batDRAMA Dana Martins

Batdrama: eu esqueci que hoje era domingo

4.4.16Dana Martins


anúncios do cc, camp nanowrimo, dana delirando, links, fúria e... hoje faz um mês.

Tava eu aqui de boa vivendo minha yey 2 da manhã e me pergunto "quando será que sábado chega pra eu fazer o batdr-"

e aí eu percebi que domingo já tinha acabado.





O pior é que eu sabia que hoje era domingo, eu tava cozinhando enquanto passava Faustão, e aí mandando áudio no sofá enquanto passava Fantástico, mas meu cérebro apagou qualquer memória de que hoje era domingo (Domingo, DOMINGO, Domingo™) e eu deveria fazer. Tipo, é aquela sensação de... não tem nada que eu poderia ter feito? Era como se eu não soubesse nem da existência do Batdrama, como eu poderia fazer algo???

MAS AGORA EU ESTOU AQUI.

Primeiro uns avisos relativos ao ConversaCult...

1- DANA, CADÊ UNS POSTS NESSA SEMANA?

Menina, me perguntei a mesma coisa quando entrei no site e não encontrei. Acontece é que... como é que eu posso explicar isso? Assim:

Nós não temos posts.

Ninguém escreveu nada, então a agenda tava vazia, então é isso aí. Se você quer entrar pra o CC e de fato escrever pra cá, aproveite: conversacult@gmail.com

2- Eu tenho usado o twitter pra divulgar coisas do movimento LGBT fans deserve better

E eu quero já avisar com antecipação aqui que se matarem mulher em LGBT+ em série e posso acabar falando abertamente sobre isso lá. E talvez pelo resto da minha vida.

Toda essa discussão me fez pensar em "spoiler", e eu decidi não me referir a isso como spoiler, porque spoiler é um termo que prioriza a experiência da história, o que é basicamente colocar uma série acima da vida real de pessoas. Tipo, esse "spoiler" pode literalmente salvar vidas. Teve tentativas de suicídio com a cena da morte da Lexa e muita gente teve ataques de pânico e outras coisas (o que se você acompanha os Batdramas, já sabe). Então espalhar o que acontece na história pode fazer alguém fugir de uma experiência traumática.

Mas mesmo que não seja isso, "spoiler" tem um sentido em si de "guardar a surpresa!", e a morte de mulheres LGBT+ em histórias é justamente usado pra drama. Eu queria poder fazer as pessoas entenderem o quanto todo esse contexto é desunamo, e o quanto mudaria tanto a vida das pessoas se os escritores começassem a entender pessoas LGBT+ como normais. É sinistro, porque tudo questão de encarar o mundo. Questão de mudar o pensamento. E isso pode fazer a vida das pessoas mudarem.

Mas enfim, se você não quer saber de nada disso, fique longe de mim e do CC principalmente nas quintas.

Agora vamos falar de mim QUE EU TENHO UMA COISA PRA CONTAR.

Eu amo The 100.

Eu realmente amo essa série.

Eu amo cada um dos personagens e a história e 92382398 coisas.

"Mas, Dana, você não tá num movimento contra a série...?"


Mas eu decidi que nenhuma merda que o Jason fizer vai estragar as coisas boas. Tipo, eu não consigo assistir mais, não por enquanto e não sem sentir dor, mas eu não quero tratar como se fosse... sei lá, só uma merda e acabou? Eu não sei explicar, é porque eu vi umas pessoas aleatórias que nem conhecem a série falando mal e eu tipo ?????????????? SAI DAQUI?????

De qualquer modo, se eu pudesse escolher uma consequência disso tudo, eu escolheria que a série fosse em frente, de preferência sem o Jason, e resolvesse os problemas. Não digo nem voltar com a Lexa, ou o Lincoln, mas voltar com todas as coisas boas. Eu ainda amo a Clarke, a Raven, o Monty, o Bellamy e sei que eles podem ainda trazer personagens bons, mas do jeito que tá eles tão triturando tudo. Ver The 100 não é mais apenas ir em frente sem a Lexa, é ver todos os personagens e coisas que eu amo serem destruídas.

Eu estou te dizendo - essa porra poderia ser um Harry Potter, só que em série, então a gente poderia amar loucamente todos os personagens e histórias secundárias. Mas nããão. *respira fundo* eles estão jogando tudo fora.

Além disso, tem outra coisa meio triste nisso tudo: ninguém de fora parece entender. Pera, eu escrevi sobre isso hoje, vou pegar porque é A+ e reflete tudo:

"Por que você acha que a gente não começou essa luta antes? Por que você acha que as pessoas ao nosso redor sendo machucadas por má representação não estão lutando com a gente?"

Eu acho que pra gente, do fandom de clexa, que viveu a mesma coisa e experimentou a morte da Lexa de forma parecida, foi como se todo mundo tivesse acordado ao mesmo tempo. Ou tipo a série machucou tanto a gente que quando nós encontramos aquela representação merda injusta, não dá pra fingir mais que tá ok como antes.

Tem aí uma coisa sobre a morte da Lexa. Acho que a parte mais frustrante, é que você sente que ela só foi morta, e daquele jeito, porque o Jason quis.

"Mas a história pediu" "Mas não é assim que histórias são escritas?" "Mas tem razão" "Mas-"

A questão é que qualquer pessoa que entende a perspectiva de uma pessoa LGBT+ (ou até rep de mulher) não tomaria essa decisão, não desse jeito.

E isso ficou claro.

Isso deixou claro que The 100 não era uma história pra gente.

Isso deixou claro que The 100 é uma história criada considerando os interesses de um homem (branco, hétero).

"Mas praticamente todas as histórias são assim, Dana o.o"

Eu sei, 1- mas não torna isso mais certo
2- a maioria dessas a gente já sabe, então não fica vulnerável pra elas. já assiste sabendo que vai ser uma merda

e isso me fez sentir na própria pele de um jeito que eu não sabia que era possível como funciona enfrentar o privilégio

eles fazem as coisas, mas eles estão no poder, e existe tanta mentira difundida e apagamento de voz, que eles continuam lá e se acham certos e é difícil fazer as outras pessoas entenderem

é tão ruim

essa semana eu saí e tava pensando no quanto a merda do mundo inteiro é injusta

mas a ironia é que a gente trata como se fosse normal

a gente vai, vive a vida, ri, discute assunto tentando ver quem tá certo e quem tá errado, dança em show e janta com os amigos

seres humanos são bizarros

mas cansei desse assunto

eu to bem, e aprendendo muita coisa.

essa semana:


finalmente tô tendo um tempo pra descansar mais e fazer as coisas. mas descobri que não gosto, não. é meio chato. estar perto de muitas coisas acontecendo desperta minha energia.

ok, isso ficou tedioso e eu literalmente fui pra o tumblr e esqueci da vida (mentira, eu tava meio que pensando nisso aqui)

só que aí eu encontrei uma selfie de uma garota que eu conheço e eu acho tão bonitinho quando as pessoas fazem isso, quando elas estão sendo felizes e se expondo e, num contexto como o do tumblr e certas pessoas, isso significa ter a coragem pra se mostrar ainda mais que tanta gente tem insegurança

e eu queria dizer: sua foto tá linda. você tá linda. isso me feliz.

mas aí eu penso logo como isso pode ser meio bizarro. chegando do nada pra uma pessoa que você nem fala muito elogiando??? "TÁ QUERENDO ALGUMA COISA"

e também é um espaço seguro da garota, e eu não queria que ela ficasse autoconsciente tipo "tem alguém me olhando" quando ela posta isso. então...

é só um dilema do momento.

vou encerrar aqui com uns links legais:

1- esse é explicando o #panamapapers, porque o mundo nunca deixa uma coisa grandiosa acontecer só de uma vez
2- esse aqui é sobre adolescentes, e a mania de desvalidar adolescentes e o que eles gostam. essa semana eu tive umas boas discussões sobre isso, e foi legal encontrar esse texto
3- Como eu posso mudar minha opinião sobre The 100 tão rápido?

ok, AGORA EU ESTOU PUTA. tava procurando algo num tumblr aqui, e aí vi um print de um tweet que pergunta pra desvalidar as reclamações: "Por que os ADULTOS não estão falando sobre isso [algo de representação ruim]?"

1- Adultos nem sabem usar rede social direito, pra começo de conversa.
2- Eles provavelmente estão trabalhando e/ou não tem a mesma disponibilidade (quando a rede social deles não tá relacionada ao trabalho e não podem se pronunciar tão efetivamente quanto queria), mas não quer dizer que eles não se importem.
3- E, justamente por serem adultos, eles cresceram com representatividade muito pior que a nossa e tiveram mais tempo pra incorporar coisas tóxicas.
4- Mas na verdade, isso é só uma coisa idiota pra tentar desvalidar as pessoas, porque tem adultos e nem dá pra ver a idade de quem tá mandando mensagem (no twitter, onde aconteceu).

ok, isso tá uma confusão.

CLUBE DE ESCRITA: CAMP NANOWRIMO

O CAMP COMEÇOU. EU NÃO SEI O QUE FAZER. EU TO PERDIDA. EU ESCREVI 800 PALAVRAS NO CELULAR ATÉ AGORA, O QUE É BOM. MAS EU PERCEBI QUE MINHA HISTÓRIA VAI ACABAR E COMO DIABOS EU VOU ESCREVER 50K PALAVRAS DE UMA HISTÓRIA QUE ACABOU

TALVEZ EU COMECE UMA IDEIAZINHA DE UMA DA ELYZA LEX, MAS NÃO VAI DAR 50K

NÃO QUERIA COMEÇAR A HIGH SCHOOL AU E AGORA?

NÃO SEI. PENSEI NA POSSIBILIDADE DE USAR PRA ESCREVER LOGO TODAS AS COISAS QUE EU TENHO QUE ESCREVER SOBRE THE 100, MAS NÃO SEI.

TEM ALGUÉM AÍ PARTICIPANDO DO CAMP? EU NÃO QUERO IR PRA GRUPO DE FB, MAS SE TIVER GENTE INTERESSADA VOU CRIAR UM GRUPO NO TELEGRAM.

BOA NOITE.

BEIJINHOS



vou encerrar só dizendo que hoje (3 de abril) faz 1 mês desde o que aconteceu aquilo com a lexa.

não faz um dia que eu não tenha vivido intensamente as consequências disso.

e não tem uma pessoa pra quem eu tenha explicado o que aconteceu que realmente tenha entendido o que tá acontecendo

e é por isso que eu vou continuar escrevendo.





TAGS: , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *