Adriana Araujo CCLivros

[Resenha] ratos, de Gordon Reece

6.5.14Adriana Araujo

por Adriana Araujo
- Livro: ratos
- Autor: Gordon Reece
- Editora: Intrínseca
- No Skoob










Minicrítica~Resumo
Às vezes, simplesmente tropeçamos em livros sensacionais por pura obra do acaso. Foi assim que conheci o livro "ratos", de Gordon Reece, um autor tão desconhecido para mim quanto sua obra. O livro conta a história de Shelley, uma adolescente de quinze anos que sofreu bullying na escola e cujos pais estão se divorciando. Por essas razões, ela e a mãe se mudam, então, para um lugar mais afastado da cidade. Quando pensam que estão finalmente em paz, acontece algo que muda inteiramente a rotina delas.

Na bienal de 2013, estava eu no abarrotado estande da Intrínseca pegando desesperadamente todos os livros na promoção que encontrava pelo caminho (é duro ser pobre e apaixonada por livros nesse país u.u) e eis que me aparece esse. Olhei o preço: cinco paus. Com uma rápida lida na sinopse, vi que se tratava de um suspense, ou melhor, um thriller, e resolvi arriscar. Eu não esperava, porém, que um livro do qual eu nunca tinha ouvido falar, tão baratinho, poderia se revelar tão bom.


O livro, narrado em primeira pessoa por Shelley, é perturbador. Não consigo encontrar outra palavra para defini-lo. O livro não possui uma divisão propriamente dita, mas percebemos isso na narração. Na primeira parte a menina tece um relato aterrador, em detalhes, dos abusos sofridos na escola, deixando o leitor horrorizado logo nas primeiras páginas. O modo como é escrito é tão real e desesperador que por pouco não deixei o livro de lado.

Na segunda parte da narrativa, passada a fase do bullying e já instaladas na nova casa, Shelley e a mãe criam uma rotina totalmente normal e seguem com suas vidas. Tudo vai bem até que, na madrugada do décimo sexto aniversário de Shelley, a casa é invadida por um ladrão. A partir daí, os acontecimentos se desenrolam da forma menos esperada de todas (ou talvez eu seja lenta e um leitor mais atento possa ter percebido logo de cara o que aconteceria) e me surpreenderam muitíssimo. Minha reação foi: aiajsijaiakjaisjjaisajsiajasiaskaj. Não acredito que isso aconteceu e: aiahajiakaajijaskiajskaiakai. Toda a narrativa dessa parte é extremamente tensa, em certos momentos eu não me atrevia a respirar. Fui capaz de sentir o medo que Shelley sentia.  É um  thriller que se revela uma verdadeira montanha russa de altos e baixos e quando menos esperamos há uma nova reviravolta.


Uma coisa muito interessante é que durante toda a narrativa, Shelley se compara juntamente com a mãe a ratos, que são criaturas tidas por ela como submissas, incapazes de agir de forma decidida e de ter o controle de suas vidas. Ela compara a situação que está vivendo com a atitude que os ratos deveriam tomar: se esconder diante do perigo. Por isso, na minha opinião, o título do livro é escrito com a inicial minúscula, para simbolizar como Shelley se sente insignificante.

 

Eu recomendo o livro a todos os amantes de uma história de suspense bem típica, daquelas que prendem o leitor do início ao fim. Com um coraçãozinho de favorito pela inteligência da ideia final. Simplesmente genial.


(5/5 conversinhas + favorito)



TAGS: , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

3 comentários

  1. Olá!!

    Faz um tempão que quero ler esse livro, agora estou com mais interesse ainda. rs Eu sabia que a estória envolvia assuntos 'polêmicos', mas pelo visto ele é bem mais comovente do que eu imaginei.

    Beijos,

    Samantha Monteiro
    http://www.wordinmybag.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que coincidência, li esse livro faz pouco tempo, estava justamente procrastinando para escrever minha resenha e o que encontro aqui? :P

    Gostei do livro, mas não o achei tão surpreendente e perturbador quanto você achou, mas isso se deve mais às minhas expectativas (já tinha lido várias resenhas sobre ele) e a uma certa ressaca literária minha. Pretendo reler em algum momento mais tranquilo. :)

    ResponderExcluir
  3. Passei por esse livro mais de duas vezes nas promoções da Saraiva e quase comprei. Mas na hora, eu tinha pouca grana e tinha outros livros que eu estava mais desesperada para ler. Sacomé, né? Prioridades.
    Mas agora, próxima vez que eu o ver em promoção (sou pobre, só compro livro em promoção) eu definitivamente irei comprá-lo. Fiquei curiosa em relação às partes perturbadoras e em como exatamente teria acontecido esse bullying. Eu realmente me interesso muito pelo assunto.
    Adorei sua minicrítica/resumo. Me deixou muito curiosa e com vontade de ler esse livro.

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *