007 007 Operação Skyfall

[Resenha] 007 - Operação Skyfall

10.11.12Igraínne

por Igraínne Marques


- "007 - Operação Skyfall"
Skyfall (2012)
- Direção: Sam Mendes
- Roteiro: Neal Purvis, Robert Wade, John Logan;
- Atores: Daniel Craig, Judi Dench, Javier Bardem...
-  Ação / Suspense - 16 anos - 145 min. - Trailer
- Nos cinemas brasileiros desde 26 de outubro de 2012









Mini-crítica: 
007-Operação Skyfall é mais um filme de Bond, James Bond. De um modo geral, dessa vez vemos uma crise no sistema da MI6, a agência de investigação para quem Bond (Daniel Craig) trabalha. Durante uma missão, bem no iniciozinho do filme, Bond e sua parceira Eve precisam impedir que  roubem uma lista de agentes da OTAN infiltrados em organizações terroristas. Durante uma perseguição, no entanto, numa tentativa desesperada de reaver essa tal lista, Bond acaba sendo dado como morto, única e exclusivamente por um "erro de cálculo", vamos assim dizer. É um filme que te surpreende de maneira inesperada, e o mais legal é que parece ao mesmo tempo uma ponte com outras histórias de James Bond e ainda assim continua sendo independente. Acho que foi uma forma do diretor de conseguir alcançar o público que é fã e que não é fã da franquia.

Quer saber mais? Clique abaixo para conferir a resenha completa.

Eu nem ia assistir a esse filme no cinema, principalmente porque não tenho o hábito de acompanhar esses longas que se estendem por décadas. É o caso de Star Wars, por exemplo. Por algum motivo obscuro, no entanto, eu fui ver o primeiro dos 007's pouco antes de esse filme estrear, o "007 contra o satânico Doutor No". Vi na praia, num frio irracional, junto com o pessoal do blog. Não sei se foi o clima ou o fato de eu estar com sono no dia - a sessão acabou quase meia noite - ou qualquer outra coisa... Não importa muito, o fato é que eu não curti tanto assim. Achei o enredo fraco, perdido e flutuante, embora eu entenda por que boa parte do pessoal mais velho tenha adorado.

De qualquer forma, eu acabei vendo, poucas semanas depois, o novo 007, com um ator diferente, uma fotografia diferente, tudo diferente (até porque o cinema hoje em dia conta com efeitos que antes não eram possíveis). A única semelhança entre os dois filmes é o fato de que ambos pertencem à série do 007 e nos dois o Bond é um verdadeiro garanhão. Na verdade, a ausência de um par romântico específico é algum tipo de convenção nos filmes dele, acho.


>>> Enredo
Mas vamos ao que interessa: a história! Como já disse anteriormente, por conta de um "erro de cálculo" (não achei uma expressão melhor), Bond é dado como morto. Sua parceira Eve não para de se sentir culpada, mas ninguém na agência se incomoda mais com a situação do que a chefe do MI6, a senhorinha com cara de simpática M. É assim que ela é chamada: "M"ou "mãe" para os mais íntimos. Você facilmente se ofereceria para ajudá-la a atravessar a rua, e cheguei a achar ela tão fofa que a associei à minha avó.

Poréééém, ela pode estar abalada com a morte de Bond (um pouco), mas não está mais abalada do que com a certeza de que a missão foi um fracasso: a lista com os nomes se perdeu, e essa é desgraça maior, é com isso que M está preocupada. Ela chega a ser pressionada pelo chefe do Comitê de Segurança e Inteligência, porque a tal lista é tão importante que a missão não admitia qualquer tipo de falhas (a mesma missão na qual Bond foi supostamente morto).


A parte boa desse filme é você se sentir dentro da história, você seguir os passos de Bond como se a missão fosse sua e não dele. É claro que dá pra você procurar na internet a sinopse tudo mais, mas eu sugiro que você vá assistir sem saber de nada. Às vezes o bom é realmente isso, porque você não corre o risco de se decepcionar. Esse foi o meu caso. Como eu já não tinha gostado do único outro filme do 007 que assisti, nem me preocupei em saber do que se tratava esse filme mais recente.

>>> Detalhes e Personagens
O que dá pra falar sem estragar é dos detalhes. Toda a fotografia é linda, mas nada que seja realmente inovador. É um filme bom, que vai às raízes de James Bond, e talvez esse seja o diferencial em relação aos filmes anteriores. É também um filme que não se rendeu aos efeitos em 3D, e achei isso realmente relevante. Meio que valorizou a coisa toda em termos de tradição - já que a franquia tem por volta de 50 anos de história.

Para falar de personagens, o Raoul Silva, vilão interpretado por Javier Bardem, dá um show em questão de insanidade. Se a intenção era retratá-lo como um bipolar perturbado, funcionou. Fora que em algum momento dá pra sentir pena. A mesma coisa acontece com Sévérine (Bérénice Marlohe), que fica naquele ponto difícil de descrever: você sente dó, raiva, afeição e por aí vai. É o par romântico da vez que parece não ser par romântico. E não é, de certa forma. Eu chamaria de "casinho-barra-rolo" e ainda assim não seria um termo suficientemente adequado.


Por fim, achei que a senhorinha-minha-avó M (Judi Dench) é algo à parte de todo o filme. Ela é tão fofa e tão bonitinha, quase nem conseguiria imaginá-la como a chefe de todo um sistema de investigação se não fosse o trabalho do diretor Sam Mendes. O próprio Daniel, de quem eu não sou exatamente fã-a-loka, tava muito bem, me convenceu. Na verdade, já achei bom logo no início, na abertura aka música da Adele*.
*Ela realmente fez uma música pra esse filme, ouça aqui

Sobre a nota: Vou dar 4 porque é o típico filme de investigação. Daria pra você colocar toda a história no Missão Impossível, por exemplo. E mesmo assim seria a mesma coisa, sem perdas e falhas. Não acho que haja realmente um problema no filme, só acho que, diante de tanta coisa que tem por aí, 007 surpreendeu sim, mas no fundo é mais comum do que a gente espera. Na verdade, não sabia direito qual era a minha opinião a respeito até enfim escrever essa resenha. Vale cada centavo do ingresso, isso é óbvio. A história é boa, os personagens ótimos, fotografia, figurino, cenários (que passam pelo mundo todo).... Mas o filme não chegou exatamente lá. Por pouco, que fique claro.

Classificação:
(4/5 conversinhas)

TAGS: , , , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

1 comentários

  1. Oi Igra :D

    007 é um filme que eu nem pensaria em assistir no cinema. Não é bem o meu gênero, e a única coisa que eu sabia do filme era que Adele cantaria a música principal. Mas achei o que você disse interessante, acho que vou dar uma chance quando ele sair em dvd. Quem sabe eu acabo me surpreendendo, assim como você?

    Desde que li os dois livros do Harry Potter sobre como os filmes foram feitos, passei a considerar bem mais o cenário, os figurinos e todo o "fundo" para os personagens brilharem. E como você disse que isso tudo é muito bem feito em "Operação Skyfall", é mais um motivo para que eu o assista. Acho que sendo um filme "bonito de se ver" já vale bastante. Sem falar que estou precisando mesmo ver um filme bom, acho que faz mais de um mês que não assisto nenhum.

    E Igra, preciso dizer que adoro seus posts! Sempre me divirto com eles! Você disse no seu Top 5, acho, que tinha dificuldade em escrever de forma mais descontraída. Mas acho que você superou isso completamente, AUHAU. Parabéns pela resenha (:

    Abraços \o/



    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM