ver essas coisas (não me julguem, mas as telas são mais instigantes q) e me concentrei apenas naquilo que me chamou atenção e me tocou de alguma forma. 
*As fotos a seguir foram tiradas por mim na exposição, então a qualidade está péssima.
"A memória da mulher-menina", 1932

Na primeira e segunda salas, não houve nada que me chamasse muita atenção, até que entrei na terceira e BOOM. Dou de cara com o quadro ao lado. O que mais me impressionou nele foi a junção de trocentas coisas (a monalisa, várias mãos, um corpo nu, rostos do que me pareceu ser as irmãs cinzentas). Então a bizarrice do quadro foi se tornando um tanto assustadora pra mim HFUGHFUIGHFIGHD definitivamente eu não gostaria de ter esse quadro em casa. Foi aqui que ouvi a guia de uma turma do ensino médio chamando a atenção para o fato de que há formigas em várias obras dele. Não deu pra pegar esse detalhe nas fotos, então sugiro que vocês saiam à procura, é bem interessante.

Esta sala foi a que teve mais quadros que me conquistaram. A maioria deles me passavam um vazio, uma solidão. Quase todos retratavam uma terrá árida e pessoas aleatórias. O detalhe mais incrível é que em várias pinturas aparece a figura de uma menina pulando corda, o que a guia disse ser uma representação da sobrinha do Dalí. Achei fofo, mas meio assustador também PORQUE A MENINA É ASSUSTADORA. Ou pelo menos na hora me pareceu.

"Figura e drapeado em uma paisagem", 1935
Quando eu vi essa pintura, senti duas coisas: receio e admiração. Gosto como ele passa a impressão de sermos pequenos diante do céu, das nuvens e da imensidão da terra. O receio veio desse lençol aí. O que tem por trás dele? O que essa pessoa está fazendo ali e quem é ela? A impressão que tenho é que ela não tem rosto. E a árvore me parece morta, não sei. Tem um ar bem misterioso, quase místico e eu adorei (apesar de também não desejar ter esse quadro na minha casa. sou facilmente impressionável). 

>> Passadas duas semanas desde minha ida à exposição, decidi que gostaria sim de ter esse quadro. Ele agora só me deixa intrigada e me faz cócegas na minha criatividade para histórias. <<




O quadro abaixo (que tive que pegar a imagem da internet, pois a foto estava terrível) mostra bem o que eu disse sobre vastidão e isolamento. Eu amei a forma das nuvens, e a cor delas. Como se fosse uma tempestade de areia no deserto. E essa pessoa no centro, sozinha, que pra mim é uma garota. Senti como ela se fosse um retrato de mim nos meus momentos de desalento, mas pelo menos essa paisagem que ela vê é bonita, apesar de vazia. A que eu vejo não. Eu poderia passar dias olhando pra esse quadro e <33

"Sugar Sphinx", 1933


Mais um da minha série de favoritos. Vejam como a maioria das pessoas parecem estar evanescendo e outras estão completamente transparentes, enquanto apenas umas três parecem sólidas, uma delas o anjo lá atrás. Ele está dançando com alguém? Inclusive isso me passa um clima de festa. As pessoas se mostram felizes, meio que sendo arrebatadas. O texto ao lado do quadro explicou que essa ponte seria uma metáfora para a passagem para o outro lado da vida e tudo mais. Então pelo jeito essas pessoas estão felizes por terem morrido.



"A ponte quebrada e o sonho", 1945

A melhor coisa de ter ido nessa exposição é que fiquei absolutamente encantada com o trabalho do Dalí. Sim, ele era meio pirado e egocêntrico, tem um quê de assustador nas suas pinturas, mas é um assustador admirável pra mim. Ele consegue me passar sensações e isso é a mais pura arte. Agora tenho mais vontade de entender sobre arte, e saber mais sobre ele e outros pintores, o que é algo muito legal. Experimentem procurar sabe mais sobre as obras dele também, e se você mora no Rio::: VISITE!!! A exposição irá até o dia 22 de setembro :)
- isabelle fernandes

TAGS: , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

1 comentários

  1. Oiee te convido para conhecer meu blog!
    Se gostar deixa um coment ;)
    Amo as obras do Salvador .. :)
    Beijinhus.... www.selectionsinger.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *