A Esperança Arena Em Chamas

Arena Em Chamas: Contagem regressiva para "A Esperança", ou não

29.11.13Paulo V.


Novembro de 2013 está chegando ao fim, o que significa que a contagem regressiva para novembro de 2014 começa!

No dia 15 desse mês, pudemos assistir a “Jogos Vorazes: Em Chamas”, o segundo capítulo da franquia que adoramos. O filme é ótimo e só despertou reações positivas na equipe do CC, como pode ser visto nos nossos últimos posts. Agora que novembro está terminando, todos começamos a entrar novamente nos altos níveis de ansiedade, pois o terceiro (e penúltimo) filme, “A Esperança: Parte 1”, está a pouco menos de um ano de distância. E agora, o que esperar do desfecho da trilogia nos cinemas?

Para saber quais são as nossas expectativas para os próximos filmes de “Jogos Vorazes” e as informações que temos até o momento, continue lendo o post!

Quando o especial de “Em Chamas” começou nas sextas do blog, eu falei um pouco sobre o que esperar do filme, e um dos pontos principais que eu apontei foi o orçamento. Em relação ao primeiro filme, ele cresceu muito, passando de $78 milhões para $140 milhões. Isso aconteceu porque “Jogos Vorazes” foi um grande sucesso de bilheteria e trouxe bastante lucro para a Lionsgate.

Agora, o segundo filme supera o êxito do seu antecessor e já quebrou recordes, uma semana depois do lançamento mundial. Só no seu final de semana de estreia, conseguiu arrecadar $158 milhões nos EUA e $146 milhões no resto do mundo. Isso fez com que “Em Chamas” se tornasse o filme com maior arrecadação em novembro e também a sexta maior arrecadação em final de semana de todos os tempos (estando atrás dos grandes “Os Vingadores”, “Homem de Ferro 3”, “Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2”, “O Cavaleiro das Trevas Ressurge” e “O Cavaleiro das Trevas”). Números impressionantes, que devem trazer bastante lucro para a produtora e uma maior segurança para o orçamento dos próximos longas.

Poster fanmade
Mas o que esperar?

O terceiro e último livro da trilogia, “A Esperança”, será dividido em duas partes, seguindo o que se tem feito com as grandes franquias cinematográficas. Ambas terão o mesmo diretor de “Em Chamas”, Francis Lawrence, o que é muito importante porque mantem uma unidade entre os três filmes, mas pode não ser tão legal em outros aspectos que comento adiante. O roteiro dos filmes, no entanto, foi feito por um profissional diferente, Danny Strong, que também escreveu o premiado "Virada do Jogo” e “O Mordomo da Casa Branca”, longa comentado entre os possíveis concorrentes ao Oscar 2014.

As filmagens das duas partes serão realizadas simultaneamente e já acontecem desde setembro. Saíram até algumas fotos dos bastidores, como vocês podem ver ao longo do post ou na galeria do Distrito 13. Em função do período de eventos, entrevistas, etc. para o lançamento de “Em Chamas” houve uma pausa, mas as filmagens serão retomadas logo no início de dezembro. A previsão é que elas acabem em maio, sendo que até março eles rodam o filme em Atlanta e depois partem para a Europa.

Entre as adições ao elenco, a que mais chama atenção é a Julianne Moore. A atriz vencedora de diversos prêmios e indicada quatro vezes ao Oscar interpretará a Presidente Coin, personagem muito importante que aparece no último livro e é fundamental no desfecho.

Julianne Moore como Presidente Coin

Ainda não temos muita informação sobre “Mockingjay”, mas o pouco que temos pode nos deixar receosos. 

Dividir a história de um livro em dois filmes é uma ótima estratégia para lucrar mais, porém, sempre gera dúvidas. O maior espaço para contar a história é questionável, visto que pode ser muito proveitoso para se trabalhar melhor o que tem no livro como também pode ser preenchido por diversas cenas desnecessárias. A experiência que temos dos dois primeiros filmes quanto à fidelidade nas adaptações é positiva, mas não há como garantir que isso se repetirá. Eles podem acabar correndo com os acontecimentos na primeira parte e só enrolando durante a segunda.

Um detalhe importante é a cena final de “Em Chamas”, em que vemos através da expressão facial da Katniss que ela se revoltou, incorporou o símbolo do mockingjay. Contudo, isso difere da história da personagem, pois, nos livros, vemos uma Katniss que não aceita tão facilmente ser o símbolo da revolução. Será que o desfecho do segundo filme significa alguma mudança nos próximos? Adiantar a transformação da Katniss pode ser um erro, quando se tem dois filmes pela frente.

Outra decisão controversa de Francis Lawrence é o uso de câmeras digitais em vez das câmeras IMAX, usadas nas ótimas cenas da Arena. Ele afirmou que o equipamento atrapalharia nas gravações, por conta das várias cenas no subsolo. Lawrence também comentou recentemente que não há nada decidido, mas houve conversas sobre lançar o filme em 3D, mesmo não estando gravando com tal equipamento. Particularmente, essa é uma ideia que não me agrada, principalmente sendo o 3D convertido. Infelizmente, isso deve acabar acontecendo, já que é uma forma de aumentar o lucro.

Jennifer Lawrence e Liam Hermsworth
Para encerrar, devo dizer que tenho muito receio em relação aos próximos filmes. “Em Chamas” fez com que a expectativa para as continuações crescesse, o que só trouxe de volta meu medo quanto ao trabalho do Francis Lawrence. Embora ele tenha feito um filme que agradou a maior parte do público, certas opiniões dele despertam dúvida sobre o que será feito com “A Esperança”.

Há alguns meses, em entrevistas, Francis havia dito que queria tornar o Peeta um personagem mais forte e independente – aproximá-lo do estereótipo de “homem”, “macho”, o que é um comentário completamente babaca. Vendo o filme, encontrei o personagem do Josh Hutcherson da mesma forma que em “Jogos Vorazes”, o que foi muito bom e mostrou que o diretor não fez nenhuma mudança brusca (embora ele ache que sim).
*Dana: Na verdade, em Em Chamas colocaram ele com o Haymitch contra a Katniss na escolha dos parceiros: Cortaram a cena dele com morfináceos (é esse o nome em português?) e mostram ele só com os fortões, tipo o Gloss. 

Outra intenção do diretor em “Em Chamas” foi “trazer o romance para a superfície”. De fato, há mais cenas do gênero no segundo filme, porém, não é algo excessivo. O lado romântico da trilogia aparece ainda mais no último livro, pois há a decisão da Katniss no “””triângulo amoroso””” (muitas aspas aqui), e fico em dúvida se isso não fará com que o Francis exagere para esse lado. O teor político é marcante no último livro, e seria ótimo se aproveitassem as duas partes para desenvolvê-lo melhor.


O que nos resta a fazer é especular e esperar por mais informações. E o mais importante: sobreviver até os filmes saírem. 
“A Esperança: Parte 1” – nos cinemas em novembro de 2014. 
“A Esperança: Parte 2” – nos cinemas em novembro de 2015.


-Paulo V. Santana

TAGS: , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *