CCLivros CCResenhas

[Resenha] Os 500, por Matthew Quirk

2.12.13Elilyan Andrade



por Elilyan Andrade

- Livro: Os 500
- Autor: Matthew Quirk
- Editora: Paralela, selo adulto da Companhia das Letras 
- Comprar: Saraiva, Cultura, Submarino
- No Skoob









Minicritica ~ Resumo

Imagine que você teve a infância e adolescência marcada pela criminalidade e quando adulto, após servir na Marinha, resolve que só quer ser um sujeito honesto? Esse é o resumo de vida de Michael Ford - Mike, para os íntimos - mas sua história de vida está preste a mudar: recém formado em direito por Harvard, Mike é contratado pelo Grupo Davies - a mais poderosa empresa de consultoria de Washington DC - logo torna-se uma estrela em ascensão e descobre que honestidade e poder talvez sejam incompatíveis. 

A estreia literária de Matthew Quirk pode ser definida em uma única frase:




Se você é novo(a) demais para compreender a referência vou explicar: no seriado "Carga Pesada" (Globo), o Pedro (Antônio Fagundes) sempre falava isso pro Bino (Stênio Garcia) quando estavam preste a se meterem em confusão, ou seja, a expressão significa “UMA ARMADILHA”. Agora você deve está se perguntando o que isso tem haver com “Os 500”; o livro é uma armadilha. E das boas! Ele te pega de jeito quando você menos espera. Com uma narrativa fluente e um narrador-personagem ultra carismático a partir do momento em que Mike começa a perceber que terá que vender a alma para manter a vida “perfeita” que o Grupo Davies proporciona você não será mais capaz de largar o livro. 

“A verdade é que eu também adorava embustes, adorava sua lógica, os mecanismos calculados de uma trapaça bem planejada, como se fosse uma mola pronta para disparar atrás da isca de uma ratoeira.” pág 71

Para um estreante, o escritor Matthew Quirk, tem uma capacidade incrível para desenvolver tramas densas com minuciosos detalhes, tanto que mesmo sem conhecer nada da capital dos EUA e seus prédios e ruas consegui visualizar plenamente cada nuances do lugar e de seus moradores. Mas a mesma densidade que atrai, também foi o que de certa forma me desmotivou: são tantas, mas tantas informações jogadas que chega uma hora em que tudo que eu queria era que Quirk parasse de criar o cenário e colocasse logo fogo no circo.


Lá para a página 200, quando eu já estava me sentindo enganada, és que sou surpreendida por BOOM! A história se desenrola tão rapidamente que juro que meu cérebro queimou. Ação e emoção começam a se desenrolar com tal rapidez que só lendo para entender.


“Eu enxergava uma saída, e iria atrás dela com determinação, friamente e sem emoções. Se os homens honestos eram todos criminosos, então talvez os criminosos fossem honestos. Eu tinha de fazer um acordo.” pág 285

Se você procura uma cilada com tudo que tem direito, ou seja, ação, emoção e personagens dinâmicos e carismáticos (seja o anti-herói Mike, seu pai e amigos ou os antagonistas Marcus e Davies, cada personagem irá conquistar um lugarzinho próprio no coração, mesmo quando suas personalidades se mostram ser repulsivas) “Os 500” é a leitura ideal.



(4,5/5 conversinhas)




Sobre a nota: Dou 4,5 porque a história demora um pouco para deslanchar, mas quando, enfim, acontece vale muito a pena. :)


Esse livro foi um presente da editora Paralela, selo adulto da Companhia das Letras. Muito obrigada! :)


TAGS: , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

2 comentários

  1. Além de adorar essa capa, tenho estado curiosíssima quanto aos livros do Quirk; e olha que na época do lançamento de O Lado Bom da Vida, eu juro que nem estava dando muita bola - nem para o livro nem para o filme. Mas é fato que só tenho lido comentários muito bons sobre o autor, coisas que vão além de um carinha qualquer que surpreende o público jovem, mas coisas que levam a crer que o autor cria tramas inteligente, personagens singulares e "encorpados". Está aí um cara que eu quero ler algum dia.

    Um beijo, Livro Lab

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline.
      Essa capa é mesmo muito boa, mas acredito que você confundiu o Matthew Quirk (autor de Os 500) com o Matthew Quick (autor de O Lado Bom da Vida) :Uma letrinha faz muita diferença. ;) rss
      Ainda não li O Lado Bom da Vida, mas Perdão, Leonard Peacock é um excelente trabalho de QuiCk.
      Obrigada por seu comentário.
      Beijão.

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM