CCLivros Dana Martins

Rick Riordan e Diversidade

23.12.16Dana Martins


As pessoas podem reclamar do Rick Riordan "chutar o cachorro morto" mas ELE PODE CHUTAR TODOS OS CACHORROS MORTOS QUE ELE QUISER. Porque...

(obs: esse texto é uma tradução)

Rick Riordan tem ativamente incluído mais personagens diversos em todos os seus livros para representar mais crianças. Personagens em seus livros incluem:

  • Uma valquíria árabe-americana (Magnus Chase)
  • Um elfo mudo que usa linguagem de sinais (Magnus Chase)
  • Um filho de Hefesto hispânico (Heróis do Olimpo)
  • Uma meio-Cherokee filha de Afrodite (Heróis do Olimpo)
  • Um chinês filho de Marte (Heróis do Olimpo)
  • Um deus/adolescente bissexual (As Provações de Apolo)
  • um casal de mesmo gênero feliz e amoroso, Nico e Will (As Provações de Apolo)
  • Um anão homem que ama fashion e design (Magnus Chase)
  • Uma filha de Plutão negra (Heróis do Olimpo)
  • Uma pessoa genderfluid/trans entre os guerreiros escolhidos de Odin (Magnus Chase)


e esses são todos que eu lembrei de cabeça agora!

Quando Rick Riordan falou que Nico, um filho de Hades na série bestseller Heróis do Olimpo, é gay, as pessoas perguntaram "Por que?" e ele disse que queria que as crianças se vissem em seus livros e que todas as crianças precisam poder se ver em literatura e encontrar reafirmação de que elas estão certas do jeito que são. 

Então diferente de algumas pessoas que chutam o cachorro morto e nem tentam ser diverso (*tosse*JKROWLING*tosse*), pelo menos Riordan está constantemente adicionando mais e amis jovens heróis e heroínas que são diversos, bem desenvolvidos e importantes.

ISSO É MARAVILHOSO E EU VOU COMPRAR CADA UM DE SEUS LIVROS CHUTANDO O CACHORRO MORTO FIGHT ME

-----------------------

ALÉM DISSO, Rick Riordan está lançando agora a própria "editora" com mais livros de mitologia para crianças, e não vai ser ele mesmo que vai escrever os livros, mas a ideia é encontrar autores diversos para escrever livros de mitologia sobre suas próprias culturas. Aparentemente, ele tem recebido toneladas de cartas tipo, "Faz com mitologia indiana da próxima vez! Faz algo sobre os mitos de polinésia!" ou algo assim, e ele ficou tipo "Essas não são as minhas histórias pra contar, mas me deixa encontrar pessoas que PODEM escrever esses livros pra você, e fazer esses livros existirem" e isso é tão incrível de todas as maneiras. VAI EM FRENTE, RICK RIORDAN


-----------------------


QUE HOMEM INCRÍVEL ISSO ME ANIMA TANTO JESUS

-----------------------


Ah e eu esqueci de adicionar a (sempre esquecida) série sobre o Egito que teve dois protagonistas birraciais e um relacionamento que poderia ser argumentadamente visto como poliamor saudável. 


-----------------------


Se eu me lembro bem, TODO O PROPÓSITO dele ter escrito os semideuses originalmente em Percy Jackson e os Olimpianos terem dislexia e TDAH foi para dar ao próprio filho (que tem TDAH e dislexia) um herói como ele.



------------------------------------------



Lembrete que eu não posso afirmar sobre o qualidade, considerando que eu ainda não li nenhum livro além de Percy Jackson (MAS JÁ TENHO ATÉ UM BOX AQUI PRA LER, OK??), mas acho que o que o Rick Riordan mostra perfeitamente como lidar com a situação. Por exemplo:

Não ser um babaca e ignorar a importância de representatividade
Não dizer que você tem representatividade quando você não acrescenta nem 2 palavras a mais no texto original pra dizer que tem
Se esforçar pra ir melhorando e incluindo, mesmo que não tenha feito no passado

E, principalmente, criar essa iniciativa pra buscar autores diversos pra contarem a própria história é simplesmente perfeito. Eu não sei se isso aconteceu/vai acontecer/como vai ser, mas a ideia por si só é perfeita. Esse escritores muito famosos tem os recursos e, se não isso, pelo menos o poder de palavra pra divulgar autores/histórias mais diversas. E esse suporte é muito importante.

Além disso, a forma como ele lida com a situação cria um ambiente muito mais saudável pra minorias falarem sobre as próprias experiências e pedirem pelo básico que é existirem também em histórias (de maneira positiva), porque não coloca em uma posição minoria vs. autor e ninguém perde tempo brigando com fã que quer ignorar os problemas pra ver seu ídolo como perfeito.


--------------------

Aproveitando pra indicar o Batdrama, que é a newsletter semanal que eu escrevo, é só clicar nesse link pra se inscrever. Lá eu compartilho as minhas descobertas da semana, links tipo esse e comentários menores que não cabem em um post. É sobre cultura pop, representatividade, escrita e a vida.

TAGS: , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

3 comentários

  1. Nunca li nada do Rick Riordan, mas achei muitooo bacana saber que ele inclui diversidade "de verdade" nos livros dele. Uma autora que também fez isso de um jeito fofo é Nicola Yoon, no livro Tudo e Todas as Coisas - ela usou a própria filha como inspiração para a protagonista e, além disso, ela sempre realiza trabalhos e atua em suas redes sociais a favor da diversidade.

    Beijão e bom Natal!
    Aline - Livro Lab

    ResponderExcluir
  2. Tô impactado com essa iniciativa do Rick Riordan de fundar essa editora para abrigar histórias de outras culturas. QUE AMOR, GENTE.

    ResponderExcluir
  3. nao é um duende, é um anão, ou estou errado ?

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM