clube de escrita Dana Martins

Clube de Escrita: Os anos que eu achava que não podia escrever

21.5.17Dana Martins


Eu tava conversando com a Giovanna que respondeu o Batdrama (a minha newsletter, se inscreva aqui e divulgue pra os amigos, pf) sobre escrita e aí eu contei uma mini-história pessoal que eu adoro contar e decidi colocar aqui no ConversaCult pra vocês aproveitarem também.

Lá pelos 13 anos eu descobri fanfic e a partir daí EU. ESCREVIA. TODO. DIA. O. DIA. TODO. era quase isso, mas escrevi muito. Escrevia no msn (!) com a minha amiga. tinha um flogão (!) de história. até que lá por volta dos 15 anos, não só fui ficando mais velha, quando começou no mundo das fanfics uma onda de Betas™ e sacanear histórias que não tinham gramática perfeita.

(sério, as fics eram tipo:

Dave e Pie foram pra praia nesse dia sabe koe eles kiseru andar di carro mas n tinham carro e ae qq eles fizeru? Robaru um carro

Pie: bora la pega um carro
Dave: agent naum tem carro pie
Pie: bora roba entao
Dave: nao q eu naum so ladrao
Pie: entao vo sozin 
Dave: TA VO COM VOCE

e eles foram roba o carro.)

Não tenho nem mais capacidade de escrever o dialeto de internet que eu usava na época, só sei que era pior que isso. 

Na época pra mim tava ótimo, pra os meus vários leitores tava ótimo. Até a onda do Português Correto™ invadir e eu, por não saber escrever de acordo com o aceitável, fui pega por isso. 

Aí eu comecei a desenvolver uma crença: eu não sei escrever.

Eu não sei escrever.

Eu não consigo escrever.

Eu tenho várias ideias, mas escrever em si? Não consigo. Gramática Correta™ era algo que eu não dominava, não sabia nem por onde começar. Isso já lá nos meus 15 anos. Montar história é difícil. Nunca sei como terminar. Eu não sei escrever.

Então parei de escrever.

E comecei a juntar crenças do tipo "eu até tenho ideias pra história, mas nunca sei o final", "eu só sei o início da história" ou "eu só sei o final da história" (foram anos, deu pra fazer um passeio gourmet em várias crenças de Por Que Eu Não Sei Escrever™). 

Agora que eu tô falando do futuro, eu posso dizer com segurança sobre coisas que eu nem percebia na época: eu continuei escrevendo. Tinha vários arquivos com trechos de histórias nas pastas do computador (na maior parte fanfic). Tinha até uma fanfic do My Chemical Romance escrita em guardanapo num restaurante. Só que sei lá, eu nem tinha consciência do que tava fazendo.

Eu só sei que só com 19 anos é que eu comecei a repensar escrita (eu tava planejando uma história de zumbis) (tenho 25 e estou aqui, planejando uma história de zumbis) e, ainda assim, não levei a sério.

Com 20 anos, depois de ficar frustrada com a HQ de origem do Homem-Aranha (tão simples, tão chato...), eu decidi escrever no formato de livro a origem do Homem-Aranha. Aí eu abandonei e quando o Paulo (que era do ConversaCult) (triste em dizer isso no passado) me apresentou o Camp NaNo de julho (um desafio de escrita), eu entrei já na metade com uma história de super-heróis própria, só que acabei abandonando depois que o mês acabou Em novembro veio o NaNoWriMo oficial, que eu acabei começando com OUTRA história. O que importa é que, mesmo aí, ainda não me via como escritora e nem levava isso a sério. Só entrava nos NaNoWriMo por diversão. E tentava concurso de conto ou fazia pra onde era chamada porque sim. 

(eu acho que não sabia dizer não. acho também que eu não fazia ideia do que tava fazendo. às vezes não saber o que tá fazendo é bom porque em vez de preocupar a gente faz)

Eu acho interessante que, novamente, eu tava buscando a escrita, sem ter consciência ou me levar a sério. 

Quando é que eu parei e pensei "caramba, eu quero escrever histórias, é isso que eu quero fazer!"? Não faço ideia. Algum momento nos últimos 5 anos.

Agora já me distraí e tava indo embora, mas o ponto é que: EU PASSEI ANOS ACREDITANDO QUE EU NÃO CONSEGUIA ESCREVER, QUE EU NÃO PODIA ESCREVER. E apesar de não saber quando eu vou escrever uma história completa que Preste™, agora eu tenho muito mais controle sobre a minha escrita. Eu sei que posso terminar as histórias que eu quero fazer. Eu posso sentar e trabalhar em uma história. Eu quero aprender também a fazer roteiro de filme e quadrinhos (e trabalhar em jogos....). 

Só que eu olho pra trás, eu olho pra os anos que eu não sabia o que tava fazendo e não tinha o menor controle. Pra dana adolescente que não se achava boa o bastante porque não sabia escrever serto. E aí?

E aí que às vezes quando eu penso em encorajar alguém, eu lembro dessa Dana. Eu penso que a maior parte do que eu digo hoje não serviria nada. "Não sei escrever", eu ia dizer. Por quê? "Não sei, não consigo". Eu não lembro muito o que eu pensava na época, mas lembro que tudo parecia tão certo, tão definitivo. Do que ia me adiantar pressionar? DANA, VOCÊ TEM QUE ESCREVER, FAZ ISSO, FAZ AQUILO. 

Mini Dana:



Então eu penso que a gente passa pelas próprias experiências, que pode ser que agora você não esteja escrevendo como eu, mas também foda-se. Eu passei anos sem escrever, anos acreditando que eu não sabia fazer isso, anos achando que eu precisava de alguém, anos escrevendo fanfics mal escritas, anos escrevendo histórias abandonadas pela metade, mas no fim eu cheguei aqui de qualquer forma. 

É claro que se eu tivesse um guia, alguém ali me mostrando que eu posso, tendo paciência, me ajudando a melhorar e ensinando como escrever gramática direito - wow, seria ótimo. (curiosidade: o word que me ensinou a escrever "direito") (só no 3º ano que eu estudei em uma escola que presta e ainda assim não tinha aula de redação porque deu problema com a professora) (pra não dizer que foi tudo de jogar fora, por meio semestre no 1º ano eu tive um professor que gostou do que eu escrevia e quis me incentivar) (mas sabe como é... escola... as coisas ficaram pra lá... e eu mudei de escola)

Enfim, o que importa é que você ter dúvida sobre o que tá fazendo e se você pode fazer é só uma prova de que você tá tentando. E, tipo, a cada vez que você erra, tá mais próximo de conseguir.

Pensa que você tem um molho com 293873298329823 chaves tentando abrir uma porta. Você vai testando um por um. Só porque a porta não tá aberta agora, não quer dizer que uma das chaves não vá abrir. 

Só você pode saber o que é certo pra você, aí no seu coraçãozinho. Deixa o seu coração falar, se permita fazer merda e errar. 

E pode ser também que o que você precise é ligar o foda-se e fazer de zoeira uns desafios, escrever só por escrever. Então vou deixar aqui o convite que em julho de um Camp NaNoWriMo - caso você não saiba o que é, eu já falei aqui.

Eu também tô no twitter @danagrint, se quiser discutir ideias, fazer desafios ou qualquer coisa junto comigo. Eu costumava participar do grupo do Clube de Escrita e era interessante que eu perguntava todo mundo o que tavam escrevendo e a gente se dava suporte. Agora não quero nem chegar perto de facebook, mas tô literalmente sempre falando de escrita e se quiser falar do você tem feito, adoro saber também.

Às vezes eu sinto falta de falar com as pessoas sobre escrita. 



Lembrei agora que essa é uma das razões de eu ter criado o Batdrama. Mas ainda assim. Alguém faz um grupo (???????). Tinha que ter como fazer grupo no twitter(??????). Ok, não. 

Enfim, até mais. Espero que isso te ajude de alguma forma a escrever.

minha newsletter!!! yeeey

TAGS: , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *