50 mil palavras camp nanowrimo

O que eu aprendi com esse Camp NaNoWriMo?

1.8.13Dana Martins


É a terceira vez que eu completo 50 mil palavras seguida e, a cada vez, a experiência é diferente. Então o que eu aprendi dessa vez?

Dessa vez a coisa foi diferente, porque até a gente criar o Mini Camp eu não tinha muito ideia do que fazer - até pensei em não participar. Das últimas 2 vezes eu estava escrevendo a mesma história, que levou pouco mais do que 100 mil palavras para terminar. Agora em julho... eu ainda não tinha revisado essas 100 mil e ainda tinha um conto pra fazer, um conto que com certeza não daria 50 mil palavras.

O que fazer? Meta menor? Fazer o conto e outra história ao mesmo tempo?

No fim das contas, acabei começando com o conto mesmo, depois eu via o que ia fazer. O legal é que mês de NaNoWriMo parece que TUDO acontece. Foi final de período, eu viajei três vezes (duas pra casa do meu pai em outra cidade), fiquei doente, teve show do Paramore e provavelmente mais coisas que eu não lembro agora. 

Sem falar que... a história acabou, de verdade. Eu escrevi todo o conto, o final uma porcaria tão grande que não dá nem pra colocar em palavras. Só que ainda faltava umas 25 mil palavras.

fazendo o acampamento no meio da sala -nn 

E essa foi a parte mais legal desse Camp. Eu não tinha nada pra escrever, o peso de revisar o conto terminado nas costas e ainda tinha todas as palavras que faltavam pra escrever. Então, não sei por que, eu tive a ideia de contar a história de um personagem em particular do primeiro conto. Ele só aparece uma vez e ainda morre, mas eu decidi contar. 

Levei uns 5 dias e mais 10 mil palavras e foi muito legal, porque o meu medo era a questão de voz do personagem. Minha dúvida era: será que eu consigo narrar diferente dependendo do personagem e criar personagens com características diferentes? Sei lá, eu tinha a impressão de que era tudo muito parecido. Então, conforme eu fui avançando na história dele, eu fui descobrindo isso. 

Acho que nunca consegui escrever uma história completa tão fácil como essa e não sei nem de onde ela veio. Bônus: ainda descobri mais sobre o mundo onde acontece meu conto principal.

Lembram do Jonas De Ro? Fiz um post de Inspiração só com ilustrações incríveis dele.

Mas... EU AINDA NÃO TINHA 50 MIL PALAVRAS. Dois contos terminados e nada. Então começaram os ataques de depressão, insegurança e até cheguei a ter certeza de que "eu não tenho nenhuma história para escrever!" Tudo mentira.

Eu quase comecei a escrever um terceiro conto no mesmo mundo, só que quando eu acordei a ideia não parecia mais tão atraente assim. Por outro lado, eu tinha acabo de ver a imagem acima que me lembrou de uma história antiga...

Há muito tempo, tipo uns 3 anos, eu comecei a imaginar uma história medieval. Cheguei até escrever uma parte, perdida em algum canto escuro do meu hd. Então eu pensei: por que não escrever isso agora?

Em compensação, a vista de outro lugar onde eu escrevi foi bem melhor. Parecia que eu tava jogando Assassin's Creed
E essa é a segunda coisa principal que eu aprendi nesse Camp: o problema não é ter ou não ter ideia, é a forma como você julga a ideia. Em outras palavras, você tem que estar aberto a aceitar ideias improvaveis como algo provável. 

Essa ideia mesmo, por ser medieval, eu empurrava com a barriga naquela de "ah, precisa de pesquisa." E precisa mesmo, porque em um momento me dei conta de que não sabia se existia fósforo ou como é que eles faziam para andar de noite naquela época. Ainda não sei, mas vou descobrir na hora de revisar. A parte principal está pronta: eu finalmente terminei o primeiro conto da minha história medieval.

Terminei o terceiro conto e ainda faltavam 2.000 mil palavras para completar 50.000 mil. Depois de um mini-ataque de raiva eu enrolei no final, falando sobre o que eu queria contar com a história, o que cada personagem aprendeu, a diferença que isso fez no mundo e alguns detalhes de cenário... e, pronto, 50.084 palavras. FEITO.

E essa foi a vista do meu primeiro conto. Tava aqui pensando: eu escrevi cada conto em um lugar diferente! Essa é do 1º, a segunda imagem é do 2º e a terceira imagem é do 3º. E encaixou direitinho. O lugar onde a gente escreve influencia no que a gente escreve?

Dessa vez eu não me senti marchando heroicamente na linha de chegada, nem foi algo tipo "vou me jogar da cama e hibernar para descansar, me acorde em novembro." Aliás, eu terminei as 50 mil 5 dias antes do filho de julho, então foi... terminei. 

Desde então tenho vivido a crise pré-revisão e passado por fortes momentos de "eu escrevi uma história que não conta nada" ou "minha história é sobre o que?" Ah, além de procrastinação. Porque a hora IDEAL para fazer um post sobre o que se aprendeu no NaNoWriMo é quando você deveria estar revisando. (:


Leiam o post da Isabel no Distopicamente sobre esse Camp, foi tão lindo do tipo que me dá vontade de continuar escrevendo. 

-dana martins

TAGS: , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

5 comentários

  1. Gente vocês deviam pegar todos os posts sobre o NaNo e sobre as dicas de escrita e tal e fazer tipo um super arquivo em .rar intitulado TEXTOS QUE VÃO SALVAR A VIDA DA MARESJA FORNECENDO AS MOTIVAÇÕES NECESSÁRIAS PRA ESCREVER ok, não precisa ser esse o título, mas anyway, vocês são tão lindos que ai <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ATÉ ESCREVI MEU NOME ERRADO DE TANTO QUE A LINDEZ DE VOCÊS ME DISTRAI

      Excluir
    2. HUAHUAHUAHUAHUAHUAHA QUE LINDO <3 VOU FAZER ATÉ COM ESSE TÍTULO!!! Ai, gente. MUITO amor seu comentário, você que é uma linda. (:

      E eu já pensei mesmo em fazer um Clube organizadinho fechado, quero só juntar mais conteúdo

      Excluir
  2. To jogando glittler na ideia também, principalmente depois de parar no meio do Camp e não passar de 13.006 palavras \o/

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *