CCAnálise CCFilmes

Esquadrão Suicida foi a coisa mais estranha que eu já assisti

17.9.16Dana Martins


Todos os pensamentos que passaram pela minha cabeça depois de assistir Esquadrão Suicida. Esse post tem spoilers, é claro. 

Quer dizer, quando eu penso em como eu assisti o filme, não é difícil entender os meus sentimentos sobre o filme. Eu tava bem assim:


Mas quando eu começo a pensar sobre o filme, as coisas vão mais pra isso:



1- Eu não queria assistir o filme. Tô cansada dessas coisas da DC sendo pseudo-dark que só funciona porque tá agarrado na costas de super-heróis fodas.  

Mas meu principal problema era: Coringa. Um personagem que tem uma hype imensa (não me entenda, o Coringa em si é muito interessante, e na trilogia Dark Knight foi FODA), só que virou coisa de fanboy chato que tá ali porque PO O CORINGA É FODA. E, pra completar, uma boa parte das histórias dele vem às custas do abuso de mulheres.

lado bom do filme: ver o quão ridículo ele tava
próximo ator nem vai ter pressão de fazer algo bom, qualquer coisa vai ser melhor q isso


Desculpa, não sou obrigada a aguentar essa merda. Ainda mais quando foi interpretado pelo Jared que tem um histórico de abuso sexual e abusou do resto do elenco durante as produções.

Enfim, eu queria um filme interessante, mas parecia que a DC só queria fazer uma coisa edgy e aproveitar às custas da fama do coringa. Não sou obrigada.

2- As coisas mudaram, quando... bem, quando o Esquadrão Suicida passou a ter um dos elencos mais diversos de filmes de super-herói. Quando a Viola Davis era respeitada. Quando a Margot Robbie ganhou destaque por fazer a Harley Quinn. Quando a trilha sonora boa saiu. Quando o visual inteiro foi interessante...

Porque verdade seja dita, eu gosto de grandes produções de Hollywood, eu amo filmes de super-heróis e ação. E AS AESTHETICS ERAM FODAS.


Aproveito aqui pra indicar o post da Elilyan sobre a trilha sonora de Esquadrão Suicida



Então no fim eu não tinha uma opinião concreta. Ver ou não ver não era tão importante. Eu decidi que ia ver só depois que lançou e falaram que o Jared Leto tava puto com as cenas do Coringa cortadas. Eu: GRAÇAS A DEUS AGORA VAMOS.

Só que ir no cinema nem é tão fácil assim e eu deixei pra lá por preguiça mesmo, até que meu pai uma noite chegou "vamo no cinema?" e aí que Esquadrão Suicida era a melhor opção. 

E o resultado?

O filme em termos de história é uma merda. Tipo, ele tem personagens fodas, elementos interessantes, mas é um caos de edição e o roteiro poderia ser tão melhor. Dava pra sentir que eles cortaram coisas, uns personagens surgiam do nada e eles pareciam esquecer de outros. Eu lembro que eu não levava fé em Vingadores justamente por isso: muito personagem poderoso junto, onde é que entra a história? E depois de 2 Vingadores, Guardiões da Galáxia, Guerra Civil e outros, eu tinha esperança, mas em Esquadrão Suicida eles pareciam muito perdidos. Tipo como se escreveram um filme, gravaram outro e inventaram um terceiro na hora de colocar as cenas juntas.

Mas isso nem é a pior parte, a pior é como a história é contada. Em outras palavras: da forma mais tediosa possível.


O filme é assim:
- Olha, gente, esses são os personagens.
- Vamo tentar fazer uma missão com eles.
- Aqui são esses mesmos personagens sendo chamados pra missão, com uns aleatórios brotando do nada.
- Só que eles nem tem opção, então vão pra missão.
- Jogo de videogame até o final, passando por fases. Mas sem emoção porque você sabe que todo mundo vai sair vivo no final e nem tá jogando.

Eu acho que algumas coisas ali deveriam causar tensão, tipo não contarem para o Esquadrão a natureza do vilão - algo sobrenatural, não um ataque terrorista. Mas pra quem tá assistindo já tá claro porque nós vimos a Bruxa lá fazendo tudo. 

Outra coisa é o "segredo" de que eles fizeram tudo só pra salvar a Viola Davis, ela é a "misteriosa pessoa importante que eles deveriam salvar", mas isso é revelado sem emoção nenhuma.

Meu pai até comentou "faz isso tudo pra chegar lá e ela ir embora de avião. pra que então??", ou o coração da Bruxa que não serviu pra nada.

A batalha final foi até melhorzinha, mas parecia filme de criança ruim que passa na sessão da tarde.

A única coisa realmente boa foi a Harley Quinn, porque trás alguma imprevisibilidade pra história. A cena dela subindo no elevador foi mais interessante do que todo o trajeto deles. Mas até mesmo as piadas dela são tão ok, vlw.


Sei lá, eles podiam ter mudado a sequência das coisas. Não perdia tempo com a Bruxa fazendo aquele planinho de vilãozinho do Scooby-Doo, já colocava ela do mal desde o começo. Ou nem revelava os planos dela pra pegar a gente de surpresa.

Uma narrativa que poderia ser foda: tudo isso ser parte do plano da Viola para justificar a existência do Esquadrão. No início o pessoal não aprova, então ela usa a Bruxa pra causar um caos e na pressão o governo aprova. No final quando isso é revelado pra o Esquadrão, o Will Smith tá ENTÃO EU QUASE MORRI PRA NADA SÓ POR CAUSA DE VOCÊ. E ela tá tipo sim :) 

Imagina naquele pós-créditos "Eu sei o que você fez"
E ela "é, e daí :)"


Outra coisa legal é que em um momento a motivação do Will é salvar o mundo pra filha dele ficar sabendo que ele fez a coisa certa, e no final isso não acontecer, ela fabricar a história. Imagina a desilusão. 

A pessoa que eles podiam resgatar também podia ser o Batman. Por que não? ISSO seria uma reviravolta. Isso colocaria o papel da Viola nas alturas e tornaria tudo sinistro. Como ela fez isso? Como ela pegou o Batman? E isso explica também PORQUE A CIDADE TÁ ACABANDO E NÃO TEM NENHUM SUPER-HERÓI FAZENDO NADA.

Aliás, podia ter aparecido um super-herói, ali na última hora dando o golpe final e recebendo os créditos de tudo. 

Pensando nisso, o que faltou na história foi muito expectativa em termos de motivação de personagem. Toda a estrutura do filme é didática, eles colocam os elementos lá. Por exemplo, o Diablo lá que aparece no início explodindo a casa, e aí não quer mais usar os poderes e no final usa - os elementos pra criar o suspense de: ué, meu filho, por que? ih "wow, que história tensa da família". mas é tão superficial. A parte técnica tem, mas emoção 0.



E eu adoro como os filmes têm usado estrutura de videogame em fase pra lidar com a ação, mas Esquadrão Suicida esqueceu totalmente que no videogame você tem o fator de ESTOU JOGANDO. ESTOU INVESTIDO PORQUE ISSO AQUI É A MINHA VIDA E EU TENHO QUE SAIR DESSA. Até assistindo jogo é mais interessante, porque tem o fato ali de PODE NÃO CONSEGUIR. Agora no filme... tão... ok. A coreografia das cenas nem são tão interessantes. A história e suspense cadê??? Era só eu sentada esperando eles terminarem de matar. Até o clipe da Taylor Swift é melhor.

Isso me deixa até um pouco triste, porque TINHA UNS ELEMENTOS SINISTROS DE APOCALIPSE ZUMBI. E plmdds, aquilo dali era basicamente Raccoon City, ou Resident Evil 2. DAVA PRA FAZER ALGO FODA. Mas é tudo tão... elementos excessivos e mal explorados.

Só sei que foi uma merda.

Agora a parte interessante...

A parte interessante é que:

1. Eu tava comentando com o meu irmão hoje dos 3 trailers que passaram antes do filme. Esse novo filme do Harry Potter, Dr. Estranho e O Lar das Crianças Peculiares.

Todos esses: Um protagonista homem branco hétero, que é O ESCOLHIDO IMPORTANTE, maior parte do elenco branco exceto pelo personagem negro de token pra dizer "uhul, lembramos que existe!", as mulheres tão ali só pra guiar o homem + ser o interesse amoroso sofrendo. 

Cada um dos 3 filmes tem os seus detalhes específicos, mas no geral é a mesma merda.

E aí começa Esquadrão Suicida. A primeira cena é o Will Smith e eu já adoro ele. Em seguida a Harley Quinn. Depois vem a Viola Davis. Os 3 são o centro do filme. A história é sobre eles.

o uso das vitrines nessa cena foi a+

O drama do Will Smith com a família e o passado da Harley Quinn com o Coringa são as únicas coisas que tornam o filme suportável. E mesmo que tenha o romance da Harley com o Coringa, ele gloriosamente tá ali pra servir a ela. Na história, ele é só o Príncipe Encantado do inferno que ela arranja. 

Meu irmão até comentou, e eu achei interessante: O Coringa "salva" ela, mas não por que ela precisa, mas porque ela quer. E o filme deixa clara essa independência da personagem.

(Atenção: o problema do trope Donzela em Apuros nunca é o fato da mulher ser resgata, mas como ela é vista como sendo fraca que precisa do homem pra isso)

E eu queria muito que ela se livrasse do Coringa, mas ainda é uma diferença enorme na forma como a história é contada. (ainda vou escrever um texto só sobre a Harley Quinn, fica de olho aqui)

E tudo isso é tão... libertador. É um alívio ver uma história que não é só a namorada Do Lar e Recatada pra reforçar o ego do homem branco protagonista.

É um filme merda, mas é um filme onde nós existimos.

2. Por que Esquadrão Suicida é o filme com mais diversidade? 
Porque minorias normalmente são mostradas como vilões, então a gente tem personagem interessante pra colocar. :) :) :) 

white people.jpg
poc as background.jpg
we are the main characters,jpg
lgbt+ people don't exist.jpg
(mas a harley é bissexual, só pra constar)
Quando escrevi o texto achei que era ruim, mas colocando as imagens e imaginando criancinhas olhando isso... crescendo se vendo apenas nos vilões... ok.

Meu maior problema com filme de super-heróis assim é como o ideal de super-herói se torna bem hipócrita. Super-heróis são sobre fazer o certo, o bem e ajudar as pessoas, mas aí você chega no cinema e a noção de "bem", "certo" e "pessoas" não inclui a maior parte da população. Brigada.

3. Lembrete final de que não é perfeito em representatividade
Mesmo que o filme tenha 4 mulheres relevantes (WOW, É UM RECORD AQUI???), 3 delas são fortemente definidas por relação com homens. Mesmo que não dependente, qual a necessidade? Qual a necessidade de sexualizar a Harley Quinn e tratar ela como objeto sexual do Coringa no início? Ou a cena dela vestindo roupa que TODOS OS HOMENS PARAM PRA VER? Qual a necessidade da Bruxa BEIJAR um homem pra transformar ele no zumbi? (aliás, QUERO VER OS VILÕES HOMENS TAMBÉM TENDO QUE BEIJAR E FICAR SEMINU) Qual a necessidade da Katana ficar chorando pelo marido? Qual a necessidade do sonho do Diablo ser a mulher querer fazer sexo com ele? E o desejo do Croc ser assistir pornografia? Pior ainda é que todas as mulheres são retratadas como loucas, eles literalmente falam isso no filme delas.

Mesma coisa vai pra aquele vilão nativo americano que aparece DO NADA só pra morrer, não sei nem se ele chega a ter uma fala.

E não imagino que a forma como eles tratam doença mental seja bom para as pessoas que lidam com isso no mundo real. 



Ou seja, por causa disso tudo que pensar no filme era caos. Tem coisa boa, tem coisa ruim, é ainda melhor do que as merdas que tem por aí, mas também é cansativo.

Leia também o post do João: Esquadrão Suicida é o suicídio da DC?



--------------------

Em outras notícias, o Batdrama agora é enviado por email, só se inscrever nesse link. Eu falo sobre todo tipo de coisa que eu aprendi na semana, pequenos casos e observação que não valem um post, mas ainda quero compartilhar. 

TAGS: , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

2 comentários

  1. Sua análise sobre o filme é simplesmente incrível.
    Adorei!!!

    ResponderExcluir
  2. o vilão nativo americano aparece do nada e uma das únicas falas dele é quando ele justifica pq bateu numa mulher naquela cena lá do encontro do squad... "ele bateu na mulher pq ela tem uma boca"
    é... esse filme é um lixo, n consigo nem expressar algo mais elaborado. lixo mesmo

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *