almost human CCdiscussão

Representatividade na cultura pop: O perigo de uma única mulher

1.7.15Dana Martins


Há poucos mais de um ano eu conheci a palestra do TED da Chimamanda Adichie, que fala sobre o perigo de uma única história, e escrevi um texto sobre. Eu estava apenas começando a aprender sobre o que é uma história única e representatividade. Por algum motivo, o texto ficou esquecido até agora e eu acho que é um momento ótimo para retornar. Além de lembrar de alguns assuntos importantes vistos no blog ao longo desse tempo, tem tudo a ver com a história de Sense8, que busca ir além da única história. Ou não? Isso eu vou deixar para você decidir.


Nesse texto eu vou usar o tema dessa palestra para gente pensar sobre a representatividade da mulher na cultura e os tipos de mulher que nós conhecemos. Você já sabe o que é uma única história?

Vídeo do TED onde a Chimamanda Adichie explica

Resumo do vídeo: No vídeo ela mostra como as histórias que nós lemos nos influenciam e formam a nossa visão de mundo. Mais do que isso, ela também fala sobre essas "histórias únicas" na nossa vida. As histórias únicas são apenas um lado da história de um grupo. Gays são afeminados, na África todo mundo é pobre esfomeado, Mulheres são sensíveis, Mexicanos são imigrantes, Todo favelado é bandido, Pais que não sabem lidar com os filhos gays são homofóbicos, Quem tem tatuagem não quer nada da vida... Para se ter uma história única, basta mostrar um grupo como uma única coisa repetidas vezes e é isso que eles serão para o resto do mundo. "O problema dos estereótipos é que eles só contam uma parte das história." E aí através disso você pode tornar algo maligno (os russos sempre são vilões em filmes americanos! ou agora os chineses, ou são terroristas), ou criar qualquer tipo de preconceito que impede as pessoas de se enxergarem como iguais. É difícil imaginar que tem uma garota como eu em Israel escrevendo um blog ou tocando bateria. Ou que tem um grande fã de paramore na Nigéria.  (outro vídeo da Chimamanda aqui)

E aí que entra a nossa conversa de hoje, a falta de representatividade das mulheres na cultura. "Ah, isso é coisa de mulher" como eu vou ser mulher se eu não tenho a menor paciência para gostar de maquiagem? Ou como uma mulher pode ser uma grande líder totalitarista se ela é sempre tão maternal? Como mulheres e homens podem conquistar a igualdade se "meninos vão ser sempre meninos?"

Representatividade da mulher em quantidade

Vamos começar fazendo uma análise grosseira, baseada no post "O que uma foto diz sobre você", onde eu mostro várias fotos de elenco para ver a diversidade. Roubei uma de lá para vocês verem.


Nós temos 4 homens para 2 mulheres. Tudo bem, você pode até dizer "mas é super-heróis, é para garotos!" Não vou comentar isso, mas vou aceitar que intenção da série possa ser representar homens. Ainda assim, por puro acaso (será?) essa imagem repete exatamente o padrão geral de distribuição dos dois sexos nos 100 principais filmes de 2011. Uma pesquisa feita pela Diego State Univesity revela que dos 100 top filmes, 33,3% do personagens eram mulheres.

Se a gente pensar que no mundo inteiro a quantidade de homens e mulheres varia em torno 50% para cada, isso é meio estranho. Só para dar alguns dados, um censo de 2010 revela que no MUNDO existem 50.4% de homens e 49.6% de mulheres. "Aí, tá vendo! 0.6% justifica uma diferença de mais de 30%, muito justo." Mesmo que alguma cabeça maluca argumentasse isso, nos Estados Unidos (onde a maioria dos filmes é feita) as mulheres são 50.7% para 49.3% dos homens. As mulheres também são a maioria nos principais países que influenciam a cultura mundial, como Japão, Austrália, Canadá e na maioria dos países da Europa; E no próprio Brasil, assim como México e Argentina que compartilham o nosso lado latino. Acho que as mulheres não são mais no mundo apenas porque o número de homens é superior na China e na Índia, que sozinhos representam quase 30% da população mundial. fonte 1 fonte 2

[e não vou entrar nem no mérito de analisar a cultura dos países onde há mais homens]

Na verdade, nada disso importa muito, mas tem gente que precisa de números e fontes para aceitar o que está na nossa cara, então aí está.

Curiosamente, fiz uma pausa para ver se Almost Human era baseado em Cavernas de Aço do Isaac Asimov (tava lendo pra VAM12L) e adivinha só a distribuição? Mesma da Liga da Justiça e dos filmes. E ainda chuto que pelo menos uma delas vai ser envolver romanticamente com o principal (aposto na da direita com o rebolado) e a mais velha deve agir de um modo maternal. Se eu estiver errada, me avise que eu quero assistir. Aliás, temos entre esses 3 da direita uma boa tríade Super-Homem, Batman e Mulher Maravilha. 

O que importa é que no mundo real nós temos uma distribuição igual de homens e mulheres, mas no mundo onde criamos os valores da nossa sociedade os homens ganham um enorme destaque comparado às mulheres. E 33,3% é um número baseado na mesa existência da personagem, não na sua importância para a história. É engraçado que a gente vê esse número se repetir e repetir: A trindade da DC Comics, os seus três grandes personagens, são 2 homens e uma mulher (Super-Homem, Batman e Mulher Maravilha). E adivinha quem fica em último se você colocar na ordem?

Isso quando falamos de personagens, porque se a gente for fazer o cálculo da quantidade de homens e mulheres por trás dos filmes e séries....... Basta olhar as categorias técnicas do Oscar.

Representatividade da mulher em qualidade

Até agora falei só das mulheres que aparecem na história. Não estou listando por nível de importância (quem quer apostar que esse número abaixaria?) e número de protagonistas. Então vamos falar do principal: a forma que a personagem mulher é desenvolvida. 

é tão triste que eu não posso ter filhos

vou ter que adotar um monte de super-heróis

Você tem a princesa (a namorada), que mais velha vira a mãe. E agora também falam bastante da "mulher forte", que é a versão da mulher que tenta imitar o machão insensível. Basicamente, todas as personagens femininas são dividas em uma, outra ou as duas ao mesmo tempo.

Lá no post Uma História de Literatura e Exclusão o Sebatian disse que todos perpetram o machismo na literatura, "exceto as autoras." Esse post aqui até surgiu como uma forma de mostrar que não. As autoras (e autores) muitas vezes também ajudam a difundir esse machismo (e uma única história) mesmo sem querer.



Um exemplo fácil é o de muitos livros YA onde a garota encontra um homem com superpoderes (Crepúsculo, Sussurro). Esses livros são quase que aquela história do homem herói, só que focada na mulher (por que não é a garota que descobre o superpoder?). Se eu não conhecesse bem, pensaria até que Crepúsculo é uma sátira desse estereótipo da "vítima", porque a história parte de um acidente de carro onde a Bella é salva pelo Edward e no segundo livro, quando ele vai embora, Bella descobre que entrar em perigo é a forma de se aproximar de seu protetor (curiosamente, ela sempre luta contra essa proteção dele e, no fim das contas, ela é que vai até a Europa salvar; mas isso é outra discussão). Na conclusão de Sussurro o garoto, Patch, termina como anjo da guarda dela. 

E então você tem o contrário, a garota forte (Jogos Vorazes, Divergente). Katniss é até o oposto da menina vítima, já que é ela quem salva o Peeta na maior parte do tempo. Eu não preciso nem falar muito, porque você conhece bem o tipo. Lara Croft, Lisbeth e todas que entraram no nosso post de mulheres fodas

Vou ser sincera com vocês, eu não consigo pensar em outro tipo de mulher e, no fim das contas, já estou meio confusa entre histórias únicas, estereótipos, homens e mulheres. Ainda não consegui definir exatamente uma conclusão (podem dividir as opiniões de vocês!).

Nota do futuro: De um ano pra cá eu já consegui descobrir outros tipos de mulheres!!!


Eu acho que o questionamento aqui é: Por que naquela foto de Almost Human, a velha não pode ficar com o principal? Ou a menina bonitona não pode simplesmente ficar sozinha? (que eu já pesquisei sobre e vi que tem problema com bebidas e gosta de esporte, acho que uma tentativa de garota forte) (e tem uma personagem "nova" em Law and Order: SVU que tem o mesmo "problema" - isso é algum novo trope? em vez de ter no passado o estupro, eles "fazem diferente" mostrando a mulher como alcoólatra?) Ou a velha tem que usar umas roupas de mãe em vez de uma jaqueta? Por que ela não pode ter um visual mais rebelde e ser meio heroica, mas ainda ser maternal? Por que o negro de olho azul é que tem que ser quase humano? Se ele fosse branco seria humano completo? Por que aquele cara de cabelo lambido não é um grande herói, com problema de bebida, que gosta de esportes e cheio mulheres ao redor? (não pesquisei nada sobre ele, mas aposto que é um "nerd dos computadores" - pesquisei, e adivinha?) Por que essas histórias são repetidas tantas vezes que é fácil deduzir?

Eu tenho motivos lógicos muito bons para eles serem assim, mas também tenho muitos outros para mostrar o perigo de uma única história. 

Links
Uma História de Literatura e Exclusão
10 razões para autores homens fazerem mais sucesso do que mulheres
Por que as heroínas de livro YA parecem iguais?

TAGS: , , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

3 comentários

  1. "Se a gente pensar que no mundo inteiro a quantidade de homens e mulheres varia em torno 50% para cada, isso é meio estranho. Só para dar alguns dados, um censo de 2010 revela que no MUNDO existem 50.4% de homens e 49.6% de mulheres. "Aí, tá vendo! 0.6% justifica uma diferença de mais de 30%, muito justo." Se em muitos lugares, principalmente Índia , não existisse o feminicídio, onde ter filhas é visto como algo em que não se há vantagem a diferença entre mulheres e homens seriam maior.E mesmo assim, as mulheres não seriam bem representadas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, ainda mais que o Estados Unidos faz representação voltada pra o umbigo e lá já tem mais mulheres do que homens.

      Excluir
  2. E se pensarmos nas representativadade das mulheres negras?

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *