40 conversinhas adeus por enquanto

[Resenha] Adeus, Por Enquanto, de Laurie Frankel

15.5.13Paulo V.

por Paulo V. Santana

- Livro: "Adeus, Por Enquanto"
- Livro Único
- Autor: Laurie Frankel
- Editora: Paralela (selo da Companhia das Letras)
- No skoob
- Comprar: Saraiva, Fnac e Travessa.








Mini-crítica - Resumo: 
Com uma história sobre amor, morte e perdas, “Adeus, por enquanto” é uma leitura muito agradável, ótima para quem está querendo ler um romance diferente e moderno.

O livro fala sobre Sam Elling, um homem que conhece Meredith Maxwell, sua “alma gêmea”, através de um programa que descobre os casais ideais que ele mesmo criou. Porém, o programa era perfeito demais, o que traria prejuízos para a empresa e levou à demissão do programador. Aproveitando o tempo livre e tentando ajudar a namorada, Sam desenvolve o RePose, um programa que cria projeções virtuais de entes queridos falecidos, permitindo um último adeus aos parentes. Porém, quando ele menos espera, surge a necessidade de usar o programa. Como seria se o amor continuasse além da vida?

Quer saber mais? Clique abaixo para conferir a resenha completa.

Um relacionamento amoroso que chegou ao fim. Uma amizade que foi desfeita. Um parente querido que se mudou para longe. Tudo isso dói muito, porque perdas são sempre difíceis, independente do tipo. Mas a perda definitiva, quando alguém que você ama morre, parece ser muito maior e não ter fim. Mesmo que saibamos que um dia isso acontecerá com todos, é difícil aceitar quando alguém se vai.

A pior coisa seja, talvez, a falta de um adeus, uma despedida concreta. É sempre tão de repente e a sensação de que não se disse tudo é recorrente. Mas e se todo esse avanço da tecnologia nos desse uma chance de dizer um adeus definitivo e permitisse que o amor continuasse além da vida? Esse é o ponto que “Adeus, por enquanto” toca.

Capa americana do livro. Os aviões
podem não dizer nada para quem
não leu, mas tem muito significado.
Sam Elling trabalha para um site de relacionamentos online como programador e leva uma vida um tanto irônica: ele ganha dinheiro unindo casais (mesmo que por pouco tempo), mas não consegue ele mesmo se unir a alguém. Quando Sam desenvolve um algoritmo revolucionário que promete (e consegue) encontrar a pessoa ideal, as coisas mudam. Ele conhece Meredith Maxwell, uma mulher que sempre esteve próxima, mas com quem ele nunca teria nada se não fosse pelo seu programa. Mas, como nada é completamente bom, Sam é demitido, porque um programa perfeito demais não pode ser algo muito lucrativo para a empresa que trabalha.

Mesmo estando abalado pela demissão, Sam estava muito feliz em seu relacionamento com Meredith. Porém, isso se quebra com a notícia do falecimento da avó de Meredith, o que entristece muito a garota. A fim de tirar a namorada do poço de tristeza, Sam desenvolve um algoritmo que permite um adeus, seja por e-mail ou chamada de vídeo.

O novo programa, que incialmente deveria ser só para Meredith, se torna um produto muito conhecido e utilizado, o RePose. Sam, Meredith e Dash, primo de Meredith, se dedicam ao sucesso do programa, que ganha muito reconhecimento e ajuda muitas famílias que sofriam com a perda de entes queridos. Porém, quando menos se espera, um deles precisa fazer uso do programa. Será que o RePose realmente funciona e o amor além da vida existe?

Essa é a Laurie. Vou aproveitar esse
espaço para dizer que é muito injusto
ter gente que consegue escrever  bem
e fofinha ao mesmo tempo. 
“Adeus, por enquanto” me interessou logo de cara por conta do tema, um amor após a morte que nada tem a ver com qualquer doutrina religiosa ou com o sobrenatural. Além disso, a Laurie Frankel é autora de “O Atlas do Amor”, que também parece ser interessante. Então, não desperdicei a oportunidade de ler algo dela.

E, bem, fico muito feliz por não ter desperdiçado a oportunidade. A escrita da Laurie não tem nada de extraordinário, mas consegue prender o leitor – tanto que eu, que estou com um ritmo de leitura muito lento, li razoavelmente rápido. A temática em si ajudou muito, porque obras que envolvem morte sempre me atraem. Não que eu goste ou algo do tipo, é porque eu tenho medo. Não da minha própria, porque quando isso acontecer eu não terei como reclamar, mas a dos que estão ao meu redor. Eu ainda não lidei com algo tão próximo de mim, e não sei como irei reagir quando isso acontecer. Um programa para dizer adeus não seria uma má ideia.

O RePose é baseado em tudo o que os entes queridos falecidos postavam no meio digital, seja nas redes sociais, por e-mail, conversas de áudio ou vídeo, sms, etc. Isso me levou a pensar sobre o conteúdo que eu deixo disponível por aí. Se eu morresse agora e meus parentes usassem o programa, o que eles teriam? Tem algo o Sam diz sobre isso que me chamou muito a atenção e se encaixa bem nisso:

“Não invento nada. As projeções dizem o que é real e verdadeiro. Mas isso é real e verdadeiro? Aquela pequena parte de nós que tornamos pública e confiamos ao código digital é realmente o que somos?”

Outro elemento positivo do livro é que a autora não se ateve somente ao trio principal, Sam, Meredith e Dash, ela foi além e mostrou muito da história dos que estavam em volta, como uma senhora vizinha do casal, Penny, e os próprios clientes do RePose. Eu sempre tenho interesse de saber um pouquinho de todos e a Laurie proporcionou isso. A única reclamação nesse ponto é que eu senti falta de um desenvolvimento mais elaborado para alguns dos personagens, mas não é algo que influencie na história central.

Durante o momento em que o RePose explode e fica muito conhecido, a autora não esquece de mencionar a repercussão na mídia. Isso não altera diretamente em nada, mas é interessante ver que isso não foi esquecido, principalmente a opinião de entidades religiosas sobre um programa que “brinca com a imortalidade”.

Na quarta-capa do livro, tem uma citação do Redbook’s Sizzling Summer Reading List que diz que “Adeus, por enquanto” é uma boa opção para os que gostam de histórias de amor levemente melancólicas, como “Um Dia”. Confesso que isso foi um dos elementos que me motivou durante a leitura, mas terminei discordando da comparação. Pode ser que para outros leitores não tenha sido assim, mas, para mim, livro tem muito mais destaque pelo RePose do que pelo casal principal. É óbvio que o romance entre o Sam e a Meredith é importante para a história, afinal, ele é o responsável por todo o eixo central do livro, mas não consigo compara-los com Emma e Dexter. Não me entendam mal, porque eu gostei muito de ambas as histórias, mas de formas diferentes. Diria que “Adeus, por enquanto” é sobre um casal que cria um programa, enquanto “Um Dia” é só sobre um casal.

Apesar de ter gostado muito, não dou nota máxima para “Adeus, por enquanto”. Não tem nada grande que tenha me incomodado, foi uma leitura muito agradável, só não teve nada que me marcou definitivamente. Digamos que ele bateu na trave, e quase atingiu o ponto, mas não conseguiu. Recomendo para todos os que procuram uma história de amor-que-não-é-só-sobre-o-casal-principal moderna e que levante algumas discussões sobre o que é real e o que é virtual.

Classificação:


(4/5 conversinhas)

O livro foi um oferecimento da nossa parceira, a Companhia das Letras! Obrigado! :D 

TAGS: , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM