CCAnálise CCSéries

S4 de Orange Is The New Black: white lives matter

4.10.16Dana Martins


(essa imagem representa essa temporada tão bem que tô até assustada)

Terminou a 4ª temporada de Orange Is The New Black e...

a sensação geral é de dizer: muito bom. Mas é?

AVISO DE SPOILER
TÔ COMENTANDO A 4ª TEMPORADA
É LÓGICO QUE TEM SPOILER

A série começou e eu tava me sentindo muito mal. O primeiro episódio me deixou enjoada. Pela história em si, porque vamos usar o clichê - Orange Is The New Black é esse tipo de história. Não é a história bonita. São pessoas fodidas. São basicamente uma coleção de histórias trágicas, se você pensar. Nós sempre assistimos torcendo para o herói se safar, só que OITNB, por ser uma história de prisão, já são histórias que a pessoa não conseguiu. Mais do que isso, não são histórias sobre heróis - são sobre vilões.



E OITNB, uma série, tem outra dimensão quando trata disso, porque de certo modo eles pegam as pessoas condenadas no mundo real, aqui fora, que são as minorias e cria histórias refletindo sobre isso. 

É por isso que eles exploram sexualidade mais livremente, e discutem a forma como mulheres mais velhas são descartadas, e estupro, e racismo. Não tem um episódio da série que não é uma alfinetada nessas merdas todas consideradas normais. 

E isso é poderoso, porque Orange Is The New Black é uma série, famosa ainda, que por isso valida essas perspectivas. 

Eu to falando essas coisas, porque eu acho que pra discutir o que eu quero aqui, a gente tem que entender o que é Orange Is The New Black (uma série voltada para mostrar o outro lado, a perspectiva do condenado) e a importância disso na cultura pop (eles são os únicos mostrando isso, em vez de só perpetuando narrativas nocivas). 

Mas então, eu comecei a assistir, e comecei a me sentir muito mal por causa da história ruim, e do fato de que por causa dos últimos meses da minha vida e de ler sobre o Poussey Deserved Better, eu comecei a ficar consciente das merdas que eles tavam fazendo.

NÓS. NÃO. PRECISAMOS. QUE. A. TV. MOSTRE. BRUTALIDADE. DA. POLÍCIA. COMO.
UM. ACIDENTE. CAUSADO. POR. INDIVÍDUOS. BEM. INTENCIONADOS. QUANDO.
JORNAIS. JÁ. HUMANIZAM. OFICIAIS. DE. POLÍCIA. BRANCOS. QUE.
MATAM. E. NEGA. A. CULPA. DELES.
(fonte)


Continuei assistindo, a história foi ficando mais envolvente, mais deprimente e com raios de coisas problemáticas (racismo, machismo, bifobia..). 

Algumas me deixaram muito irritadas, tipo:

Apagamento da bissexualidade (esse trecho eu decidi publicar em separado aqui). 

Outra coisa que me incomodou foi o desenvolvimento da Doggett em relação ao estupro. Quer dizer, foi interessante, porque você acompanha como o cara é um filho da puta que não reconhece que a estuprou, e você vê que a vítima às vezes se perde no ciclo abusivo porque "ele era legal!!" e é bom que ela tenha dado o fora nele no final. Só que a narrativa foi muito mais centrada nele do que nela. Foi quase um "aqui homem estuprador, o que você tem que fazer". 


Aliás, é o mesmo que eles fazem no final. Eles centralizam a morte da Poussey no policial coitadinho, que deu o tiro por acidente (enquanto, na vida real, não é acidente). Eles centralizaram a morte da Poussey naquele bigodudo e na ironia da mídia. Não é uma história sobre o Black Lives Matter ou para pessoas negras, é a história do Black Lives Matter e de pessoas negras pra satisfazer gente branca. 

Também tem toda a questão do racismo e diferentes grupos étnicos na prisão. Acho que isso diz muito:


É uma série que discute muito o fato de serem negras, latinas, asiáticas e mostra muito racismo, só que é tudo contado por gente branca. Não tem como isso não dar errado. 

Uma coisa que a minha amiga comentou, e faz muito sentido, é que ainda mais por Orange Is The New Black também ter esse tom de comédia, fica mais tenso ainda. Eles estão aproveitando pra dar alfinetada, ou fazendo piada das pessoas que protestam? E se tinha gente rindo em A Garota Dinamarquesa, quem disse que a audiência vai diferenciar?

Isso é muito problemático, ainda mais quando você tá contando uma história que não é sua e ainda mais quando, como o tweet acima mostra, pessoas do grupo representado no mundo real acham que é ruim.


Acabei de lembrar que quando a temporada saiu, a Diane Guerrero (atriz que faz a Maritza), foi em um programa de televisão, e a atriz é imigrante nos Estados Unidos. Então perguntaram algo tipo: você comeria rato pra ajudar a sua família? E aí você vê a atriz, super desconfortável, falando que sim.

CARALHO.

Tem noção disso? Tem noção de que pras pessoas assistindo é só uma história impactante da garota que comeu um rato, que você faz brincadeiras, do mesmo modo que as dificuldades de imigração nos Estados Unidos são só uma história emocionante.

É. por. isso. que. mandar. mensagem. desse. jeito. não. adianta. 

Você não tá dando uma lição de moral pra ninguém, porque se depois de assistir essa temporada tu não tá indo atrás e lutando pelo Black Lives Matter, você não aprendeu nada. Eu não aprendi nada. Foi só uma história brutal pra me emocionar, que tá pouco se fodendo pra realidade das pessoas que nós estamos vendo representadas ali.





A série tem um próprio exemplo da situação.

Quando a Judy King tá indo embora da prisão correndo pra não se misturar no problema, e a yoga Jones tá desesperada pedindo ajuda - afinal, a Judy King é famosa, tem recursos, se ela se posiciona sobre o que aconteceu, dá pra fazer muita mudança. Mas ela só quer tirar o dela da reta.

Quando no mundo real estão pedindo pra os escritores de Orange Is The New Black fazer algo, e eles ignoram, eles só estão tirando o deles da reta.

"Mas é só uma série!" Se é só uma série, é pior ainda. Porque independente de ser uma série ou não as coisas que eles estão mostrando ali são verdades, aquela injustiça e impunidade é verdadeira, o racismo e machismo e homofobia são reais. Se é uma série, e nada disso importa, se nada disso não te faz mudar como pessoa no mundo real e refletir sobre essas ações...

Estão só pegando sofrimento dos outros pra entretenimento de privilegiado. 

Eu me sinto muito mal com tudo isso, é muito nojento, é muita hipocrisia. Eu fico imaginando o pessoal assistindo isso, falando "caraca, história foda!" ou "maior lição, eles foram longe!" - enquanto as pessoas reais são ignoradas. Você consegue ver a ironia? É uma história injusta discutindo a injustiça, e se a gente não leva isso a sério no mundo real... o que que tá acontecendo, então? É piada? A vida dos outros, estupro, Black Lives Matter, sexualidade... é tudo piada?



No geral, ir assistindo a série foi ficando melhor. No início eu sinceramente não queria mais assistir OITNB, não queria perder meu tempo vivendo nesse mundo, nessa dramatização da vida de minoria e desrespeito. Não preciso ficar vendo coisa pesada gratuitamente, só pra me sentir pseudo-intelectual ou sei lá por que as pessoas assistem essa série. Como eu li na internet: trauma porn. 

Só que eu fui me envolvendo, as histórias foram se aprofundando e o tema principal de privilégio branco ficando mais poderoso. Sentimentos conflitantes.

No fim, eu prefiro que Orange Is The New Black exista, porque a gente tá na merda. É melhor isso que nada. 

Mas a pergunta que fica é: se eles realmente se importam com isso, e entendem a importância, por que não colocar escritores negros na equipe? Por que não deixar as pessoas negras e latinas e LGBT+ contarem as próprias histórias? Promover escritores dessas minorias, porque depois que esse experimentozinho de cadeia acabar, quem vai contar as histórias deles?


Foi bom, melhor que a última temporada tanto em termos de assistir quanto de temas e críticas sociais, mas peca feio por ignorar pessoas reais (roubando a narrativa delas) e virar um trauma porn. Em termos de entretenimento, é muito bom. Pena que é só isso. 



--------------------

Em outras notícias, o Batdrama agora é enviado por email, só se inscrever nesse link. Falo sobre vida, cultura pop, representatividade e escrita. São coisas mais passageiras que não cabem num post, mas são legais de compartilhar. 

TAGS: , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

1 comentários

  1. Hello, Dana.
    Quando assisti essa temporada, também tive vários sentimentos conflitantes sobre para quem a historia estava sendo contada e principalmente sobre A FORMA que estava sendo contada. É engraçado, porque você assiste a serie, vai no twitter, comenta com amigos e todos estão dizendo a mesma coisa "MELHOR TEMPORADA DE ORANGE IS THE NEW BLACK" e você fica se perguntando se por acaso, assistiu a um show diferente com o mesmo nome. Lembro que conversando com uma amiga no wpp disse que não entendi o que elas estavam tentando fazer com a serie e ela me respondeu que pelo menos o shipp dela teve muitas cenas "fofas" (Alex e piper, no caso).
    Isso me fez parar pra pensar que a gente ta muito propicio a aceitar que façam merdas com nossos personagens preferidos só pelo fato deles terem CRIADO nossos personagens preferidos. A gente quer tanto gostar da serie que ignora. Até porque, ainda tem uma dezena de outros personagens que amamos, e temos que esperar os escritores ferrarem as historias. Claro que tem mais coisas por trás, mas creio que isso ocorra com muita frequência devido a carência de ter histórias contadas por outras vozes.
    A cena do rato foi totalmente deplorável. Submeter a atriz aquilo pra mensagem passada ser qual? "impunidade policial existe" Amigo, disso a gente já sabia. É a quarta temporada não a primeira hsauusahuu
    Juro que quando acabou fiquei esperando uma moral da historia mas é aquele ditado: Não vai rolou.
    Espero não ter dito nenhuma besteira.

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *