Amy Raudenfeld Burnt Toast

Análise da incrível finale péssima de Faking It

10.6.14Dana Martins


Já que esse é o mês do John Green, então coloquei essa imagem com fundo verde!!! Mentira HUAHUAH 

Vou começar esse post com uma citação do John Green, "Meus pensamentos são estrelas que eu não consigo arrumar em constelações." Ontem eu tive um surto e escrevi tudo o que eu pensava sobre a finale de Faking It, imaginando que eu seria capaz de fazer um post legal para hoje, mas já são 20 da noite 21 da noite e eu to quase surtando porque eu não consigo organizar as ideias de forma melhor (ou seja, escrever um texto mais direto e curto para vocês). Então eu decidi postar tudo isso de uma vez, porque eu acho legal dividir essa análise com as pessoas que vão assistir a série e começar a ter ataques por causa do que aconteceu - ou aqueles que ainda não se recuperaram.

O final de Faking It não é feliz, mas é incrível. E aqui está por quê:

Acho que a gente se apega demais aos personagens, ou está acostumado demais com esses finais felizes, que às vezes esquece da história em si. Em primeiro lugar, eles estão contando uma história. Essa primeira temporada é sobre o que acontece quando duas amigas decidem fingir ser o que não são. Por que elas fazem isso? O que isso causa na relação delas? Como cada um lida com as consequências?

Caso alguém não tenha percebido que eu vou falar da série inteira aqui, inclusive do último episódio.

É engraçado que desde o início as críticas foram justamente sobre isso, "olha, uma série teen sobre fingir ser o que não é", como se isso fosse só um recurso da trama para atrair o público. Que se dane se o próprio título da história seja Faking It, não deve ser uma história para analisar o que acontece quando você finge!!!! Bem, se restava alguma dúvida, esse  final é uma dose cruel de autoconsciência.

Imagem das vítimas do Furacão Karma

Adoro essa cena no final com a Amy e o Liam se encontrando. Olha como eles estão acabados! E por que? Porque fingir não é nada legal. 

Agora forças intergaláticas estão exigindo a minha presença em outra lugar. Então aqui está a minha análise completa, sem cortes e com erros. Porque se tem algo que Faking It me mostrou, é que existe algo além de sentar e planejar a vida de personagens. Se você quer que eles sejam reais, você precisa colocar os pés no chão e pensar neles como pessoas. O que significa que nós somos um caos de coisas acontecendo que vão nos levar a certas ações nem tão perfeitas - e que nós precisamos aprender que não é tão ruim assim.

EVOLUÇÃO DOS PERSONAGENS E TEMPORADA

Faking It é uma série sobre duas amigas fingindo que estão namorando para serem populares - e as consequências disso. O primeiro episódio é uma introdução da série no geral solenemente dedicado a explicar como essas duas garotas acabaram enroladas nessa mentira.

Karma Ashcroft. A partir disso, nós vemos as consequências. Karma se transforma em uma máquina de mentiras para manter sua popularidade - o que ela acredita que é o seu ingresso para todas as experiências incríveis da adolescência, tipo transar com o garoto mais gostoso da escola. Nós vemos até onde ela está disposta a ir para conseguir o que ela quer. Spoiler: é bem longe. Desde se amarrar na porta da escola até espalhar para a escola que Amy é viciada em sexo!!! 

Karma pensando nas merdas que fez. HUHUAHUAH tá, parei com as piadas. 

Amy Raudenfeld. Já Amy... enfrenta um problema maior ainda. Ela descobre que gosta de Karma e entra em uma montanha-russa. Antes mesmo de aceitar seus sentiementos, acaba tendo que assumir para a mãe conservadora que é lésbica. Depois tenta fugir: tenta com um garoto, tenta com garotas e finalmente aceita que precisa encarar. Até aí já foi metade da série e sua amizade com Karma está ruindo. Então ela decide agir e se prepara para conquistar Karma na threesome, só para ser abandonada junto com Liam e se ver mais uma vez envolvida em uma das mentiras de Karma. Dessa vez, porém, ela se recusa a entrar no jogo e força a amiga a falar a verdade (ou parte dela) para toda a escola. Amy vai até o limite e finalmente diz para Karma, que diz não retribuir os sentimentos e aproveita para dizer que está fazendo sexo com Liam há um tempo escondida. BOOM. 

Estou aqui só para ser linda enquanto meu coração é despedaçado. Não se preocupem.

Karmy (porque claro que é um personagem independente). O que nós vemos, com as duas personagens, é que elas começam a se separar. É engraçado que a Karma mente para todo mundo (até para os pais) menos para a Amy, que mesmo não sabendo mentir é a única que não é sincera com a Karma. Ou pelo menos até o último episódio, que Karma esconde sua relação com o Liam. Acho que é a prova final da separação das duas. (o que nos leva a refletir, também, se ela não começou a perceber que havia algo diferente com a Amy depois do beijo em Three to Tango... a série é totalmente ambígua nesse sentido, acho que eles intencionalmente não quiseram confirmar nem negar Karmy)

Essa é a única cena Karmy de verdade, mas que destrói totalmente a amizade delas. Ah, vida

Mas as mentiras de Karma não envolvem apenas a Amy, envolve também o Liam.

Liam Booker. O cara bonitão pegador que tem a fantasia sexual "de todo hétero" de fazer sexo com uma lésbica, mas que nós vamos descobrindo que não é só isso. Ele tem uma família muito rica (coitado, vamos chamar o serviço de proteção às crianças), que é obcecada com a imagem e faz coisas muito ruins que ninguém sabe, mas que fazem o personagem acreditar que está no seu DNA destruir a vida dos outros. O caso dele nem é dos mais complicados, só acho importante lembrar que existe um problema de insegurança aqui. Ele tem medo de ser igual ao pai, tenta negar tudo o que é da sua família e ao mesmo tempo tenta ser um cara legal. Ser o pegador tem algo a ver com isso, pelo menos às vezes. Repara no episódio Remember The Croquembouche como ele tenta correr para o sexo para fugir de todos os seus sentimentos por Karma. Liam não sabe resolver os problemas, então tenta fazer sexo (ou arte).

desculpa, mas as pessoas realmente não perdem tempo fazendo gif dele
Acho que isso é importante porque a Karma totalmente brinca com ele. Ela quer sinceramente ficar com ele e tal, mas usa as mentiras para conseguir isso. Liam não é só enganado - ele é traído. É a primeira vez que ele gosta de alguém de verdade. Acho que um dos momentos mais importantes é em Burnt Toast dos dois embaixo da mesa quando ele usa o dedinho para uma promessa de que só vão falar verdades dali pra frente - e a Karma confirma sem contar a verdade. 

Então por que o final péssimo de Faking It é incrível?

Porque é o momento que isso tudo converge para uma conclusão. E não é uma conclusão bonita. 

Moço, não era tu que reclamava das garotas indo atrás?
Liam finalmente descobre que Karma estava mentindo esse tempo todo e que nem seu melhor amigo, Shane, esteve falando a verdade. Pra o personagem isso é devastador, porque na única vez que ele se abre e tem a esperança de algo diferente, ele descobre que Karma era exatamente como tudo o que ele temia: igual a sua família. (mesmo que ela não seja realmente) O que o leva, bem, a encher a cara e fugir para o sexo. com a Amy. O que é bem destrutivo e nem um pouco um final feliz. Se teve alguma mudança pra o personagem? Acho que ele era um idiota pegador, agora ele é um idiota pegador com o coração quebrado. Uma garota finalmente acabou com o grande Liam Booker. 


A Karma... se tem alguma coisa que ela aprendeu é que não é nada bom mentir. Até o episódio Three to Tango ela não tem realmente noção do que está fazendo. O Liam em conflito de um lado, a Amy sofrendo do outro. Ela aproveitando a fama, criando mais mentiras e até se sentindo no direito de ficar indignada com o Liam por supostamente mentir no protesto. Depois do threesome ela percebe que tem alguma coisa errada. Acho que esse é um dos momentos mais tensos pra ela, porque é um plano falso bem exagerado que acaba virando realidade. Ela nem esperava que fosse possível - segundo seus planos, a Amy daria o fora, seria tudo lindo com o Liam Booker (que na imaginação da Karma, provavelmente diria "tudo bem, era só você que eu queria"). Tanto que a menina entra em choque quando vê a merda que deu. De um lado, ela finalmente percebe as consequências disso em sua amiga (wtf ela tá fazendo aqui toda sexy me beijando desse jeito, e beijando o Liam...). Do outro, seu lado inseguro pensa que Liam está ali só por causa de sexo com lésbicas e ela não quer a sua primeira vez tão falsa. Análise legal em inglês da Karma.

Nos últimos dois episódios, Karma é o Titanic que não sabe que já bateu no iceberg.



Então essa é a história de uma garota que achava que precisava ser mais do que ela mesma para ser amada, passou com um trator de mentiras por cima do sentimento de todo mundo e se ferrou feio. É um final péssimo, porque não é um final feliz. O final feliz seria ela com o príncipe encantado, a melhor amiga e dançando feliz na festa. Algo estilo Harry Potter com os 3 olhando de cima do castelo e resumindo as lições da aventura. Nada disso, ela terminou sozinha, chorando e sendo traída.

Agora a Amy (e Karmy). Eu gosto da história dela porque é uma busca por independência, uma jornada de autoconhecimento e uma história de amor - tudo ao mesmo tempo. Isso sem escapar do final triste. A minha maior tristeza em relação ao final é que parecia muito injusto. Se a Karma terminasse de qualquer jeito que não chorando sozinha, teria sido injusto. Eu não sei por que eu não pensei que essa seria uma opção de final, talvez porque eu estou tão acostumada a finais felizes que nem passou pela minha cabeça. (curiosamente, eu esperava um final triste para a Amy o tempo inteiro) 

Foco, Dana. ESTAMOS FALANDO DA AMY. 
Desculpa, cérebro. Vamos falar da Amy...

Então eu olhei as últimas cenas da finale de Faking It e fico pensando em como o Liam e a Amy são como os restos da Karma, duas vítimas de toda essa farsa que ela inventou. Os dois estão destruídos e... bom, é legal que eles pelo menos estejam juntos. Mesmo que seja em um ato destrutivo. A Karma teve a primeira vez naquela caixa de arte toda bonitinha, e a Amy estava bêbada com o coração quebrado com um cara que ela nem gosta tanto assim. Tudo isso porque ela foi idiota e seguiu os planos da Karma!

Acho que aí está a parte da Amy. Desde o primeiro episódio, ela é o saco de pancada da Karma e da família dela e de todo mundo. Lembro no segundo episódio (Homecoming Out) ela tendo que MUDAR DE QUARTO por causa dessa invenção da Karma, enquanto a outra estava lá sendo parabenizada pelos pais. Então temos o momento ótimo no fim desse episódio, que ela fica puta com as merdas que a mãe fala e se "assume." Ao longo da temporada a gente vê como ela aguenta calada muita coisa, até tocar na ferida e ela reagir com uma voadora (e normalmente é a Karma que está ali para diminuir os danos). 

Eu ia sofrendo junto com a Amy enquanto assistia, achando que era porque a Karma não daria atenção, até que no Three To Tango toma pela primeira vez totalmente sozinha o controle da situação e decide lutar pela Karma. Senhoras e senhores, isso foi poder. E eu percebi que sofria mais porque ela não tomava o controle da própria vida. No episódio seguinte, Faking Up Is Hard to Do, tudo fica uma droga porque a Karma retoma o controle (pra fazer merda), mas até que não é um abismo tão grande. A Amy percebe o que está acontecendo e luta contra - na entrevista com a Vashti Nadira (adoro o nome dela, por favor mais Vashti Nadira), ela se nega a entrar no jogo. Depois ela briga com a Karma falando que elas precisam terminar de verdade. Só que a Karma decide fazer a declaração, e Amy cai pelo mesmo motivo que Karma cai logo em seguida: a esperança. 

Sinceramente, quando a Karma fez aquele discurso foi lindo e tudo mais, mas quando não teve beijo... EU VI QUE A COISA TAVA TENSA. A Karma, como sempre com a Amy, foi sincera e disse que não queria mais fingir que estavam namorando (por que agora você está incomodada com isso, Karma? alguma coisa mudou depois de um certo beijo?). E em vez de falar a verdade, Amy aceita as migalhas de Karma em nome da amizade.

Então, honesta como é, a Karma vai lá ser sincera com o Liam Booker, descobre que com ele ainda tem chance e aí boom. 

Esse é um momento meio definitivo porque eu acho que todo mundo sabe que a Karma não vai contar isso para a Amy, mesmo ela nunca tendo mentido para a amiga. E mais do que isso: ela está perdendo a virgindade, o que ela quer desde o início da temporada e a Amy está totalmente excluída desse momento. A minha sensação foi de como se a Karma tivesse ido em frente e a Amy ficado. Algo que elas nunca vão conseguir consertar... Não é como se a Amy fosse encontrar alguém magicamente para fazer sexo escondido! Não, pera. 

Faking Up Is Hard to Do (7º episódio), foi triste. Mais porque você vê as duas se separando. A Karma conseguiu o que queria, mas às custas do que?



Só faltava isso ser oficializado, que é o que o último episódio faz. Logo no início você vê que a Karma está tirando o atraso e a Amy nem faz ideia. Ela mente descaradamente na cara da amiga. Ai, Karma.

Isso não é o bastante, ela mente também para o Liam. Ela não é inteira de ninguém.

Uma parte muito legal do último episódio é a música das duas. Algo especial, só delas e que é lógico que elas passaram horas treinando juntas antes disso tudo acontecer. A cena em si ficou muito legal. Sabe aquele blablabla apaixonado de "quando eu estou dançando com você, só existe a gente no mundo"? É isso que a cena mostra pra mim. 



Depois ainda é lindo quando a Amy usa as palavras de apoio da Karma para fazer o discurso e, assim como a Amy aparecer deu segurança enquanto a Karma cantava lááá no episódio três (We Shall Overcompensate), a Karma na plateia deu a força que a Amy precisava. 


Essas coisas mostram que elas têm algo lindo juntas. Ah, e que é isso que elas estão destruindo.

Eu acho que uma marca da passagem pela adolescência e young adult, é conquistar a própria independência. Normalmente é da própria família, que ao mesmo tempo que está presente ali o tempo inteiro para dar suporte, acaba sendo um pouco destrutivo. Em uma metáfora bem tosca, o passarinho não pode voar se ele está preso na mão. Acho que é por isso que os jovens guardam segredos dos pais - eles precisam de algo secreto para poder se descobrir sem influência. 

Em Faking It isso também acontece, só que o maior problema é a proximidade das duas. Amy sempre se encostou na Karma para fazer as coisas, quando Shane aparece na festa do primeiro episódio, ela diz "Minha amiga já vai voltar, ela é melhor em jogar conversa fora do que eu." Quando ele insiste na conversa, ela sai correndo atrás da Karma. Quantas chances de aprender a se virar sozinha ela perdeu? O mesmo serve para a Karma. Se não fosse a Amy dando o beijo no primeiro episódio, ela não teria força para fazer toda a farsa.



Pra elas realmente crescerem, elas precisam se virar sozinhas. 

A Amy que se importa com a amizade nunca faria aquilo com o Liam Booker. Ela, é claro, pode estar bêbada e provavelmente vai se arrepender de tudo no dia seguinte, mas é um enorme passo em direção à independência. Ela, como sempre faz, está reagindo com uma voadora que vai ter consequências negativas, só que dessa vez sem a Karma para pegar os pedaços. 

Então, é um final triste, porque todos os personagens fizeram merda, estão fazendo merda e estão sofrendo as consequências disso. Não é nada bonito o destino da Amy. Nem justo. As ações do Liam não são honráveis. A Karma está sozinha. Ao mesmo tempo, é um final adequado. Amy finalmente manda a Karma se foder (supondo que ela não use isso como uma vingança idiota, o que eu não acredito que os escritores decidam fazer). Liam está com o coração quebrado. Karma viu suas mentiras darem errado. 

FINALMENTE

E é um final incrível, porque é uma história sobre fingir ser o que não é. Sobre aprender que as suas ações têm consequências. Você pode fazer de tudo e forçar para conseguir o garoto mais bonito da escola, mas você está disposto a fazer alguns sacrifícios? 

tem certeza, karma? 

E que isso não seja exemplo para um discurso conformista. Pelo contrário, nesse mesmo último episódio temos uma cena do Shane conversando com o Pablo sobre isso, que dá a resposta. 

Falando em Shane, ele e a Lauren estão incríveis e ainda têm suas histórias concluídas! Eu gosto que eles não tratam como se o personagens fossem Sims do The Sims 1 - sabe, que só avançam na vida quando você vai brincar na casinha deles. Eles não são os protagonistas nessa série de 20 minutos e 8 episódios, mas as coisas acontecem pra eles e eles crescem. Nós não vemos, por exemplo, a Lauren revelando para o namorado sobre as pílulas, nem vemos ele terminando com ela e muito menos a reação dela. Mas sabemos que isso aconteceu. 

O mais legal nesse último episódio é a cena que a Lauren escuta, assim como no primeiro episódio, uma conversa da Karma e da Amy. Em vez de contar para todo mundo, ela vai lá e tenta confortar a Amy. VOCÊ CONSEGUE IMAGINAR A LAUREN DO PRIMEIRO EPISÓDIO FAZENDO ISSO? E nem é de um jeito forçado, elas não viraram melhores amigas, ela não vai abrir o jogo sobre pílulas para a Amy, mas há uma diferença ali. E isso torna a personagem tão mais incrível. Eu lembro de no episódio 7, Faking Up Is Hard to Do, me surpreender e me decepcionar um pouco quando a gente vê que ela ter feito a propanganda contra o Liam Booker não ser nada além dela se aproveitando da situação para aumentar a popularidade. Se isso fosse um filme teen antigo, ela seria a menina malvada e isso seria parte de algo maior só para ferir a Amy de algum jeito. Só que não. E isso é muito mais realidade, porque não é como se todo mundo vivesse em função do protagonista.

E ainda tem o Shane, que depois de ter percebido que não é o cara incrível que pensa em Three To Tango e logo em seguida fazer uma bela merda em espalhar para todo mundo sobre a pílulas da Lauren em Faking Up Is Hard to Do, no último episódio (Burnt Toast) vai atrás do Pablo no casamento da mãe da Amy no melhor estilo Karma (faking it), só que acaba escutando umas verdades que, definitivamente, fazem ele perceber que está sendo mais um idiota do que um cara legal. 

Eu adoro particurlamente o que eu citei ali em cima, quando Shane conversa com o Pablo e pergunta como ele consegue ser tão bom e ele responde que há o bem e o mal dentro de todos nós, é uma questão de se treinar a fazer o bem. (olha o grande talvez dos heróis aí, minha gente!) Nesse momento o Shane também fala de algumas coisas horríveis que ele faz, tipo ter tirado a Amy e a Karma do armário em público. Sabe, uma das coisas que me falaram mil vezes sobre Faking It e no nosso mês LGBT+ foi: VOCÊ NÃO FAZ ISSO DE JEITO NENHUM. Eu nunca tinha parado pra pensar o que significaria pra alguém que está no armário ser tirado de lá assim, de repente, pra escola inteira. Então é novamente a série reconhecendo que isso não é legal de se fazer.

COMENTÁRIO ALEATÓRIO SOBRE FUTURO + CONCLUSÃO

Esse final também é legal porque, por um lado, coloca tudo no mesmo nível. Lembra do espaço entre a Karma e a Amy que abriu depois que ela fez sexo com Liam Booker? O cara mágico apareceu, Amy não está mais para trás. Pelo contrário, ela estaria uns 50 passos a frente se isso não fosse ferir tanto a Karma. Ou seja, está tudo empatado. E não vamos esquecer do Liam, já que os escritores da série não vão nos deixar esquecer. Ele também está empatado, porque agora ele tem a chance de começar de verdade com a Karma. Estão todos no 0, ou no negativo, esperando a segunda temporada começar para uma nova jornada. 


Aliás, eu adoro como eles aproveitam para quebrar a idealização da primeira vez com a cena lamy. Eu espero que na próxima temporada eles trabalhem isso. 

Uma das coisas que eu me questiono volta e meia é sobre o nome da série, Faking It. Se é uma série sobre uma farsa - e a farsa acaba - como é que eles podem continuar? Parece uma série com dias contados. Eles vão inventar novas farsas na próxima temporada? Eles vão inventar um novo título? Eu lembro que eu ouvi o não-criador-mas-que-aparentemente-faz-tudo-na-série Carter Covington dizer que eles não ia ser pra sempre isso e esperava que os personagens crescessem o bastante para levarem o resto sozinhos. Agora eu entendo. 

Pode ser que na próxima temporada o arco da Amy seja sobre aprender a se perdoar por ter tido uma primeira vez daquele jeito e a Karma tenha que lidar com o fato de ser uma mãe adolescente. Pode ser qualquer coisa. Mas nada vai mudar o fato de que toda essa transformação na vida delas começou com um namoro falso. E mais do que isso, é uma história young adult, sobre descobrir quem você é, e é extremamente fácil se perder e acabar fingindo ser outra pessoa enquanto você tenta se entender. Eu não acho que nem de longe Amy e Karma sabem quem realmente são e o que querem (pessoalmente, eu acho que esse momento definitivo nunca chega, mas existe uma diferença entre não saber nada e saber alguma coisa). 



Em Jogos Vorazes, o Peeta brinca de "real or not real?" para tentar saber o que é verdade e mentira no mundo. Em Divergente os personagens lutam para se descobrir no meio de tantos rótulos. Acho que Faking It está levando essa mesma essência para as histórias contemporâneas. 

PRONTO, TO LIVRE. Ou não, vamos ver. E é por isso, minha gente, que eu não acompanho nenhuma série semanalmente. 

-dana martins



TAGS: , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

7 comentários

  1. Caramba, Dana, tu fez psicologia ou algo do tipo? HAHAHAHAH essa análise ficou muito legal. Parabéns!! Tu conseguiu expor tudo o que pensava e consegui analisar tudo direitinho, sem levar pro lado emocional por gostar/odiar os personagens. Fico com muita pena da Amy também, que de certa maneira queria ajudar a amiga e acabou de ferrando no fim da história. Mas o que é a vida sem coisas engraçadas e trágicas pra contar, né?

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. O final da Karma foi realmente como deveria ser, gostei muito desse episódio e fiquei com muita raiva das mentiras dela. Imaginei até uma segunda temporada em que a Amy chega dominando o colégio, na maior vibe meninas malvadas, se vingando da amiga e pegando o Liam mas calma Igor, estamos em outro nicho aqui haha.
    E sim, a Lauren e o Shane evoluíram demais, inclusive ela se tornou uma grande personagem, já cheguei até a shippá-los, pelo menos como bons amigos <3, talvez eles ajudem Karmy a remendar seus pedaços... A temporada também mostrou que é impossível agradar a todos e que mentir, mesmo por amor, faz mal pra amizades e relacionamentos. Quando você mente pras pessoas mais importantes na sua vida, está totalmente sozinho nessa situação. Muito ansioso pelo que a próxima temporada trará!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Dana!

    Droga, vim cheio de vontade ler o post e fui surpreendido pela Katniss com seus spoilers. Não vi nada da série ainda, então vou tentar vê-la o quanto antes e voltar para comentar o que eu achei. Se bem que eu gosto da premissa, embora tenha implicância com quase tudo que a MTV produz.

    Beijos,
    Gabe
    http://sixdoe.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Só acho que a última cena estragou tudo. VAI DAR TANTO PROBLEMA DEPOIS. Será que esse pessoal da Hester não assistiu Gossip Girl??? Eu só não quero que surja algum sentimento entre Amy e Liam, vai ser confusão demais.

    Karma: Perdeu todo mundo. Justo. Achei tão desnecessário aquela última mentira sobre terminar com a Amy. Quer dizer, ela REALMENTE poderia ter contado pra Amy que queria terminar (Ela contou, né) e que queria ficar com o Liam. Era um direito dela. Não entendi o porquê dela ter inventado essa mentira e enrolado os dois.

    Liam: Não consigo sentir empatia, e quase durmo com essa história de "Minha família é mázZZzZZ". Isso tudo porque eu não consigo esquecer ele beijando Karma sabendo do relacionamento das duas. Então, não tente posar de bom moço, você tbm tem culpa no cartório. Também não entendi muito bem a reação dele no final ao descobrir a farsa toda. Isso deixaria o caminho livre pra ele. Revelou a natureza fake da Karma, mas acho que ele conseguiria superar isso.

    Amy: Acho que ela cobra demais da Karma. Se ela ficou destruída no final por causa dos ciúmes de Karma com Liam, ok. Mas se foi uma coisa de "Vc dormiu com ele e nem me contou"! Ah, gente, por favor. Ninguém é obrigado.

    Acho que Karma quis terminar porque queria logo ficar com o Liam. Ficou com ciúmes do beijo Lamy, mas por causa do Liam, não da Amy. Realmente acho que não terá um final feliz para Karmy. Acho que vão por uma outra pessoa para a Amy. Talvez, Oliver. Porque a orientação da Amy é muito dúbia, ela só consegue afirmar que se sente atraída pela Karma. Só. Ela não necessariamente é lésbica. Tem chance com qualquer um que aparecer.

    Lauren: <3 (Boiei no lance das pílulas. Pílulas de quê?)

    Shane: Mixed feelings. Caiu muito no meu conceito nos últimos episódios. É o personagem que mais entretem na série, mas, gente, mais alguém acha que ele vai mentir pra caramba para o Pablo? E achei tão desnecessário ele ter contado toda a verdade para o Liam. Ele tinha um pacto com a Amy. O fato de Karmy ser uma farsa não fazia a menor diferença para o Liam. Ele só estrago tudo. E fez aquilo com a Lauren ¬¬

    Prevejo muita coisa ruim acontecendo na próxima temporada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. UPDATE: Li uns comentários, e parece que as pessoas torcem por Amy e Oliver mesmo. Estão comentando também dos caras que a Amy já gostou, aquele do protesto e um que ela comenta no próprio diário. É bem capaz dos produtores juntarem Oliver e Amy.

      Excluir
    2. onde que você leu isso? oO Amy e Oliver é bem passado, pode ser que em algum futuro distante (8ª temporada) eles fiquem juntos, mas a Amy tem muito caminho até lá. A não ser que aconteça algo muito louco e mudem o que estão planejando pra personagem.

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *