adaptações Ana Luíza Albacete

[Resenha Misturada] Divergente, filme

10.5.14Dana Martins

por Dana, João e Ana


- "Divergente"
- Divergent (2014)

- Direção: Neil Burger
- Roteiro: Evan Daugherty e Vanessa Taylor
- Elenco: Shailene Woodley, Theo James, Kate Winslet, Ansel Elgort, Miles Teller, Zoë Kravitz, Maggie Q...
- Ação - Ficção Científica - 139 min - Trailer
- Adaptação do livro Divergente
- Veja nossos posts sobre Divergente






Minicrítica - Sinopse:

Beatrice (Tris) vive em uma sociedade baseada em 5 facções: Erudição, Audácia, Abnegação, Honestidade e Amizade. Ela cresceu em uma família da Abnegação, mas nunca esteve realmente certa se era esse o caminho que gostaria de seguir. Agora chega a hora de fazer a decisão final: continuar com a sua família ou abraçar uma vida em outro lugar sem poder olhar para trás. Aceitar as consequências de suas escolhas se torna ainda mais difícil quando Tris descobre que não há escolha. 

Divergente é um filme de ação e ficção científica, que arrisca em levar para as telas um universo mais elaborado dos livro. Serve tanto para quem quer se divertir quanto para quem quer ver algo além do clichê de sempre. 

Descubra o que nós achamos (ainda com uma participação de honra!). :D


Dana: 

Não tem a qualidade de um Transformers ou o refinamento de um filme do Oscar. Divergente como blockbuster de ação que é só tiroteio/porradaria pode deixar a desejar, mas há muito mais ali para descobrir e aproveitar. Temas sérios que podem levar a discussões e mais discussões. Talvez até nos fazer repensar o cinema atual, como eu fiz em Divergente é a cura do cinema? E, pra ser bem sincera, eu me diverti bastante - principalmente com a ação.

Tris, eu já gostava de você e foi um orgulho te ver no cinema caindo na porrada. <3

Um comentário extra: Alguns momentos dava aquela sensação de "já vi isso" a um ponto vergonhoso. Todo mundo compara as facções com as casas de Hogwarts. Eu inclusive. Faça isso também, porque a trilogia Divergente é justamente sobre se definir e questionar essas definições. Imagine se Harry Potter fosse focado em questionar as casas de Hogwarts e mostrar como elas podem nos fazer mal. Divergente.

Seguindo a ordem das imagens ao lado, as cinco facções: Amizade, Honestidade, Abnegação, Audácia e Erudição

Sobre a nota: 5 conversinhas. O filme perde em alguns detalhes, mas ganha tanto mais em outros.


João: 

Eu acho que Divergente é mais um daqueles filmes que caem no problema da adaptação literária. O material original tem muita informação e fica difícil colocar tudo na tela de uma forma tão eficaz quanto a do livro. Dessa forma, mesmo que o filme tenha sido incrível, algumas coisas acabaram parecendo superficiais. O aproveitamento de personagens secundários, por exemplo, não foi o suficiente, tanto que algumas cenas [spoiler], como a morte do Al e do Will, [/spoiler] não foram tão impactantes quanto deveriam. Eu também esperava cenas de ação mais elaboradas, mesmo que grande parte delas seja bem convincente, e queria que o romance entre os protagonistas tivesse tomado menos tempo do filme.

Foi por pouco, Tris
Mas Divergente acerta em outros pontos e esses errinhos acabam ficando em segundo plano. A trilha sonora se encaixou perfeitamente em alguns momentos (confesso que caiu um cisco enorme no meu olho enquanto tocava "Hanging On" e a Tris corria pelo pavimento pra pegar o trem pela primeira vez), o visual, no geral, é bem coerente e a performance de alguns atores, pelas quais eu não botava minha mão no fogo, me surpreendeu demais. A adaptação também transmitiu mensagens bem legais que eu não tinha notado tão presentes nos livros, como a questão do pensar diferente dos padrões ser uma cura e uma maldição ao mesmo tempo. Glorificar o fato de ser diferente, por mais que o mundo inteiro esteja contra você, é sempre um ideal válido de se transmitir.

Sobre a nota: 3,5 conversinhas. No final, mesmo que um leve aroma de superficialidade e mau desenvolvimento continue pairando no ar, Divergente cumpre a função principal, que é a de entreter o telespectador sem precisar fazer uma lavagem cerebral pra isso. O filme é uma adaptação pra lá de decente e que, assim como Jogos Vorazes, pode surpreender muita gente na sequência que vem por aí.

Comentários aleatórios que eu gostaria de fazer e não caberiam na resenha:
- A grande maioria dos meus amigos disse que achou o filme muito melhor que o livro. Eu discordo;
- A CENA DA FACA NA MÃO, GENTE, EU QUASE CAÍ NO CHÃO FKGHJLH;
- Tive que assistir o filme dublado (PORQUE SÓ TINHA DOIS HORÁRIOS NESSA MERDA DE CINEMA, OS DOIS DUBLADOS, EU FIQUEI REVOLTADO E isso é assunto pra outro post), e até que foi razoável. Só que a voz do Quatro perdeu toda a profundidade que o Theo James deu a ela. E eu achei muita sacanagem usarem a voz da Hermione pra Tris. Precisamos de brasileiros se especializando em dublagem, tipo, pra ontem;
- A Maísa (aquela que apresentava Bom dia e Cia no SBT) tava na mesma sessão que eu. Não que isso importe. Eu só queria comentar mesmo...



Ana Luíza: 

Confesso: li o livro por pura influência externa. Não é muito o tipo de livro que me atrai, mas todo mundo dizia que era ótimo e que o filme estava vindo e que seria bom também, então dei uma chance... O livro não decepcionou, já o filme...

Como espectadora, "Divergente" é um filme razoavelmente bom, tem todos os recursos para ser uma boa história. Se eu não fosse tão chata com cinema, eu provavelmente daria 5 conversinhas.

Eu tive meus problemas com algumas coisas, por exemplo, alguns personagens passaram batidos no filme e que poderiam ser importantes, principalmente para criar vários dilemas de Tris (Shailene Woodley) na sua nova jornada. Apesar disso, compreendo que é uma adaptação e não se pode focar muito numa história que, para alguns, pode ser desnecessária.

A direção de atores do filme é boa. Pensei que veria Shailene dando mais de si no filme, como ela tem feito nos seus últimos, mas não deixa de ser bom. Theo James foi uma grande surpresa pra mim, afinal, nunca tinha ouvido falar dele e, quando vi, ele já me chamava atenção por tudo. O diretor tentou aproveitar bastante os personagens principais que ele tinha: Tris, Four e Jeanine. Não que tenha ficado completamente ruim, mas pra mim faltou algo a mais.

O roteiro me irritou em algumas partes. Parecia que eles estavam enchendo linguiça para dar rumo a história, mas ao mesmo tempo, era um rumo linear e que chegaria em algum lugar. Talvez, se o roteirista tivesse aprofundado mais em algumas partes importantes como na escolha das facções e na adaptação da Audácia, poderíamos ter uma noção de tempo melhor e, talvez, pudesse ser a solução para muitas coisas...

Em geral, é um filme bom, que eu assistira de boa na sessão da tarde.

Sobre a nota: 3 conversinhas.


E a conclusão?

Divergente é um filme que causa divergência quando se trata de adaptação, é um bom entretenimento, mas não agradou muito a Ana quanto ao desenvolvimento técnico, já eu (Dana) gostei muito do desenvolvimento dos temas. Acho que vale a pena ver por você mesmo. A média da nossa nota deu 3,8, então eu chamei a Brenda para resolver e... "4,5. Só não ficou perfeito porque eles podiam ter incluído mais alguns detalhes e focado um pouco mais em alguns personagens. Mas de resto foi tudo lindo."

Nota final:
(4/5 conversinhas)  







Veja Capitão América 2 vs. Divergente e nossos outros posts sobre Divergente




TAGS: , , , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *