#VALM12L A sombra do vento

A magia de Zafón #VAM12L

28.9.14Adriana Araujo


Olá, viajantes! Como está sendo a viagem de vocês? Eu infelizmente não consegui participar de todo o projeto, mas não poderia deixar de participar desse mês porque Zafón é amor. Porém, fiquei triste, pois não consegui cumprir meu objetivo de ler um livro novo inteiro dele. Vamos falar, então, sobre os que eu já tinha lido e minhas impressões sobre o que ainda estou lendo. 

Vamos lá? 


A sombra do vento


Esse é o livro mais famoso do autor, que já foi traduzido para mais de 30 idiomas e vendeu mais de 6 milhões de exemplares em todo o mundo. Eu o conheci através de uma professora de português quando ainda fazia Letras. Fiquei cariosíssima com a história sobre o “cemitério dos livros esquecidos” e fui atrás, mas estava caro demais. Acabei comprando na Bienal do ano passado pela metade do preço (aleluia,irmãos), mas na época eu estava mega envolvida pela trilogia Millennium do Stieg Larsson e só consegui ler no início desse ano. Foi uma leitura maravilhosa e se tornou rapidamente um dos livros favoritos da vida. A áurea mágica da história é algo que nunca vou esquecer. 

O livro conta a história de Daniel Sempere, que ainda criança, no pós-guerra dos anos 40, é levado pelo pai ao Cemitério dos Livros Esquecidos, um lugar onde estão escondidos os últimos exemplares de livros existentes. Ao menino cabe a escolha de um livro para "proteger" e garantir que a história nunca se perca. Ele escolhe o livro "A sombra do vento" escrito por Júlian Carax. O garoto fica fascinado pelo livro e parte em busca de outras obras do autor. O que descobre, porém, é que o exemplar que possui é o último livro não só daquela obra, mas de todos de autoria de Júlian, pois alguém se ocupou em destruir todos os escritos por ele. O menino parte então em busca desse mistério, que só será resolvido no início de sua vida adulta. Enquanto isso o acompanhamos em uma amizade linda com o meu personagem favorito no livro: Fermín Romero de Torres, e o shippamos num romance improvável e fofo com Bea. O livro tem um ritmo surpreendente e as coisas vão acontecendo do modo menos previsível de todos (pelo menos para mim). 5 estrelinhas, sem dúvida, mais um coraçãozinho de favorito.

O príncipe da névoa

Quando a professora falou em "A sombra do Vento" pesquisei no google e também me apareceu esse, porém minha obsessão era pelo mais famoso. Na mesma bienal em que comprei o meu livro, uma amiga comprou O príncipe e combinamos de uma emprestar pra outra. Depois que li o meu e já estava completamente apaixonada pela obra e pelo autor, parti para esse, que era o primeiro do autor, escrito antes d’A Sombra. Quando li a sinopse tive um pressentimento de que não seria tão bom quanto o primeiro, e não me enganei. Não tive empatia com os personagens, e achei a trama meio ~~boba~~, talvez por ser direcionada ao público infanto-juvenil. Não consegui entrar naquele universo como entrei no primeiro. Só terminei de ler porque era bem fininho, senão teria abandonado. 3 estrelinhas choradas só porque o ar de mistério e a magia que senti com A Sombra ainda estão ali. 

O livro conta a história de Max, um menino de uns 12 anos que se muda com a família para uma casa de praia em uma cidade litorânea por conta da Segunda Guerra Mundial, que afeta Barcelona, cidade onde eles moravam. Lá conhece um menino, Roland, que mora num farol com o avô e o leva para conhecer a cidade e mergulhar. O avô de Roland esconde algum grande mistério que envolve a casa em que Max mora com a família e os meninos vão tentar descobrir. Não tenho muita certeza, mas acho que o final é meio trágico. (Nem isso ajudou a me empolgar, e olha que adoro finais trágicos. -q). Dando uma olhada em uma resenha sobre o livro no blog Livros e Citações a autora da resenha consegui transmitir perfeitamente meus sentimentos em relação ao livro: “O livro jamais será taxado com o melhor do autor e quem começar a lê-lo com as expectativas lá no teto não vai ficar muito contente com o que encontrará”. É exatamente isso. Essa minha amiga que começou a ler Záfon com esse livro também se apaixonou pelo autor, pois a escrita dele é realmente mágica. Então, não o estou julgando como um livro ruim, só não atendeu as minhas expectativas, que eram altas demais, tendo em vista a experiência anterior.

O prisioneiro do céu

Este é o danadinho que não consegui concluir. "O prisioneiro do céu" traz de volta os personagens de "A sombra do vento" (Daniel e Fermín estão de volta \o/) e uma premissa de história que envolve um mistério relacionado ao cemitério dos livros esquecidos. Foi isso que mais me animou em comprá-lo, pois, em tese, não tinha como ser ruim tendo os mesmos personagens e elementos.

O livro se passa depois de "A Sombra do Vento", porém antes do epilogo deste. Um belo dia, um estranho entra na livraria do pai de Daniel e deixa para Fermín um livro com um bilhete sinistro. A partir daí começa uma narrativa das mais fortes que já li, pois nosso amigo magricela relata seu passado, que virá a envolver diretamente a família de Daniel, indo por caminhos que os leitores de A Sombra não esperavam. Percebemos que coisas que aconteceram no livro anterior não foram por acaso. Acabei de passar pela parte mais "pesada" do livro, e eu não esperava que ele enveredasse por esses lados tão dramáticos. Não que a história anterior não fosse dramática, mas não me parecia tanto quanto esta. Eu não consegui sequer formar uma opinião. Estou muito curiosa pra descobrir as coisas, lendo bem rápido, mas ainda não sei se estou amando o livro. Acho que só conseguirei descobrir quando acabar. 



Como foi a viagem de vocês pela Espanha? Conseguiram ler algo do autor? Já o conheciam? Conta pra gente! Pode ser aqui, ou lá no grupo do Facebook!



-Adriana Araujo



TAGS: , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

1 comentários

  1. Adrianaaa, não te conheço, mas me sinto no dever de te avisar para parar agora a leitura do Prisioneiro do Céu! Sério. Primeiro você precisa ler o Jogo do Anjo que também faz parte da série do cemitério dos livros perdidos, e que se passa antes da época do Daniel. Se você ler o Prisioneiro antes, vai perder as conexões que acontecem entre o Jogo do Anjo e a Sombra do Vento, conexões estas que fazem o cérebro colar na parte detrás da cabeça.

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *