amizade amor próprio

Eu aprecio você porque você me aprecia.

22.9.16Carol Cardozo



Sabe aqueles comentários que te fazem se sentir amado, lembrado e especialmente, não se sentir um estranho bizarro?


Que te deixam desse jeitinho
Esse texto é sobre eles.

É bem complicado quando se tem uma auto-estima no nível do pé (felizmente ando melhorando bastante nisso. A minha tem estado no nível da cintura, talvez? HAHAHAHAHAHAH). Tudo o que você faz você acaba se comparando com outras pessoas, e não só isso: você acha que é um lixo e obviamente a outra pessoa é melhor no que quer que você esteja pensando.

Aí vem uns comentários aparentemente aleatórios, mas que acabam te deixando feliz, porque ei, as pessoas não acham estranho você quotar cenas inteiras de séries, ou de devotar grande parte do seu tempo vendo gifs de determinado assunto no Tumblr, ou por você ter um amor profundo por autores de literatura do leste europeu dos anos 1930.

Coloca uma coisa na sua cabecinha, amiguinhe que está lendo agora (e juro que estou colocando isso na minha cabeça também): 

Via Bolos confeitados motivacionais e agressivos , essa página maravilhosa.
Nós somos amados, sim. Somos amados com tudo que nós temos, com nossos defeitos, nossas qualidades e especialmente as qualidades que nós achamos que são defeitos, mas são o que nos fazem especiais pra aqueles que nos amam.

Três exemplos me fizeram pensar nesse post, no quanto de gente legal tem por aí que nos acha legal do nosso jeito:

1 -  No fim de semana eu estava na casa de uma amiga, assistindo o Emmy, mas o meu time de futebol americano estava jogando. Aí eu estava olhando o twitter pra ver a quantas andava o jogo. Berrei "PORRA, MEU TIME TÁ PERDENDO", aí minha amiga disse "O Packers tá jogando?". Eu me senti tão, mas tão amada nessa hora. Parece estúpido, não sei explicar muito bem. Meus amigos sabem que eu assisto futebol americano, mas sei lá, sempre acho que eles tem algo mais importante pra fazer do que lembrar o nome do meu time.

2 - Uma amiga minha do twitter, uma das várias meninas incríveis que conheci estando no fandom de Sherlock. Ela é viciadona, muito, mas muito mesmo, em Hamilton. DEMAIS. Ela tá sempre falando em Hamilton, compartilhando coisas. Então o natural é::: quando ver algo de Hamilton, marcar ou mostrar pra ela. Ela fica extremamente feliz, porque Hamilton é algo que ajuda demais na vida dela, e as pessoas lembrarem dela com algo tão legal é maneiríssimo.

3 - Também no último fim de semana, estava com meu namorado e uns amigos dele fazendo o almoço, falando de músicas que grudam na nossa cabeça, comecei a comentar sobre a música do The Proclaimers, "500 miles" e que ela toca em How I Met Your Mother. Eles falaram "Pô, a gente podia ver" "É, mas eu não sei qual episódio é", aí eu disse "Eu sei, é o 2x17". Todo mundo ficou "uou" e meu namorado veio com um sorriso imenso da cozinha, disse "cara, é por isso que eu te amo" e me deu um beijo.


Caso você tenha curiosidade, aqui vai parte do episódio "Arriverdeci, Fiero".


É muito fácil se sentir um bosta, especialmente num mundo onde nós precisamos ser bem-sucedidos, ter graduação, pós, mestrado e doutorado, tudo isso enquanto trabalha ganhando bem e tendo uma vida social e amorosa invejável. E ai de você se não for bem em uma dessas áreas, tudo está perdido, você foi um fracasso e é um lixo. E você vê pessoas dois, três anos mais nova do que você que estão profissionalmente 5 anos à sua frente, aí lá vai você se comparar com pessoas que talvez estejam numa situação pior do que a sua ou que só não mereçam mesmo, porque são pessoas horríveis e você é um potinho de glitter maravilhoso que nem deveria se comparar com essa gentalha.

A gente pode estar preocupada porque nosso corpo não é igual aos das capas da revista, ou o nosso dinheiro mal dá pra aquele podrão esperto no fim de semana, ou que ainda não nos formamos e não sabemos que rumo profissional nossa vida vai tomar. Mas isso não importa aos olhos do outro. "Gostar do ser antes do ter", uma frase que meu psicólogo usa muito nas minhas sessões. A pessoa tá se importando com o que você é, não com o que você tem.

O título desse post foi inspirado num quote de, pasmem, "Eu, a Patroa e as Crianças". Num episódio onde o Sr. Kyle achava que ia ganhar um prêmio, mas ele não ganhou, ficou na bad e a família fez uma premiação em casa pra mostrar o quanto eles achavam ele importante. A Claire (filha do meio dele, caso você more em baixo de uma pedra e nunca tenha assistido) diz que ele era importante porque ele sempre queria o melhor pra ela, e diz "Pode parecer egoísta dizer isso, mas eu aprecio você, pai, porque você me aprecia.".

E é bem assim mesmo. Pode me chamar de egoísta, do que for, mas o comum entre esses gestos é o fato de que quando nos elogiam ou acham legal o que a gente faz de diferente, isso só faz com que a gente se aceite mais e se goste mais. Eles nos amarem faz com que o nosso amor próprio aumente.


Encerro esse post com um abracinho e um recadinho: Você é maravilhose!

TAGS: , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *