adaptação análise

Você já sabe por que Em Chamas é uma adaptação fantástica?

19.11.13Dana Martins


Toda vez que alguém tentar justificar uma adaptação ruim com a desculpa de que "Ah, é uma adaptação, livro é diferente de filme", eu vou apenas colocar um link para Em Chamas e me retirar.

Então, hoje vamos falar de adaptação. Por que Em Chamas é uma adaptação tão boa do universo de Jogos Vorazes? Eu fiz uma análise completa para mostrar como na prática eles usam certos elementos de narração e adaptaram algumas passagens do livro no filme. Abaixo você vai ver: A herança de Jogos Vorazes, a criatividade de Em Chamas, a explicação de como alguns trechos do livro foram adaptados e como o conteúdo em si foi adaptado. No futuro, esse post vai servir de base para um Clube de Escrita e muitas discussões sobre adaptações.

Que as análises comecem!


Em Chamas (E Jogos Vorazes!) são quase um legado para o mundo cinematográfico e uma aula sobre adaptações. Esses filmes mostram duas coisas: 1) que você pode ser fiel ao livro e até repetir frases inteiras dentro do tempo. 2) que você pode, sim, cortar elementos e criar coisas novas, sem que isso signifique destruir toda a história.

Acho que essa segunda parte é o principal feito desses filmes. Temos por aí algumas boas adaptações, que têm valor porque decidiram ser fiéis ao livro e contar tudo do jeito certo. Mas Jogos Vorazes e Em Chamas? A coisa vai para um novo nível! Não estão repetindo a história, estão adaptando a história.

Aviso: eu cito diálogos aqui, mas a maioria eu coloquei de cabeça. Os personagens falam o que eu digo, mas nem sempre exatamente assim. 

Peeta avisou, tá avisado.

Jogos Vorazes vs. Em Chamas: A herança para uma boa adaptação

Distrito 11 assistindo a Katniss
Em Chamas é como um filho de Jogos Vorazes que herdou uma grande fortuna e a tornou ainda maior. No primeiro filme já víamos a abertura da visão da Katniss: cenas da sala de comando durantes os jogos, aquela cena genial da revolta no Distrito 11, o Haymitch convencendo o Seneca Crane... Ao mesmo tempo, já tínhamos uma câmera mais subjetiva tentando entrar na cabeça de Katniss: imagens borradas e sem sentido quando ela é picada, a câmera tremida transmitindo o estado da menina e mais que eu esqueci, beijos. Ah! E a montagem sobrepondo cenas para dar um terceiro sentido, como logo no início do filme quando aparece a entrevista com o Seneca e perguntam "O que você espera para esses Jogos Vorazes?", nós ouvimos um grito e a cena muda nos mostrando que é a Prim tendo um pesadelo. 

1- História em terceira pessoa

Já no filme Em Chamas, essa visão aberta se tornou fundamental. Ela mostra um paralelo que nos ensina o resultado das ações da Katniss, aproveita para nos explicar diversas coisas que a Katniss conclui, aprende ou mensagens implícitas do livro e ainda serve para quem está assistindo se identificar. Temos o programa Jogos Vorazes sendo exibido, temos as cenas do Snow com a neta ou com o Plutarch, o comentário sobre a trança... 

2- Subjetividade da Katniss ainda presente

Pelo lado da subjetividade: Mandaram cortar a câmera tremida porque nem todo mundo consegue assistir assim e as pessoas ainda pensam que é sinal de filme caseiro (todas as cenas de Jogos Vorazes sem o tremor devem ter sido filmados com a câmera em uma cadeira, né?). Mas é lindo que eles lembraram de colocar em primeira pessoa. Logo que os jogos começam e a Katniss mergulha, a câmera nos mostra a água e ela indo à superfície para ver se está chegando. Ou quando o macaco bestante ataca Katniss e ela fica no fundo da água. 

3- História onde 1 + 1 = 3!

E, sim, mesmo que Em Chamas também tenha uma montagem mais sutil (aka mainstream), eles reaproveitaram a combinação de cenas. A minha preferida é quando a Katniss coloca o "corpo" do Seneca Crane enforcado, a tela enquadra isso e começa a música animada da próxima cena (do programa de entrevistas), que dá um up no sentimento da cena (aliás, acho que essa cena é o equivalente ao protagonista fodão andando em câmera lenta enquanto tudo explode atrás). Outro momento em que isso acontece é quando Katniss sobe em uma árvore para olhar a arena, a câmera mostra a personagem no meio das plantas olhando ao redor e surge a voz dela "É um domo, a arena é só isso...", você poderia até pensar que é uma voz do além pra mostrar o que ela está pensando (porque é), mas então a cena corta e mostra que é ela explicando para os outros. Como mostrar o pensamento de um personagem sem narração cafona? Em Chamas ensina. 

Elementos criativos de Em Chamas que nos contam mais sobre o universo de Jogos Vorazes

Ótimo desenvolvimento da Effie e deram atenção até ao prep team <3
1- Diálogos

E ainda tem mais! Em Chamas não só reutiliza elementos de Jogos Vorazes com louvor, como traz os próprios, tipo os diálogos. Um dos chatos de adaptação de livro em primeira pessoa é que corre o risco de perder toda a voz do personagem. E uma das coisas que eu adoro nos livros é a narração da Katniss, o jeito que ela é prática e tem um certo humor. Como você vai passar isso para um filme?! Fazendo a Katniss falar o que pensa, é claro! 

Meu momento preferido é no diálogo da Katniss e do Peeta no trem, quando ele fala que eles podiam ser amigos e se conhecer mais. É uma cena extremamente fiel ao livro, o diálogo é o mesmo e quando muda algo, é aí que está a genialidade. O Peeta vem falando "Ah, deveríamos nos conhecer mais, saber coisas profundas um do outro." E a Katniss: "Tá, tipo o que?" Ele para pra pensar e... "Eu não sei a sua cor favorita." E a Katniss rebate: "Ah, não, você foi longe demais!" (HUAHUAHA deixa eu rir, porque é maravilhoso) Com isso o filme nos mostra que a Katniss não é uma pessoa de muitos amigos, que ela não sabe nem começar uma amizade e com essa resposta genial, que não está no livro, mostra esse lado da Katniss. Alguém aí lembra no primeiro livro, Jogos Vorazes, quando ela conhece o Cinna pela primeira vez e está com medo da roupa que vai vestir porque o Distrito 12 sempre pega algo ridículo? E aí quando ele diz que vai ser algo maravilhoso ela fica tipo "Ai meu deus, vou ficar pelada. e coberta de carvão!" É a mesma Katniss nos dois casos.
*Por curiosidade, o diálogo da cor fica na página 52 do livro em inglês, e ela não tem a chance de dar essa resposta porque, na verdade, o Peeta diz "Vamos começar por algo mais básico..."

2- Desenvolvimento dos personagens

Em Chamas faz isso com TODOS os personagens, que ganham vida própria além da visão da Katniss (Tipo, você consegue sentir que eles são os mesmos do livro com os mesmos conflitos). Quando Haymitch e Gale (momentos diferentes) confrontam o egoísmo de Katniss com "E os outros? Quem vai proteger os outros?", com uma meia frase do Finnick no final do filme, quando a Johanna berra "eu trouxe eles pra você!"... 

3- Continuidade e referências

Só pra completar, Em Chamas ainda usa e abusa de... momentos de outros livros e do primeiro filme. Repetem a famosa rolada da Katniss barranco abaixo (Agora com amigos!), um momento emblemático do Haymitch (fabuloso!), catam a neta do Snow em uma citação lá em A Esperança, preparam o Peeta para o real or not real, preparam a Prim para VOCÊ SABE O QUE, preparam o Finnick como companheiro de feridas da Katniss e muito mais.

O meu momento preferido desses foi: depois do ataque de pânico da Katniss ao descobrir que vai voltar para os Jogos Vorazes, quando ela se dá conta de que ainda há algo que ela pode fazer e diz em voz alta: Peeta! Então corre e vai falar com o Haymitch. No livro Em Chamas ela não diz Peeta, ela apenas conclui que deve isso a ele (encontra um novo motivo para lutar) e corre para o Haymitch. Mas... no livro Jogos Vorazes, isso é exatamente o que acontece quando ela se dá conta de que ela e o Peeta vão poder sair vivos da arena. Calma aí, a adaptação do segundo livro repetiu uma cena do primeiro para amarrar tudo e dar o dobro de significado? Sim.  

Análises das partes do livro e como Em Chamas as adapta 

Desculpa, gente, não tenho os livros em português, mas explico qual é a cena abaixo do trecho. 

"He embraces me, enfolding me in the smell of blood and roses, and plants a puffy kiss on my cheek. When he pulls back, his fingers digging into my arms, his face smiling into mine, I dare to raise my eyebrows. They ask what my lips can't. Did I do it? Was it enough? Was giving everything over to you, keeping up the game, promising to marry Peeta enough?

In answer, he gives an almost imperceptible shake of his head."

A cena acima é quando Katniss encontra Snow no final da Turnê da Vitória e quer saber se conseguiu acalmar as revoltas, mas sem perguntar em voz alta. No filme em vez de haver um abraço e tal, ele aparece na varadinha da casa para um discurso cheio de indiretas e os fogos começam. Então quando todos se viram para ver, Katniss dá uma olhadinha para trás. Ela não precisa erguer a sobrancelha, no filme apenas aquele olhar pergunta tudo o que os lábios dela não poderiam dizer. Ela conseguiu? Foi o bastante? Em resposta, o Snow nega com a cabeça de um modo quase imperceptível. 

Mas repetir o que acontece o livro não é o bastante para Em Chamas. No discurso do Snow o filme reforça o que a Katniss está sacrificando (Was giving everything...) e logo após, quando ele leva a taça à boca para beber, ela se enche de sangue. E a rosa vem sendo lembrada desde o primeiro filme (genial o Snow conversando com o Seneca enquanto cuida das rosas). 

But never that I myself would have to be a player in the Games again. Why? Because there’s no precedent for it. Victors are out of the reaping for life. That’s the deal if you win. Until now.

Essa é uma parte da narração logo após a Katniss descobrir que vai ser levada para a arena. Ela com certeza não esperava aquilo, porque nunca havia acontecido antes. Mas no filme Em Chamas quando isso acontece ela sai gritando essas palavras? Não, ela não pode fazer isso. Então como esse trecho de pensamento da narração aparece no filme?

A maior parte, na entrevista com a Johanna. Ela diz "Me disseram que se eu ganhasse isso aqui, me deixariam em paz. Agora querem me matar outra vez?" Só a revolta ali dos vencedores já mostra que havia algum tipo de trato. (No livro, há apenas uma frase para descrever a entrevista da Johanna, "By the time Johanna Manson gets up, she's asking if something can't be done about the situation.") E o resto da mensagem é transmitida enquanto o Snow e o Plutarch discutem o motivo da criação dos jogos.

Como Em Chamas adapta críticas, questionamentos implícitos e outras partes do livro

"Katniss Everdeen é um símbolo..." 
Para começar, os filmes transformam os Jogos Vorazes em algo vivo, quase que como um reality show que assistimos na tv. Isso ajuda no que eu falei lá em cima: a identificação.

Quê? Como assim? Nós vamos simpatizar com o Snow e com a Capital? Sim, o filme praticamente nos trata como moradores da Capital (você acha que são as pessoas dos distritos que leem a Capitol Couture? HAHAHA) e até porque, assim como eles, somos nós quem estamos assistindo aquilo tudo com ansiedade. É impressionante como num cinema, seja ele cheio de fangirls ou com adultos que não leram os livros, podemos sentir ao nosso redor as mesmas reações que as pessoas da Capital na plateia. Quando eu assisti na estreia os gritos quase não fizeram diferença - estavam gritando JUNTO com a plateia no filme. 

Aliás, às vezes quando mostrava o apresentador olhando para a câmera e contando a história eu me sentia praticamente assistindo The Voice/The X Factor ou um programa assim. Mesmo que no livro a ideia de que o Jogos Vorazes é um reality show como esses esteja clara, a Katniss nunca enxerga desse jeito. O filme permite o reality show ser mostrado realmente como ele é. 

Ou a neta do Snow, falando da trança ("ah, tá todo mundo usando na escola"). É algo tão parte do nosso cotidiano. Logo após sair do filme eu vi no shopping uma mulher (MULHER! não garotinha fã) com trança para o lado como a da Katniss. Na época do primeiro filme até minha prima que não sabe nem o que é Jogos Vorazes estava usando trança. Uma moda, gente. Mas basta um olhar do Snow para nos dizer até onde uma simples moda pode nos levar - outra crítica do livro. 

O melhor de tudo é que esses elementos ainda impedem a síndrome do protagonista burro. O que é isso? (Katniss sobre o broche do mockingjay no primeiro filme. SÉRIO, KANTISS, QUE VOCÊ NÃO SABE O QUE É UM MALDITO MOCKINGJAY?) O que são carreiristas? (Peeta e Katniss para Effie no primeiro filme) O que é isso? (Katniss para a mulher que vai enfiar o rastreador no seu braço no primeiro filme) Porque, é claro, a Katniss não pode nos explicar diretamente como faz no livro. Mas como Em Chamas mostra, há diversos modos de nos ensinar o que está acontecendo sem a famosa síndrome do protagonista burro, que aparece em diversas adaptações.

O filme ainda lembra de mostrar uma Katniss traumatizada: ela entra em colapso do início ao fim de Em Chamas. Quando ela vai atirar um peru e vê o Marvel (o único que ela "realmente" matou no primeiro livro), quando ela tem pesadelos, quando ela descobre que vai voltar para a arena, quando ela ataca a Johanna na arena, quando escuta os gritos do setor dos jabberjays, quando fazem parecer que o Beetee, a Johanna e o Finnick estão pressionando para ela e o Peeta se separarem, quando ela ataca o Haymitch e o olhar agoniado dela no final...

Ou uma Katniss egoísta: Ela quer salvar a própria pele, como sempre. E é lembrada pela Prim, pelo Gale e pelo Haymitch que há outras pessoas para salvar. O próprio Snow fala isso para o Plutarch em uma conversa ("Ela não é uma líder, ela só quer salvar a própria pele...").

O filme dá várias ênfases na encenação na frente das câmeras e manipulação de imagem. Há três momentos principais: 1) No início antes da Turnê da Vitória que a Katniss sai de casa para uma filmagem, ela se força a sorrir, encontra o Peeta e os dois se abraçam, caem na neve, ela força um beijo e os dois conversam com a Capital. Até que acaba, as câmeras apagam, eles ficam sérios e se separam. 2) Quando estão chegando na festa na Capital, do gif abaixo. 3) Quando Plutarch fala para o Snow sobre manipular a imagem dela para fazer as pessoas a odiarem.



To pensando aqui que é tudo tão bem feito que nesse filme é muito mais claro que nos Jogos Vorazes quais são os beijos falsos e os beijos verdadeiros. Logo após a quase morte do Peeta, com o desespero da Katniss, eles dão um close na cara do Finnick observando. Ela realmente gosta do garoto? De verdade?

E, por fim, uma Katniss que não perde a esperança e uma Katniss que é a esperança. Eles falam tanto em esperança nesse filme que deve ser a palavra mais repetida, então não vou nem comentar às vezes que fala, basta ver o trailer. Mas sobre a Katniss que não perde a esperança: quando ela entre em crise ao descobrir que vai para a arena e só volta a agir quando lembra do Peeta, ou simplesmente com o olhar dela no final. "Ela estava apavorada, até que tem um lapso de determinação, faz uma cara de decidida e acaba o filme." - Giu no Clube de escrita

Então, terminamos por aqui. Espero que você tenha gostado e sido útil para repensar o filme. Devemos ainda prestar atenção no que a Mariana Bergo diz em sua resenha no Distrito 13: E se eles correram com coisas de A Esperança para... não desenvolver no outro? Espero que não, realmente espero que não. Mas aí o problema de adaptação é no próximo filme, certo? Vamos aproveitar Em Chamas!!!

(quero Katniss só rolando ladeira abaixo, como ela tem feito tão bem nesses dois primeiros filmes e acontece no próximo)

-dana martins

TAGS: , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

2 comentários

  1. Uma visão clínica para os elementos do filme feita de forma genial. Meus parabéns!.

    Aproveitando o engate, me parece q vc seria a melhor pessoa para me explicar de fato o que acontece durante o plano de beetee, em relação a fuga eu compreendo. .o fato é que certos detalhes não explicitos me incomodam, como por exemplo:
    Como e por quê o Peeta r o Finnick saiem de perto da árvore do raio e se separam de beetee???
    Ou como o episódio do braço ferido do beetee se sucedeu???
    Oq houve, pq tudo parece borrões para mim, anseio por esclarecimentos que me tirarão dessas dúvidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada <3

      Então.. você só viu o filme ou leu o livro? A questão é que a história é contada da perspectiva da Katniss: é ela que conta a história do que ela viu. Então nessa parte da arena (como em tudo), ela está no meio da confusão e não sabe de tudo. A cena perderia todo o desespero se ela soubesse que a Johanna estava protegendo ela, ou onde o Peeta estava, ou o que aconteceu de verdade. Um dos temas-chave de Jogos Vorazes é a confiança, e isso é um problema justamente porque você não tem como ter certeza de tudo. Você não sabe o que o outro está vendo. Ou o que aconteceu. Ou o que levou Fulano a reagir de certo modo. Então como confiar em alguém? Esse problema fica bem claro no filme quando o Finnick retorna e ela não sabe se deve ou não atirar nele. No filme você ainda tem a visão do Snow, que deixa claro que a Katniss atirando nele é um momento decisivo para sua imagem como símbolo da revolução no país. Ela é alguém que pode confiar nos amigos dos outros distritos ou alguém que entra no jogo da Capital? Então essa falta de informação é crucial para o desenvolvimento do dilema da história. Tanto para a Katniss, quanto para quem assiste poder se colocar no lugar dela.

      (Aliás, outra coisa interessante que isso me fez perceber sobre a adaptação: no livro estamos 100% presos na visão da Katniss, mas como o formato que a história está sendo contado é livro, depois quando ela reflete sobre tudo conseguimos concluir essas questões de confiança. Já no filme, você não pode colocar a voz da Katniss explicando o que passa pela cabeça dela e as conclusões, que às vezes são mais implícitas, então a forma que isso é adaptado no filme é mostrando o Snow e as consequências das ações dela no país)

      Mas o que realmente aconteceu? Eu acho que a história dá umas dicas:
      Katniss e Johanna escutam os outros tributos. O cabo é cortado. A intenção original do Beetee é desarmar o campo de força.

      Então eu acredito que o que tenha acontecido é:
      Não dá pra saber a ordem exata dos fatos, mas a mistura de cabo cortado, ir atrás da Katniss e Johanna pra saber o que aconteceu (com o cabo ou com elas), o perigo da presença dos outros tributos e a desconfiança um do outro fizeram eles se perderem. Quando isso acontece, o Beetee fica para enfiar o pedaço do cabo no campo de força, que era seu plano original, mas leva um choque e não consegue. (aí o braço ferido) Finnick já tinha a ordem de que a Katniss era mais valiosa do que o Peeta, então quando todo mundo se perde é atrás dela que ele vai, deixando o Peeta pra lá.

      Por isso quando a Katniss retorna o Peeta não está lá (provavelmente está perdido em outro lugar correndo atrás dela ou se escondendo de todo mundo), o Beetee está ferido e ela reencontra o Finnick. Vendo o Beetee ferido no chão e o cabo e lembrando o que ele falou sobre o campo de força, ela conclui o que realmente é pra fazer e termina o trabalho que ele não conseguiu fazer.

      Não sei se ficou claro, mas foi isso que aconteceu. Qualquer dúvida, só perguntar

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *