aprender a desenhar CCIlustrador

Como eu aprendi a desenhar

5.7.18Dana Martins


Oi, pessoas que leem o CC. Faz tempo que eu não escrevo nada mais pessoal por aqui, ultimamente entre a escrita e a vida, eu só venho pra compartilhar sobre séries, filmes, etc, e vou embora. Mas pensando no que eu poderia falar aqui, surgiu uma ideia: e se eu falasse sobre aprender a desenhar?

No último ano aconteceu uma mudança significativa na minha vida, do ponto de que eu era uma pessoa de boa vivendo a minha vida pensando que para sempre ficaria limitada aos meus desenhos de bonequinho palito, e agora eu sou alguém que consegue desenhar alguma coisa - mais até do que isso, eu desenho todos os dias e sei que mais cedo ou mais tarde vou ser capaz de dar vida à tudo o que eu imaginava!!! Mas como aconteceu essa mudança? Como eu "aprendi" a desenhar? O que eu aprendi até aqui?

Bem, pra começar quero dizer que desenhar foi sempre algo que eu quis fazer. A ideia de poder fazer meus personagens e concretizar através de imagens o que eu pensava sempre me atraiu, porém: sempre, com muita frustração, só desenhava porcaria. Personagem torto, feio, parecia um cuspe. E eu sabia que desenhar não é algo simples, é algo que exige investimento e aprender 923832 coisas, e eu dizia pra mim: Eu já tenho a escrita, eu já vou me dedicar a isso, não dá pra levar a sério duas coisas diferentes. Vou guardar aprender a desenhar na pasta de "coisas que eu poderia fazer mas não amo o suficiente pra fazer de fato." Vida que segue.

Porém, existe um programa chamado Photoshop. Faz aaaaanos que eu uso photoshop e volta e meia eu fazia alguma pintura lá, com mouse mesmo. Às vezes ficava inspirada, batia a vontade, e eu ia lá e fazia. Ficava ruim, às vezes nem tanto, mas ajudava a extravasar a vontade de desenhar. 

Aí eu não sei como, gente, eu sei que de repente eu fiquei melhor. Eu passei a conseguir a fazer coisas que antes eu não conseguia. Eu sei que não foi do nada, eu acho que depois de tanto tempo fazendo desenho ruim e observando outras pessoas fazerem desenhos incríveis, meu cérebro entendeu algo e eu melhorei, então eu pensei "Acho que... eu posso fazer isso."

E aí eu fiz mais uns desenhos, e mais outros, e aí eu comecei a treinar. E, aos poucos, algo que eu fazia uma vez ou outra se tornou algo que eu fazia quase todos os dias. 

Eu sou o tipo de pessoa que aprende na prática, então conforme surgia a necessidade de desenhar algo, eu buscava tutoriais na internet. Foi em uma dessas que eu encontrei essa série de posts "Human Anatomy Fundamentals" e decidi começar a fazer um por um. Levou meses e eu não cheguei a fazer tudo, mas o que eu fiz - principalmente o primeiro de aprender a desenhar com energia observando as pessoas - me ajudou o bastante.

Esse primeiro exercício foi crucial pra mim porque 1) Me fez ter um primeiro caderninho, o que já já eu vou explicar a importância, 2) Não exigia qualidade, é basicamente boneco palito! e 3) por ter uma noção maior do que é desenhar com energia. 

Na hora eu não levei tão a sério o exercício, lembro que pensei "que coisa chata, não vou sair na rua desenhando os ouros." Eu tive que me convencer a sair pelo menos um dia e sentar a bunda no shopping pra observar as pessoas e desenhar. Demorou um pouco pra pegar o jeito, mas quanto mais eu fazia mais eu entendia e observava coisas diferentes. Resultado: voltei outras vezes pra rua e preenchi um caderninho inteiro! 

Outro curso que eu comecei (e ainda tô fazendo, no passinho de formiga) é esse Ultimate Drawing Course no site Udemy, que apareceu por uns 20 reais numa promoção e eu decidi testar pra ver. 

(Dica: esse site Udemy VIVE tendo promoção com preço barato. Se for comprar qualquer curso lá, procura promoção que tem!)

No geral, eu tenho aprendido pouco a pouco, em um processo de negação. Minha regra absoluta é: Desenhar é pra mim. Sem pressão. Sem exigência. Se tá chato, não faço. Se quero passar um mês sem desenhar, tá ótimo. Obviamente eu tento parar e desenhar pelo menos alguma coisa por dia, e eu fico criando metas e me esforçando às vezes ao ponto de eu precisar me obrigar a parar. Porém, o desenho é um extra. Eu não sei se você acompanha meus Clubes de Escrita, mas algo que eu percebo há muito tempo quando se trata de arte é que a gente perde muito tempo se culpando por não conseguir fazer. Com desenho o meu objetivo é cortar isso. Eu só quero relaxar e me divertir enquanto melhoro. 

ano passado eu e o meu amigo decidimos fazer uns desafios de tema vs. criaturas mitológicas
paramos na metade mas deu alguns resultados


Pensando agora, uma das coisas que me atraiu pra o desenho é que eu não preciso pensar tanto. Não me leve a mal - desenhar exige pensar, tomar decisões, blablabla. Mas quando eu pego meu desenho e tô focada nas linhas, nos movimentos, eu tô em paz. E no meio das merdas todas da vida, eu tô precisando de bastante paz. 

Enfim, de volta para a minha jornada - no início desse período, eu ainda só usava o computador e desenhava com mouse mesmo. Uma das minhas primeiras metas era desenhar usando no máximo 2/3 cores (cor base, sombra e realce). Exemplo:

eu fiz isso com mouse

Eu antes pintava de forma bagunçada usando 239832 tons pouco a pouco, tipo:

foi esse desenho que me fez perceber que eu podia desenhar



Eu comecei a passar pra o papel quase ao acaso. Em parte por causa daquele exercício que me obrigou a usar um caderninho, em parte em um dia que eu comecei a treinar desenhar nariz (olhando a referência) num bloquinho que tava aqui do lado. Agora, pra você ter ideia, nessa época eu não tinha nem lápis. Eu fazia tudo na caneta mesmo, eu nem sabia que existia tipo de lápis diferente e pra que cada um servia. 

Foi assim até que eu tomei vergonha na cara e comprei um caderno de desenho. Desses pra criança na escola mesmo, que custava uns 4 reais. Isso foi em agosto do ano passado, agora no início de julho eu estou começando o 5º caderno.

O lápis eu comecei usando um da faber castell 6B que era do meu irmão - literalmente qualquer um que eu achei por aqui, e eu só comprei outro quando acabou. Aí eu aprendi que existem os lápis HB e os B e a diferença é a grossura do grafite. Atualmente, eu uso mais: 8B da Staedler (meu preferido), 8B, 6B e 2B da Faber Castell. Aos poucos eu vou comprando e testando. Eu gosto desse 8B da Staedler porque ele é muito macio e desliza bem no papel, é ótimo pra fazer gesture drawing ou qualquer desenho maior. A diferença entre esse e o da Faber Castell é que ele é mais grosso e mais macio (e mais chato de apagar), então quando eu quero fazer algo mais definido eu passo pra um dos da Faber Castell. Agora eu também tenho uma lapiseira 0.3 que, pra mim, se tornou indispensável, mas não quero falar muito sobre isso porque eu comecei a usar por causa do curso de desenho que comecei mês passado e nesse texto eu quero falar do meu progresso sozinha antes do curso. 

Pra completar a parte sobre desenho tradicional: a borracha. Sofri muito com aquelas borrachas que você apaga e borra até pedir ajuda pra um amigo e descobrir que existe salvação. 1) Borracha plástica / "dust free". Tá escrito na embalagem normalmente. Essa eu encontrei por acaso. Eu comprei uma da Faber Castell e uma preta da Pentel, e preferi a da Faber Castell. Um detalhe sobre essas borrachas que eu aprendi no curso: evita colocar o dedo que acumula gordura, e pra limpar usa uma lixa. 2) Limpa tipo. É uma massinha que você passa e gruda o grafite. 

De volta pra o desenho digital, ter uma mesa digital foi outro momento de virada na minha vida de desenho. Cara, eu vou te falar uma coisa, se você pretende desenhar no computador compra uma mesinha, porque desenhar com mouse é um esforço desnecessário. É como se você tivesse a opção de desenhar com lápis (a mesa), mas tivesse detentando desenhar passando tinta no cotovelo. É possível? Sim. Eu fiz por anos. Mas o preço x esforço não vale a pena. Junta um dinheiro, faz bolo pra vender, pede pra o papel noel - vale a pena. Talvez um dia eu faça um post sobre comprar a mesa, mas vou dizer que comprei uma Wacom Intuos Art por uns 400 reais no site Kabum na Black Friday, tem um modelo de Wacom mais barato que dá pra encontrar por uns 200 reais. Pra gente que não pode pagar caro a Wacom é a melhor opção.

Além disso, existe algo chamado "line stabilizer" (estabilizador de linha) que ajuda os traços saírem mais definidos. Quando eu usava mouse saber que isso existia teria salvado minha vida, mas mesmo com a mesa ajuda. Alguns programas de desenho tipo o SAI, o Sketchbook (de graça) ou o Illustrator já fazem isso, se você usa o Photoshop como eu tem programinhas que você pode baixar, eu uso o Lazy Nezumi Pro. 

um dos meus primeiros desenhos com a mesa


Uma coisa que eu não sabia até começar a desenhar mesmo é que, nesse tipo de arte, você também tem que aprender a usar o "instrumento." O tipo de lápis, ou papel, ou programa, ou mesa digital. Saber essas coisas não vai te ensinar a desenhar, mas salva de muito tempo sofrendo com bobeira. Mas não se preocupe porque o sofrimento também é parte do processo, e eu aprendi o pouco que eu sei até agora batendo cabeça.

Enfim, além daqueles 2 cursos online e construir uma base pra desenhar propriamente com os "instrumentos certos," vem o que eu fiz 80% do tempo pra chegar até aqui: treinar. 

Treinar pra caralho.

Todo dia. 

Muito desenho ruim.

Eu sinceramente não tenho regra, faço o que dá vontade. Acho que o importante é você encontrar algo que te anime e te faça ficar desenhando, mesmo que seja ruim. A qualidade não importa porque se você não sabe desenhar, vai sair ruim, mas você precisa fazer esses desenhos ruins pra aprender a fazer o bom. Não tem saída. 

Pra mim, eu tenho esse certo vício em treinar (que parece bom, mas nem sempre é). Eu pego algo tipo Nariz, aí pego 293823 fotos de nariz e desenho todos. Essa semana eu fui procurar exercícios pra treinar a usar pressão no lápis, acabei fazendo 293823 exercícios de linha, de círculo, etc. Uma coisa muito importante, e acho que é a grande responsável pela minha melhora "repentina" no desenho, é: referência. 

USE REFERÊNCIA.

A nossa cabeça tem uma visão torta do mundo, e uma grande parte de aprender a desenhar é aprender a desconstruir isso pra desenhar as coisas direito. E como você faz isso? Observando o mundo real. Então vai desenhar um cavalo? Pega a foto de um cavalo e faz usando a foto. 

Quando eu tô cansada demais eu só pego uma foto interessante e desenho igual. Quanto mais disso eu faço, melhor eu vou ficando naturalmente. Esses dias de Copa do Mundo durante os jogos eu pesquiso foto dos jogadores que eu acho interessante e fico desenhando enquanto o jogo rola. 

Aqui outras coisas que eu fiz pra dar uma ideia:

1. Tenho um projeto chamado Project 1000 pra desenhar 1000 mãos, porque depois de 1000 mãos ruins eu vou desenhar um pouco melhor. Comecei final do ano passado e ainda tô por volta das 300, mas já melhorei bastante. Às vezes eu procuro tutoriais de mão na internet e desenho as mãos que eles mostram de exemplo. Eu copio mãos de foto. Na internet tem imagens com várias mãos desenhadas de referência e aí eu vou desenhando todas. Tem mãos em estilos diferentes também. E já fiz isso cronometrado, tipo 1 minuto pra desenhar uma mão. O objetivo não é só fazer 1000 mãos, mas variar a forma que eu faço isso. 
2. Não tenho projeto, mas coisas que eu tentei desenhar pra caramba também: nariz, olhos, rostos de perfil. 
3. Rostos. É o meu grande desafio, o melhor tutorial que eu achei foi o do Andrew Loomis pra rosto, mas pra mim ainda é difícil fazer!! 
4. Aprender a desenhar blocos. Formas básicas são a essência de tudo. Se você consegue desenhar uma caixa direito, você consegue desenhar uma mão. E é muito difícil, ainda mais quando fica umas perspectivas estranhas, mas eu já melhorei bastante e isso melhorou a minha capacidade de desenhar tudo.
6. "Gesture drawing" Olha, eu não sei como fazer isso direito, mas eu adoro desenhar coisas cronometrado tipo 30 segundos ou 1 minuto, e é legal que você vai aprendendo a pegar as formas principais do corpo. Volta e meia eu tiro um tempo e faço vários.
7. Desenho às cegas. Você pega um objeto e desenha o objeto sem olhar pra o papel, isso é pra treinar o seu olhar, porque um dos maiores problemas de desenhar é que a gente tem uma imagem internalizada dos objetos, então quando a gente tira o olho e foca no papel, a nossa tendência é desenhar de acordo com o nosso padrão internalizado, não com o que de fato é. Enfim, esse é um dos treinos que ajuda nisso.
8. Reconhecer formas básicas em imagens. Basicamente, você pega uma imagem e divide simplificando em formas básicas (triângulos, quadrados, círculos). Toda imagem, seja um desenho de um personagem ou uma paisagem, pode ser dividida em formas básicas. É por isso que desenhar de certo modo é fácil - tudo se resume a combinações de triângulos e quadrados e círculos, e isso qualquer um pode fazer.
9. Observar como outros artistas fazem. Uma (01) vez eu copiei uns desenhos do Kris Anka e depois fiz um meu e depois refiz o meu dentro do estilo dele.
10. Volta e meia pesquiso um tutorial na internet. E faço aquelas aulas e os exercícios de cada uma. 

Por enquanto, é isso. Eu já melhorei bastante, é uma diferença visível. É até engraçado porque às vezes desenhando algo parece quase mágico: as linhas vão no lugar certo, enquanto antes não iam. Ao mesmo tempo ainda tem muito pela frente, eu só estou começando. Não vejo a hora de poder fazer meu próprios desenhos, todas as fanarts guardadas na cabeça. HUAHUAH 

um dos desenhos mais recentes que eu fiz pra o meu grupo de rpg


Antes de ir, vou deixar dois lembretes.

1. Dom não existe. Antes mesmo de começar a desenhar eu já tinha ódio nessa crença de dom. Agora que eu desenho, eu tenho mais raiva ainda. Não, ABSOLUTAMENTE NÃO, meu filho, eu não passei 50 horas fazendo esses desenhos horrorosos aqui pra você ver o um (01) bom finalizado que eu fiz, e dizer que eu tenho "jeito." ISSO É TUDO ESFORÇO, SANGUE, LÁGRIMAS, e a chance de ter tido acesso a conteúdo que me mostrou como desenhar. 

2. Eu tenho 26 anos, eu comecei a desenhar mesmo ano passado, com 25. Então não é tarde pra desenvolver toda uma nova habilidade. Eu costumava pensar que era muita coisa pra aprender, mas não é. Eu só tive a sorte de encontrar meu caminho nas pedras sozinha. Talvez esse texto seja a sua sorte. Se você leu até aqui, você tem interesse. E vou te falar, fazendo essa aula de desenho eu tô percebendo que tem caminhos muito mais simples e rápidos de chegar lá. Eu passei anos vagando no deserto e derrubando paredes com a cabeça até encontrar a porta certa, mas tem muitos outros caminhos. Em caso de dúvida, peça ajuda.

E em caso de desespero, meu mantra é, "esse desenho pode tá horrível, mas ele vai me deixar um passo mais perto de fazer um desenho que é bom. Vambora!" 

TAGS: , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

6 comentários

  1. aaaaaa como adorei esse post, escreva mais sobre, fiquei mega curiosa.
    Nunca entendi isso de desenhar no computador, acho tão complicado, eu desenhava em folhas mesmo, amava. Tem anos que não desenho nada, esse texto me deixou com saudades. Ainda tenho uma pasta de desenhos velhos, que mesmo não sendo bem alinhados e perfeitinhos, amo muito.

    Tenho curiosidade por essa mesa que você citou, nunca vi uma, parece interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. abre o paint e faz um desenho com mouse: desenhar no computador é isso.

      Já a mesa. Sabe notebook que tem aquele espacinho que você controla o mouse arrastando o dedo? A mesa é tipo isso, pouco maior que um livro. Você passa uma caneta ali e ela controla o mouse na tela. Aqui uma foto:

      http://www.superkit.com.br/v02/upload/editor/intuos%20comic%2005.jpg

      Tem umas mesas mais caras que vem com tela, então você desenha nela tipo um papel e vê o desenho ali (imagina desenhar com uma caneta em um tablet).

      Enfim, a diferença do mouse é que é (quase) como desenhar no papel, é mais fácil controlar as linhas e fica mais natural.


      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Esse post me fez desesperadamente querer um "Clube de Desenho", tipo o de escrita mas com um assunto que acho mais próximo de mim hauhauhahuauhauh PLMDDS DANA PRECISAMOS.

    Acho que não te falei mas eu fiz uma disciplina sobre ilustração de livros infantis na faculdade e mencionei o caso da sua mesa por 400 reais. Galera ficou chocada uhauhauhahauh porque até então a gente viu a história da ilustração e acho que ninguém conhecia muito sobre. Acho que o futuro do desenho tá mais presente do que imaginavam huauhuahuha. Achei engraçado também porque a maioria acha que a ilustração ia morrer ou perder o charme com os meios digitais de fazer (???). Penso tanto o contrário, acho que é uma transformação que só vai expandir a coisa e trazer novas possibilidades.

    Mas enfim. Acho que devo dizer também que amo acompanhar sua saga dos desenhos no instagram e que te admiro pra caramba pelo esforço <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. <3 <3 <3 HUAHUAH COMO ASSIM, TU NÃO ESCREVE??

      tu não falou dessa matéria não, mas chocada. Ainda mais com essa ideia de que com o digital ia morrer. Isso da maioria acha é de agora? Tipo maioria na sua sala, maioria onde? Porque sério, no meio digital que eu ando tem tanta arte, tanta coisa legal, bonita, diferente. O digital só expande o horizonte do que é possível, arrisco até a dizer que nunca se desenhou tanto quanto hoje e com a qualidade de agora, mas mesmo sem comparar - o digital é só um novo instrumento. A própria história da pintura é marcada por inovações técnicas. O que a gente tá passando é o surgimento de um novo instrumento pra criar arte, e o potencial da pintura digital é tão grande que a gente só tá começando a explorar. Fiquei surpresa porque nunca tinha parado em pensar em morte

      e fico feliz em saber isso <3

      Excluir
  4. Posta mais sobre esse assunto. <3

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM