andy mcnab battlefield 3

[Resenha] Battlefield 3 - O Russo, de Andy McNab

5.3.13Conversa Cult

por Joshua Guimarães
- Livro: "Battlefield 3 - O Russo
- Livro Único
- Autores: Andy McNab e Peter Grimsdale
- Editora: Galera Record
- Comprar: Saraiva, Travessa
- No skoob









Mini-crítica - Resumo:

Um thriller militar era o tipo de gênero literário que, se não me engano, eu nunca tinha conhecido, e mesmo que Battlefield 3 - O Russo seja a adaptação do game homônimo, pode ser considerado como um livro independente em sua história. Conhecemos então o personagem Dima Mayakovsky, uma espécie de veterano em sua unidade de elite na Rússia, a GRU, que cansado das mortes que seu trabalho envolvia e o esforço, decide se afastar por fatos do seu passado e que são segredos que ele não gosta de revelar. Mas ao receber uma missão - pelos velhos tempos - para recuperar ogivas nucleares e deter um homem que ele considerava seu pupilo, Dima descobre-se em algo bem maior do que pensava: um Armagedom nuclear que começará em Nova York e em Paris.

Eu nunca joguei o game, mas sempre conheci a franquia e reconhecia todo o seu sucesso. Quando soube que havia uma adaptação do jogo para os livros, e que era da Editora Galera Record - que já está nesse mundo de adaptações de games há um tempo, com os livros sobre Assassin'S CreedDiabloWarCraft... - adquiri logo meu exemplar. Battlfield 3 - O Russo é o tipo de livro que te prende do início ao fim, e prepare-se, pois a ação não para nenhum segundo, e mesmo assim o livro tem uma história que se aprofunda com seus personagens.

Quer saber mais? Clique abaixo para conferir a resenha completa.


- Ninguém é irredutível. Deve haver algo. Encontre. Hoje mesmo.
Página 34 

Dima é o tipo de cara durão, que sabe matar apenas com um palito de fósforo, arquiteta missões de última hora, e sabe comandar equipes de homens apenas com sua autoridade. Mas Dima apenas tem seu foco no trabalho e em missões quase suicidas. Ele nunca conseguiu se envolver em um relacionamento amoroso por mais tempo do que o necessário, e quando achou que poderia, sua vida virou de cabeça para abaixo. Depois de perder um dos seus pupilos, chamado Solomon, um jovem promissor em sua carreira, Dima se torna uma espécie de mercenário e executa missões pagas como para resgatar parentes de pessoas poderosas... e nada mais. Mas quando recebe uma missão no Irã, sob condições que ele nunca poderia recusar,Dima contrata sua própria equipe, mas com todos os preparos, tudo dá errado. Alguém os delatara.

- Às vezes, Kroll, sinceramente, gostaria de ser você, pois sempre faz tudo parecer muito simples. Talvez por isso sua vida seja tão complicada.
Página 59 

De um lado temos Dima, e do outro temos o fuzileiro naval Blackburn, que em uma missão especial no Irã, começa a ser questionado por causa de sua lealdade para com o seu país. Mas Black apenas se envolve demais em segredos que não queria, até se encontrar com Dima e perceber que são tão semelhantes como não pensavam. Logo os dois devem se juntar para deter um apocalipse nuclear: um atentado terrorista bem pior que o 11 de setembro.

Em um movimento leve Matkovic empurrou o projétil e se abaixou para longe da borda do morteiro. Um flash brilhante iluminou a posição onde estavam durante meio segundo, e então o projétil subiu e iluminou a área inteira.
Página 131 

Esse livro é eletrizante! Sabe, a escrita de Andy McNab te conduz de forma frenética pelas situações em que os personagens se encontram. A narração flui por capítulos, em sua maioria, pequenos - menos de uma página ou apenas duas... - e que pulam da perspectiva de Dima e Black, e sem deixar o leitor confuso com a mudança de narrativas em terceira pessoa, mas que povoa os pensamentos dos personagens. O que quero dizer é que você se sente no meio da ação, do drama e da tensão em que os homens se encontram em campo de guerra contra forças terroristas que possuem armas nucleares com a capacidade de dizimar cidades como Nova York e Paris, desencadeando a Terceira Guerra Mundial. Nos envolvemos em um turbilhão de missões que eram apenas armadilhas, enquanto o tempo corre, e Dima é confrontado com seu passado e vida pessoal.

Não podia ter sido o grito que causou aquilo, mas ele ainda ecoava na cabeça de Dima quando foram engolfados por um barulho muito maior.
Página 219 

Battlefield 3 - O Russo é tão denso que nem se parece com uma adaptação de um game. O autor narra com muita fidelidade as paisagens e os lugares, desde o Irã, à Rússia e um pouco dos Estados Unidos. Os personagens são reais e possuem seus próprios dilemas, e nas cenas de combate, percebemos a própria linguagem militar sendo empregada de forma muito fiel, com siglas e códigos - todos explicados em um pequeno glossário ao final do livro.

Mas só esperava um pouco mais do final. É claro que Andy consegue segurar a tensão até o desfecho, mas eu não acho que houve um confronto direto com o principal inimigo de Dima. Foi criada muita expectativa e ansiedade para simplesmente ter deixado de lado um personagem em potencial, enquanto Dima e Blackcontinuavam correndo contra o tempo, com todas as dificuldades, para salvar o mundo.

Ouviu o tiro quando saiu pela porta. Para Dima, aquilo significava mais do que a morte de um homem: assinalava o fim de uma era.
Página 274 

Recomendo, apesar de eu não ter conseguido dizer tudo o que eu queria. Foi uma leitura surpreendente, e que me fez gostar do gênero do thriller militar. Mas o desfecho e aquela última frase foram simplesmente aterradoras para qualquer leitor.

E então percebemos que nem todos os heróis possuem um final feliz.

Sobre a nota: 4,5 O livro é um espetáculo e te faz parecer estar dentro da história, dos conflitos militares e das batalhas em campo de guerra. É o tipo de livro que serve muito como entretenimento, mas não chega a ser "marcante". Mas eu recomendo pra quem procura um livro de pura ação!

Classificação:

(4,5/5 conversinhas)

TAGS: , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

1 comentários

  1. Oi, Joshua!

    Sempre vejo esse livro quando estou procurando uma adaptação de game legal, mas nunca tive vontade de ler. Pura falta de interesse pelo assunto mesmo... Mas você elogiou tanto o livro que vou repensar. Battlefield não entra pra lista de compras, mas se eu ganhar em algum lugar, com certeza vou ler.

    Abraços!
    - João

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM