CCLivros CCResenhas

Caçador em Fuga

6.7.17Eduardo Ferreira


Caçador em Fuga conta a história de um planeta colônia chamado São Paulo. Habitado por brasileiros, Mexicanos, Jamaicanos, Porto riquenhos, alienígenas e sabe se deus mais o quê e há anos de distância da Terra, São Paulo é onde Ramón Espejo foi à procura de uma vida melhor. Mexicano e cabrón, Ramón é a descrição exata de pior macho da face da terra (no caso de São Paulo). Machista, beberão e agora talvez um assassino?

Ramón acorda num lugar escuro e não se lembra de nada da noite anterior, mas não há dúvida de que foi ele quem assassinou o embaixador de Europa. Com medo de ser pego, ele decide ir para o norte do planeta, um lugar inabitado e desconhecido, mas que pode não ser apenas o lugar onde poderá garimpar e enriquecer, mas também fugir da civilização que está numa caçada pelo assassino do embaixador.

O que ele encontra em Sierra Hueso é algo que ele nunca imaginaria encontrar: uma espécie alienígena se escondendo dos seus predadores. O que vem em seguida é uma sucessão de plot twists e uma bela exploração da natureza humana.

Logo no início do livro eu não me simpatizei em NADA com o personagem principal e quase desisti da leitura. Não foi por ter uma personalidade forte, mas por ser a verdadeira definição de embuste, Porém, confesso que dei uma outra chance e o que me fez continuar foi a forma como a trama do livro te envolve logo no começo e a constância do desenrolar dos segredos.

Mas também, essa coisa toda de logo no começo odiar o personagem principal deu uma dimensão diferente para o livro. Eu não torcia por ele e não gostava dele mas tinha alguma coisa lá no fundo querendo continuar acompanhando a sua história.

Escrito pela parceria entre George R. R. Martin, Gardner Dozois e Daniel Abraham, o livro tem toda uma construção de mundo incrivelmente bem feita e completamente nova. A ideia de um futuro da humanidade descravador do espaço não representa o progresso e sim o completo fracasso da humanidade é algo que rema contra a maré dos clichês.

"A humanidade planejava espalhar suas sementes por todo o universo, tal como faria o filho de algum alto conselheiro no bordell de alguma cidade portuária, mas acabou desapontada. O universo já estava ocupado. Outras raças cheias de sonhos estelares tinham chegado primeiro."

Quando a gente pensa em uma humanidade que consegue colonizar um planeta novo, logo pensamos em progresso e sucesso, mas a verdade é que a realidade de São Paulo é completamente diferente e transcreve tão perfeitamente a capacidade do ser humano de não prosperar e perceber que a sua espécie não passa de uma mera presa.

Em um acordo com as raças alienígenas, Enye de Prata, Turu e Cian, os humanos eram levados para novos planetas sempre que esses planetas inabitados fossem descobertos. Para servirem apenas como colonizadores desses lugares hostis e desconhecidos.

“Ele tinha deixado de se ser um nada na terra para ser um nada na colônia.”

Depois de ler 5 livros de Martin, fica difícil não reparar nas suas característica narrativas e no quão importante é pra ele ter um universo bem construído e mostrar isso para o leitor. E eu não tenho nada a reclamar aqui, porque eu não esperava muita coisa (e muito menos todas aquelas reviravoltas), mas me surpreendi bastante durante a leitura a ponto de querer aproveitar cada minuto livre do dia para ler esse livro.

O nome Caçador em Fuga pode enganar um pouco. Esse livro é sobre tantas outras coisas que apenas três palavras não poderiam descrevê-lo.


Livro: Caçador em Fuga

Autores: George R. R. Martin, Gardner Dozois e Daniel Abraham

Editora: LeYa

Paginas: 304

Comprar: Saraiva, Submarino, Buscapé - Compare preços.

No Skoob


Este livro foi disponibilizado em uma parceria com a Editora LeYa 💙


TAGS: , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM