a estrela que nunca vai se apagar amor

Presenteando aqueles que amamos - Semana Esther, dia 3

19.2.14Paulo V. Santana


Oi! Como vocês já devem saber, até o domingo, dia 23, estaremos comemorando a Semana Esther. No primeiro dia, o Paulo falou um pouco sobre a Esther Earl e por que ela era uma pessoa especial. Hoje, o assunto é criatividade e presentes que você mesmx pode fazer para pessoas importantes. Quem escreve é a Juliana Reolon, uma leitora do CC, e tem promoção no fim do post! Vamos lá? \o/

*a imagem acima é uma reprodução de parte de um desenho que a Esther fez e está no seu livro, "A estrela que nunca vai se apagar".

Por que falar sobre presentes?

Wayne e Lori Earl, os pais da Esther

Os pais de Esther, em “A estrela que nunca vai se apagar”, apontam como uma das peculiaridades de Esther Earl o fato dela ter como passatempo o seguinte: produzir um trabalho artístico e dá-lo para alguém. Esses “tesouros” poderiam ser algo feito à mão ou algo colhido, como flores, ou algo costurado, pintado ou colecionado, como uma xícara cheia de conchas. Seus mimos sempre vinham acompanhados de bilhetes ou cartas, contendo a verdadeira intenção do seu presente, o que era na verdade, o real presente. 

E é nesse ponto que eu me identifico com a Esther. Eu tenho essa mesma característica e alguns amigos meus também. E acabei por lembrar algo interessante: as crianças também. 

O papel da arte na educação infantil é de trabalhar a sensibilidade e criatividade, assim, as crianças podem utilizá-la como meio de expressão, interpretação e comunicação; aprendendo também a modificar a realidade. E isso se adiciona a sua perspectiva de mundo.

Eu acredito que além de tudo isso, esse ato de produzir algo próprio e se desfazer dele requer um propósito e uma intenção. E fica claro que é o de emocionar e mostrar de alguma forma o quão importante essa pessoa é para nós. O quanto ela é única.

Nesse processo, com o tempo, se cria uma troca. Nós carregamos esse poder de inspirar quem está próximo de nós, sendo ele o alvo do mimo ou apenas um observador. Isso se mostra presente pelo reconhecimento que os pais de Esther fazem: de que o seu passatempo na verdade é uma produção de tesouros.

Nós decidimos o que criamos e como isso pode ecoar dentro dos outros à nossa volta. Escolha produzir tesouros e ecoar amor.

Ilustrações

O mais recente que fiz foi um cartão surpresa de volta às aulas!

Existem diversas maneiras de produzir algo e diversos gostos estéticos; assim como diversos movimentos artísticos. Que confusão. Que tal fazer de tudo? 

Eu já produzi e recebi: cartões postais personalizados, cartões natalinos, de aniversário, de volta às aulas, aquarelados, desenhos abstratos, mosaicos, quebra cabeças, caricaturas, porta-retrato personalizado, ímãs personalizados, caderno com tema de Jogos Vorazes, caricaturas, origamis, porta-treco de corte e colagem, caderninho de artesanato etc. E muitos destes acompanhados de bilhetes ou cartas que guardo até hoje com muito carinho. 

Eu proponho que vocês pratiquem esse mimo com quem vocês amam pelo menos uma vez ou se já têm esse costume, YAY! 



Não se desesperem, eu tenho dicas!

1. Não se estresse, teste!

Brincando com os objetos e estilos que apresentei e o que vocês adicionarem a essa salada de frutas, vocês se tornarão mais íntimos dessa prática. Testando podemos ter uma noção de até onde podemos ir, sem risco de transformar nossa arte em desastre (não que exista uma fórmula da perfeição e nem que a perfeição seja requerida em algum nível). Assim ficamos mais tranquilos e podemos sempre aprimorar nossas habilidades.

Vocês deveriam saber quantas vezes eu arruinei projetos de um tempo pra cá. “Ei! Para de mexe nisso antes que você estrague tudo!” Já cansei de ouvir isso e já cansei de ignorar até realmente acontecer. Ops.

2. Sempre esteja pronto e armado!

Após se aventurar com os estilos, há sempre um que nos cativa mais. Então, nunca sabemos quando alguém vai, de repente, resolver fazer aniversário, certo? É bom estarmos sempre preparados para fazer o que gostamos. Exemplo: eu não posso ficar longe da minha caneta preta (para contornos), lápis aquareláveis coloridos e pincéis de diferentes espessuras; além de uma caixa com recortes de revistas velhas e muita cola!

Não são somente datas comemorativas que pedem surpresas e mimos, então, garanta que você não será o surpreendido!  

3. Pesquise!

Por mais que pareça que todo projeto artístico seja completamente concebido pela catarse, não é bem assim. Quanto mais nos familiarizarmos com o “fazer arte”, vemos que é necessário muita pesquisa adicionada ao seu brainstorming. A criatividade em si é algo construído sobre pilares de  pesquisa, inspiração e estudo. Portanto, se você vir algo de que goste, não veja problema em se inspirar, adicionando um toque pessoal e experimentando - seu trabalho não deve ser menos admirado por isso. 

O que mais deve ser valorizada é a intenção e a emoção causada no alvo e respectivamente em você próprio.

4. Cartas

Eu sou apaixonada por cartas e acredito que seja uma ótima forma de expressar o que você quis demonstrar com o seu mimo. É uma boa saída pra quem acha que não tem tantas habilidades artísticas (mas lembre-se: sempre tente primeiro!) e quem prefere a escrita como expressão. Assim como Esther fazia, adicionar carinhas às cartas e personalizá-las, escrevê-las em diferentes formatos, também é do que esse post se trata. 

Ainda não está convencido? Lembre-se de que será uma experiência única. Sempre.


Então, qual é a moral disso tudo? 

Tem um conselho do John Green que fica no papel de parede do meu computador (eu gosto de lê-lo todos os dias) que consegue muito bem resumir o que eu sinto que Esther praticava e o que eu acho que todos nós devemos:
So here’s my advice: study broadly, and without fear; learn a language if you can, because that will make your life more interesting; read a little bit everyday; but most importantly, try to surround yourself with people you like and make cool stuff with them. In the end (at least in my experience) what you do isn’t going to be nearly as interesting or important as who you do it with.”* - John Green
*"Então aqui vai meu conselho: estude amplamente, e sem medo; aprenda uma língua se puder, porque isso tornará sua vida mais interessante; leia um pouco todos os dias; porém, o mais importante, tente se envolver com pessoas de quem você gosta e faça coisas legais com elas. No final (pelo menos na minha experiência) o que você faz não será quase tão interessante ou importante como com quem você compartilha isso” 

Não podemos deixar para depois uma coisa tão preciosa quanto mostrar para aqueles que nós amamos que eles são importantes para nós.  DFTBA!



-Juliana Reolon (twitter)


---


>>>Quer concorrer a vários brindes e até a um kit com "A estrela que nunca vai se apagar" e "A culpa é das estrelas"? Clique aqui para saber como participar das nossas promoções!

TAGS: , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

1 comentários

  1. Amei as dicas, apesar de ter feito cara torta pro "John Green" no final (mera implicância profissional) rs

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *