afinados no amor Carol Cardozo

Top 10 (eclético) de declarações de amor em filmes [1/2]

31.5.15Colaboradores ConversaCult


O que você prefere num filme? Quando o mocinho derrota o vilão? Quando o vilão derrota o mocinho (esse anda muito na moda hoje em dia)? Aqueles plotwists que fazem você cair no chão e gritar?

Como boa fangirl e romântica incorrigível, minha parte preferida nos filmes são as declarações de amor (ou, quando não tem uma, a parte em que o protagonista mata espetacularmente uma quantidade imensa de pessoas, mas isso é assunto pra outro dia). Algumas não tão tradicionais, outras o suprassumo do amorzinho e derretimento, vem comigo conferir o top 10 de declarações que me faz agarrar almofadas e gritar AWWWWWN.

Como é muita fofura pra um post só, dividi o top 10 em duas partes, pra você não se afogar em arco-íris e ter tempo de se recuperar, assistir um UFC ou um filme de terror pra se acalmar.

Cuidado: possíveis surtos à vista. E um ou outro spoilerzinho (nada muito grave, prometo).


10 - Amantes Eternos (Only Lovers Left Alive)

Adam (Tom Hiddleston) e Eve (Tilda Swinton) são dois vampiros que são casados, mas que vivem separados (ele em Detroit, nos EUA e ela em Tangier, Marrocos). Eles se veem por videoconferência na internet. Quando a irmã dela (Mia Wasikowska) reaparece, nós entendemos o motivo deles viverem separados. Adam é um músico recluso e um pouco (muito) depressivo, enquanto Eve lê livros demais (sério. Muitos livros. Ela carrega na mala de viagem livros, e não roupas).

A relação deles é linda. Não é nada enjoativo ou clichê. Quando eles se reencontram, Adam está pensando em se matar, e a Eve descobre. Obviamente, ela perde a linha, o amor da vida dela querendo se matar, que é isso? E o discurso dela (segue abaixo) é a coisa mais linda; ela tenta fazê-lo ver que pensar em si mesmo quando se vive tanto é perda de tempo, e que ele deve aproveitar mais coisas.

Spoiler alert: a dança vai derreter seu coração, mais pela letra da música, que você pode ver aqui. (Não é propriamente uma declaração de amor, mas a preocupação dela com o marido é algo mais tocante que muitos "eu te amo" em filmes por aí).

          

"Como você pode viver por tanto tempo e continuar não se importando? Esta obsessão consigo mesmo é um desperdício de vida. Ela poderia ser gasta em coisas boas, apreciando a natureza, gerando gentileza e amizades, e dançando. Você tem tido muita sorte no amor, eu acho, se me permite dizer."


9 - Afinados no Amor (The Wedding Singer)

Nos anos 80, Robbie Hart (Adam Sandler) é um cantor de casamentos que vai se casar com Linda (Angela Feathestone), mas numa festa em que ele estava trabalhando conhece Julia Sullivan (Drew Barrymore). Papo vai, papo vem, ele se amarra na Julia, rola uma treta, ele termina com a Linda, e você pensa que seu shipp tá encaminhado, mas PÁ:: Julia está noiva. 

Adam Sandler e Drew Barrymore tem uma das químicas mais sensacionais do cinema, na minha modesta opinião. Eles são aquele tipo de pessoas que trabalham juntas e você pensa que tem tudo a ver, mas descobre que eles não tem nenhum relacionamento e ficam NÃÃÃO, MEU SHIPP (Sandra Annenberg e Evaristo Costa, abraço pra vocês, viu?). 

Nesse filme em especial, a declaração de amor conta até com a presença do Billy Idol (!!). Julia está num avião com o noivo, e Robbie vai atrás dela. Mas só restavam passagens pra primeira classe, e ele as compra. Chegando lá, ele conta toda a história para os passageiros (entre eles o já citado Billy Idol), e todo mundo se mobiliza pra fazer algo. E daí vem essa música totalmente fofa, que duvido você não se derreter enquanto ouve.



"Eu quero fazer você sorrir quando estiver triste, te carregar quando sua artrite estiver ruim. Tudo o que eu quero é envelhecer com você..."

8 - O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook)

Pat Solitano Jr. (Bradley Cooper) é um ex-professor de história que está saindo de um sanatório (depois de passar oito meses lá) e vai voltar a morar com os pais. Ele tem todo um plano de mudança de vida: quer melhorar seu sedentarismo, ler mais clássicos e retomar seu casamento. Mas as coisas mudam quando ele conhece Tiffany (Jennifer Lawrence), uma jovem viúva que não é lá muito convencional.

Esse filme causa um pouco de tensão no campo "livro vs. filme". Eu assisti o filme antes de ler o livro. Amei os dois, igualmente. Já minha amiga assistiu ao filme depois de ler o livro, e ela só xingava e ficava falando "MAS QUE DROGA É ESSA??". As histórias tem grandes diferenças, vá preparado, ok?

Eu adorei esse filme. Bradley Cooper e Jennifer Lawrence (apesar de eu não aguentar mais o hype em cima dessa menina) estão sensacionais. O modo como o relacionamento deles vai evoluindo te prende e faz você torcer pra que eles fiquem juntos. E o mais fofo é que essa declaração de amor vem em forma de carta (nada como voltar aos velhos tempos pra mostrar o que você sente, vai por mim).


Querida Tiffany, eu sei que você escreveu a carta. O único jeito de você conhecer minha loucura era fazendo algo louco. Obrigado. Eu te amo. Eu soube no momento que te conheci. Desculpe se demorei muito para eu perceber, eu travei.

7 - O Diário de Bridget Jones (The Bridget Jones's Diary)

Ao longo do filme vamos acompanhando Bridget escrevendo no seu diário sobre situações que fazem parte do dia-a-dia de várias mulheres na faixa dos 30: problemas com o trabalho, a busca do homem ideal (e da dieta ideal também), etc.

Não sei se vocês sabem, mas esse filme é uma releitura de "Orgulho e Preconceito", da Jane Austen (assim como "As Patricinhas de Beverly Hills" e "Emma"). Então, como boa releitura de OeP, não pode faltar dois tipos masculinos: o responsável, meio soturno e que não se mistura muito com a rapeize, e o sexy cafajeste que tem problemas com o responsável soturno mencionado anteriormente.

O responsável-soturno é o advogado Mark Darcy (Colin Firth) e o sexy cafajeste é Daniel Cleaver (Hugh Grant). Mark é filho de amigos dos pais de Bridget, e ela o reencontra numa festa. Daniel trabalha junto com Bridget numa revista, e eles acabam tendo um caso. O problema todo é que Bridget sempre tende a fazer coisas desastradas quando está perto de Mark. Tipo, muito desastradas mesmo. Desde chegar vestida de coelha numa festa que não era mais a fantasia a falar nervosamente sem parar. E eis que, quando a gente menos espera, vem a frase:

"Eu gosto muito de você"
"Ah, tirando fumar e beber, a mãe vulgar... e a diarréia verbal."
"Não. Eu gosto muito de você. Como você é."

E AÍ MIGE, VOCÊ CAI NO CHÃO ABRAÇADA(O) COM A ALMOFADA PORQUE ISSO É LINDO DEMAIS.


6 - Scott Pilgrim Contra o Mundo (Scott Pilgrim vs The World)

Scott Pilgrim é um cara de 23 anos, de Toronto, que não faz muita coisa na vida: toca numa banda (a Sex Bob-Omb) mora com seu amigo gay (e cool) Wallace Wells, e namora uma colegial de 17 anos. Mas tudo muda quando chega na cidade Ramona Flowers, uma misteriosa garota vindo de Nova York, pra dar um tempo depois de um término complicado. Ramona trabalha entregando encomendas da Amazon, tem o cabelo colorido (e muda de cor a cada 10 dias), e não gosta muito de falar no seu passado. 

Scott então começa a se relacionar com Ramona, mas descobre que pra ficar com ela precisa derrotar uma liga de 7 ex-namorados malvados (e poderosos, só pra acrescentar). Se você gosta de trilha sonora com rock alternativo e filmes com referências a videogames, essa é a pedida: a trilha sonora foi composta pelo Beck e a luta do Scott com os 7 ex-namorados parece um videogames com fases, é genial.

Agora você pode estar se perguntando: "Ok, mas por que esse filme está num post de declarações de amor?". Sabe quando você está nervoso e acaba saindo uma besteira completamente grande? Então, essa declaração entra aí.

Ramona acaba reencontrando Gideon, um dos ex, e ela não se controla quando está perto dele, então ela deixa Scott pra lá. E é quando nosso amigo tenta reconquistar a garota, não importa se ele pudesse levar um fora (aliás, nessa cena ele pega uma vida, como em videogames. Eu já disse o quanto esse filme é legal?)

Scott vai com tudo e fala:

"Eu sei que você fica misteriosa e distante só pra evitar se machucar. E eu sei que você tem razões para não querer falar sobre seu passado. Eu quero que você saiba que eu não me importo com nada disso. Porque..."



E com esse quote, Scott Pilgrim, somos nozes.



Okaaay, vamos lá, nos recuperar, beber um copinho de água, respirar num saco de papel, e em breve, as cinco primeiras posições dessa lista!

- carol cardozo

TAGS: , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *