a garota na teia de aranha Adriana Araujo

[Resenha] Millennium 4 - A Garota na Teia de Aranha, de David Lagercrantz

2.5.16Adriana Araujo


Assim que eu soube que a série Millennium ia ter uma continuação, eu quis ler o livro. A série é uma das minhas favoritas e Mikael e Lisbeth são personagens tão queridos que eu só queria ler mais uma história desses dois. No início, na empolgação, nem me importei muito com o fato de um outro escritor dar continuidade à saga (o escritor dos três primeiros livros, Stieg Larsson, morreu antes de ver sua obra publicada), mas isso acabou fazendo diferença.


O quarto livro da saga Millennuim tem como tema o roubo do trabalho sobre inteligência artificial do pesquisador sueco Frans Balder e a invasão por um hacker (cof, cof, cof) da agencia de segurança nacional americana (NSA). Paralelamente, Mikael Blomkvist, meu jornalista favorito, está tentando lidar com os problemas em sua revista, a Millennium, que está mais uma vez com problemas e em busca de um grande furo de reportagem, que possa levantar a publicação.

Mikael recebe informações sobre a pesquisa do acadêmico Frans Balder ter sido roubada e quase deixa a história passar até que seu informante menciona uma hacker estranha que confirmou o roubo das informações da pesquisa. Na hora, Mikael tem certeza de que trata-se de Lisbeth e seu interesse pela história cresce. Ele então vai procurar a amiga que já não vê há algum tempo.

Não sei porque você se foi, quantas saudades eu senti
Enquanto isso, Frans Balder resolve se dedicar um pouco mais ao filho, August Balder. Frans sempre foi um pai relapso e sua participação na vida do filho se resume ao pagamento de uma gorda pensão à mãe do garoto, Hanna Balder. O garoto é autista e não fala, mas ao ficar sob os cuidados do pai, acaba por desenvolver rapidamente talentos como desenho e aptidões matemáticas. Posso estar falando besteira, uma vez que não entendo nada sobre autismo, mas me pareceu forçado o garoto se desenvolver tão rápido. Ele vivia num ambiente péssimo na casa da mãe, sob maus tratos do padrasto, o que logicamente não ajudava em nada seu desenvolvimento, mas ele também não tinha nenhum contato com o pai. O fato é que as habilidades do menino vão ser cruciais lá na frente, pois em dado momento ele vai ser salvo por Lisbeth e acaba ajudando-a a decifrar uns códigos super importantes. Nem preciso comentar que achei isso bem surreal, né?

Mais ou menos no meio do livro acontece um crime, que acaba sendo meio que testemunhado pelo Mikael. Nesse momento o livro fica mais emocionante, pois a história vinha bem devagar e cansativa e somente nesse ponto ela dá uma emplacada, com Mikael pedindo ajuda de Lisbeth para desvendar o crime e os dois meio que voltando a trabalhar juntos, ainda que de forma mais indireta do que eu gostaria. Lisbeth tem muito interesse nas questões relacionadas ao roubo de informações, pois coisas do seu passado familiar nada bom estão envolvidas. Ao longo da segunda parte do livro, vamos descobrindo mais coisas sobre esse passado de Lisbeth e que ele não está exatamente enterrado.

Queria os dois assim, bem juntinhos. Sim, eu shippo Lisbeth e Mikael
O final do livro é meio morno e repetitivo, com a resolução dos problemas e a publicação da grande reportagem de Mikael na Millennium e tal. Algumas reflexões finais da Lisbeth no livro deixam bem claro que ela ainda tem assuntos a tratar com o passado que ressurgiu nesse livro e eu entendi como uma deixa bem clara para um próximo livro. De um modo geral, achei esse tema de espionagem industrial (o roubo de informações e pesquisas), chato, muito técnico e com algumas coisas meio forçadas, além da falta de surpresas e daquela vontade louca de continuar lendo que a escrita do Larsson proporcionava. Na narrativa você percebe que tem algo faltando, além de certa repetitividade e diálogos fracos. Não chega a ser um livro ruim, mas a leitura é cansativa e, diferentemente dos três anteriores, que devorei em dias, levei uns dois meses pra terminar esse. Mas foi ~~legal~~ ler sobre Mikael e Lisbeth novamente, ainda que não tenha sido bom como costumava ser.

Nota:
3 conversinhas



****

Livro: A garota na teia de Aranha

Autor: David Lagercrantz

Editora: Companhia das Letras

Páginas: 464


Comprar: Saraiva, Submarino




                                                                             



Este livro foi disponibilizado pela Companhia das Letras. Muito obrigada!


TAGS: , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

2 comentários

  1. Esse livro me mostrou que só o Stieg mesmo tinha mão pra escrever sobre Lisbeth. Esse livro foi uma completa decepção. =\

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com vc :( Senti falta da Lisbeth e do Mikael que eu tanto gostava.

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *