Ariel Carvalho Carol Cardozo

Florzinha é o caralho

8.3.17Conversa Cult


Chegou o dia 8 de março, o dia onde a mulher é celebrada. Onde somos lembradas, festejadas, presenteadas com flores, chocolates, felicitadas pelo milagre que é ser mulher.

E nesse dia é que nós temos que bombardear as pessoas com informações, com posts, com revolta, com luta. Porque parece que esse é o único dia onde somos ouvidas.

Então, parte da equipe feminina do CC vem nesse post pra dizer o que gostaria de ganhar nesse Dia da Mulher.

>> ARIEL


Conforme os anos vão passando, o dia 8 de Março vai se tornando cada vez mais insuportável para mim. Insuportável porque eu recebo mensagens dizendo que somos as flores de Deus, que sem nós não existiria a vida, mas também recebo mensagem falando que o dia original das mulheres era 6 de março e as mulheres demoraram 2 dias para se arrumar.

Cê só pode estar de sacanagem.


O dia internacional da mulher não foi feito para se comemorar ou dar os parabéns pra sua amiga e sua mãe. É um dia que lembra toda a luta que tivemos para chegar até aqui e que serve como lembrete de que nós ainda estamos muito longe de onde deveríamos e poderíamos estar.

Não adianta fazer homenagem no dia de hoje e continuar perpetuando mitos, aceitando os machismos do dia a dia (aquela piada de loira burra, por exemplo, ou a famigerada "friendzone"), e dando continuidade à cultura do estupro.

Troca as flores e a mensagem de WhatsApp dizendo que mulheres são lindas por um pouco de compaixão e estudo; tente entender a luta das mulheres e se educar. Sei que desconstruir machismos é um processo longo, cansativo e difícil, mas saímos dele pessoas muito melhores - e mais empáticas. Procure ler sobre o feminismo e suas pautas e, mais importante ainda: consuma conteúdo feito por mulheres.

No mais, estamos aqui caso precise conversar sobre o assunto. Juro que não mordemos, e podemos ser bem legais - se você também for legal conosco.

>> BELLS

Já faz uns anos que o Dia Internacional da Mulher me deixa irritada. 

Eu fico irritada em ver tantas felicitações, tantos parabéns, gente entregando florzinhas e presentinhos quando no resto dos 364 dias do ano continua tudo a mesma merda. Continuamos a ser assassinadas e violentadas de todas as formas possíveis, em todas as intensidades existentes. Continuamos tendo que gritar pra nos fazer ser ouvidas, a lutar 3 vezes mais pra alcançar um lugar que o homem já tem "por direito". 

Então o que eu quero com esse dia? Luta. Eu quero que todo mundo se lembre do quanto conquistamos, mas do quanto ainda temos MUITO pra conquistar. Eu quero que cada pessoa pare e pense sobre como age em relação a mulher, seja essa pessoa de qualquer gênero. Eu quero as nossas pautas sendo discutidas, debatidas, se tornando projetos. Eu quero mais luta, não chocolates, até porque isso a gente pode ganhar em qualquer dia, ao contrário da equidade.


>> CAROL

Eu quero que a gente possa fazer a porra que quiser sem precisar seguir nenhum livrinho de regras, de nenhum dos lados. Quer depilar a perna, fazer escova, ter uma penca de filhos e cuidar da família? Vai fundo. Quer ficar com a perna que nem um urso, usar o cabelo natural, não ter filhos e querer viajar o mundo com sua carreira? Vai fundo também!

Eu quero que possamos andar pela rua sem se preocupar com a roupa que estamos usando, sem ter a paranoia de que aquele cara mexendo contigo e te olhando estranho vá acabar te estuprando. E caso você esteja lendo isso e pensando "É só não usar roupa curta", receba o meu mais sincero: VAI TOMAR NO MEIO DO OLHO DO TEU CU. Países do Oriente Médio tem índices altíssimos de estupro e mulheres usam roupas que cobrem todo o corpo, às vezes só aparecendo os olhos. O OLHO SEDUZ O HOMEM A PONTO DELE NÃO CONSEGUIR SEGURAR O PINTO DENTRO DAS CALÇAS? HEIN?? PORRA.

Vá se fuder, eu hein.

Eu quero parar de ouvir piadas, de ser estereotipada, de me sentir errada, de me sentir calada. De achar que eu tô falando merda só porque algum cara vem falar por cima de mim. Parar de me invalidar, de duvidar de mim mesma.

Eu quero respeito, pra todas. Pras mulheres cis e pras mulheres trans. Quero que todas não sintam medo simplesmente por existir.

>>DANA


Olha, vou dizer que eu não recebo nenhuma dessas mensagens não e acho que nem nunca ganhei presente nenhum no dia das mulheres. HUAHAUHA Na verdade, acho que minha experiência sobre dia das mulheres tem sido bem isolada e no momento eu só tô cansada. 



Eu ia ficar feliz com flores, chocolate e se trouxer comida pra mim, melhor ainda. Mas principalmente, eu ia querer isso não porque eu sou mulher, mas porque você realmente se importa por mim como pessoa e gostaria de me ver feliz e ser uma pessoa carinhosa que pensa em me fazer bem. Fazer isso não porque eu sou uma mulher, mas porque eu sou a Dana e eu, Dana, tô com fome fico feliz em ganhar isso - enquanto pra outras mulheres, elas podem preferir um churros, sair pra beber, um livro de engenharia ou nada. Sei lá, são outras pessoas com outros gostos. Mas principalmente, eu queria que esse carinho e consideração se expandisse pra os outros dias, pra quando eu falo algo, pra quando eu preciso de apoio e espaço pra questões pertinentes a mim, como mulher. 

Eu quero as flores e o chocolate quando eu mostrar que não é aceitável dar Oscar pra um cara que abusa mulheres. Eu quero as flores e o chocolate depois de resistir a assédio - não um "você não deveria se vestir assim" ou "não deveria tá bebendo". Eu quero as flores por aguentar esses 923832239 filmes de homem branco sendo super-herói enquanto eu preciso me ver na moça que faz um comentário esperto, dá um soco bonito e precisa beijar um homem em algum momento. Eu quero todas as minhas flores e chocolates, porque na vida real a gente é obrigada a sorrir com as flores quando o homem vai salvar o dia. Vai tomar no cu. 

Aliás, quero minhas flores por ter tido a sorte e privilégio de poder mandar toda essa palhaçada tomar no cu, por resistir. Porque se eu vou só ganhar flores por ser conveniente - isso não é celebrar mulher. É celebrar o controle sobre a mulher

>>TAIANY

Eu não tenho nenhum problema com o dia 8 de março, se as pessoas querem mandar mensagens, flores etc etc, estou ok com isso. O problema tá no fato de parecerem ter esquecido o porque esse dia passou a ser celebrado, no fato de acharem que um "Feliz dia das mulheres" é suficiente. SÓ RINDO MESMO. Não seria mais lógico nos pergunta o que queremos? Nós temos voz, e queremos usa-la. O que nos adianta um dia no calendário quando nossa voz continua apagada?

Esse dia era para ser um dia de conscientização, mas parece que esquecemos disso. Eu não quero só promoções em lojas, podem até fazer (promoções sempre são bem vindas), mas eu quero mais. EU QUERO MULHERES SENDO OUVIDAS, EU QUERO MULHERES TENDO SEUS DIREITOS RESPEITADOS, EU QUERO A SOCIEDADE DISCUTINDO AS QUESTÕES FEMINISTAS, e não quero isso só hoje, eu quero isso todos os dias. Celebrar que existimos hoje e nos deixar sermos estrupadas, assassinadas, subjugadas, esquecidas amanhã não faz o menos sentido para mim.

Então mesmo que ninguém tenha me perguntado, vou dizer o que gostaria de ganhar, e são coisas aparentemente tão pequenas. Eu gostaria que não me perguntassem sobre possíveis namorados, que não se chocassem e fizessem enormes discursos quando digo que não sei se quero ter filhos, gostaria que não colocassem meu corpo como o parâmetro de beleza, gostaria de poder sair a noite sem medo, ou melhor, de não desistir de sair por medo. Eu gostaria de ser reconhecida por quem sou. Há mulheres que desejam outras coisas, coisas iguais, parecidas ou diferentes das minhas, e o que mais desejo é que essas mulheres, todas as mulheres possam falar de si, possam expressar o que desejam, serem ouvidas e respeitas nas suas escolhas. E quando digo mulheres, são todas as mulheres, vocês sabem quem são, NUNCA se ache menos mulher ou mais mulher, somos todas mulheres na nossa singularidades e merecemos existir nesse mundo como qualquer outro ser vivo.


***

Eu acredito de coração que as garotas constituem uma força revolucionária da alma que pode e vai mudar o mundo de verdade
(Manifesto Riot Grrl, escrito por Kathleen Hanna)



E caso alguém tenha achado o texto meio agressivo, foda-se.

"Eu tenho a porra do direito de ser hostil"

TAGS: , , , , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM