identidade de gênero João Paulo Albuquerque

O que está por trás da linguagem neutra ''excludente''?

2.4.18João Paulo Albuquerque


Quem nunca passou por alguma discussão sobre a importância de linguagem neutra? Nem que seja só olhando, você sabe o quão essa discussão pode durar por dias e é extremamente exaustiva, mas importante, estamos discutindo sobre coisas que afetam nosso presente e poderiam ter sido pensadas há muito tempo. O problema é que a nossa Língua Portuguesa foi construída ao redor da ideia fortalecida pela Igreja de que gêneros são só dois, homem e mulher, o que faz praticamente ser muito difícil aplicar a neutralidade de gênero na escrita, mas principalmente na oralidade.

O argumento que é usado contra o uso da linguagem neutra utilizando o X é que se falarmos "elx, elxs, delx"é que o X é excludente com pessoas cegas, cujo usam programas que as ajudam e muitas vezes esses programas não reconhecem as palavras. O que de fato, acontece. O engraçado é que dizem "dizem que a linguagem neutra é inclusiva, mas ela é extremamente cruel" como se alguma vez houvessem se importado com pessoas cegas.

Sabe qual o problema? Ninguém tem razão de falar alguma coisa em defesa de quem é cego caso use abreviações (e não estou falando de abreviações reconhecidas pela nossa Língua Portuguesa, como sr. ~senhor~) de internet, como vc (você), blz (beleza), vlw (valeu), flw (falou), U (you = você/vocês), e muitos outros. Porque ninguém se importa com os cegos até que haja uma linguagem neutra apoiada e fornecida pela comunidade LGBTQ como um meio de identificação das pessoas que estão fora da binaridade de gênero. Aí sim é um motim, aí sim é excludente. É uma hipocrisia correndo por baixo dos panos.

Acontece que mesmo a Linguagem Neutra tendo seus problemas, ela ajuda milhares de pessoas na internet quando a nossa Língua ajuda e contribui para os seus apagamentos, principalmente levando em conta de que não-binários não tem uma passabilidade, porque as pessoas não chegam a considerar a sua existência.

Então... existiria um meio de conseguirmos ter uma linguagem neutra sem ter que usar X, E no lugar de O/A ou @ ? A resposta é sim. Por mais que possa parecer estranho no começo, podemos usar palavras que na nossa Língua não expressam um gênero especifico, como autoria, presidente, amigo, pessoa, indivíduo, entre tantas outras.

Mudar frases como:

"Que cara lindo."

"Preciso comprar um colar para o meu amigo."

Para:

"Que pessoa linda."

"Preciso comprar um colar para meu amigo."

Viu? Sutil, mas perceptível. Falando "pessoa" ao invés de cara/mina você está reconhecendo que existem pessoas que não são caras ou minas. E ao invés de falar "o meu amigo", tirando o O, neutraliza o amigo deixando "amigo" como uma palavra neutra que pode se referir à qualquer gênero.

Não custa nada você pegar um pouquinho do seu tempo para perceber que é simples dar um pouco de si para melhorar o dia de várias pessoas e reconhecer as identidades delas. <3

Um texto que indico e um vídeo para acrescentar mais sobre o assunto: "Deixando o X para trás na linguagem neutra de gênero, por Juno" e Hugo Nasck.

TAGS: , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

2 comentários

  1. Oi, Jota!

    Ainda não consigo ver neutralidade em "Preciso comprar um colar para meu amigo". O artigo está implícito. Até porque existe a palavra "amiga". Mas entendi a ideia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Felipe!

      Então, "amigo" sem o artigo, apesar de ainda ser usualmente vista como uma palavra masculina, sem o artigo indicador você pode usar sem necessariamente estar falando de um homem. São alternativas para tornar nossa língua mais neutra, apesar de algumas palavras ainda serem consideradas femininasxmasculinas.

      Abç :)

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM