Animação brave

[Resenha Misturada] Valente

16.8.12Conversa Cult

Por ConversaCult

- "Valente"
- Brave (2012)
- Direção: Mark Andrews, Brenda Chapman
- Roteiro: Brenda Chapman e Irene Mecchi
- Atores: Kelly MacDonald, Billy Connolly, Emma Thompson.
- Animação / Aventura/ Comédia - Livre - 100 min. 
- Trailer
- Nos cinemas brasileiros desde 20 de julho de 2012






Mini-crítica: 
Valente é uma animação atual, traz um tema importante desde sempre e a moral típica da Disney. O filme inova ao quebrar clichês de roteiro e trazer uma história que poderia ser até adulta. O que perturba é que ele não é uma história "pura" que brilha de inovação e carisma, conquistando todo mundo. Tem umas ideias muito legais, mas não tão bem ajustadas. É um filme que tinha tudo para entrar na linha A das animações - o sucesso da personagem antes do lançamento já mostrava isso - e acabou como um linha B. O que não é ruim, o filme ainda é indicado para quem gosta da segurança de filmes Disney/Pixar e eu adoraria ver outra vez no sofá aqui de casa.
Sinopse: Merida, a menina ruiva de arco e flecha, é uma princesa e sua mãe espera que ela cumpra seus deveres de "princesa". Ela aturava tudo isso até descobrir que seria obrigada a casar em breve. Irritada, Merida recorre à magia antiga para poder decidir o próprio destino. Só que as coisas não saem muito como o esperado e ela tem dois dias para reverter uma maldição.

Novamente esbarramos em um filme que causou divergência de opiniões entre a equipe do ConversaCult. Dos dois lados do ringue (oi?!) estão Ana Luíza, que adorou, e Igraínne com o Paulo, que não gostaram tanto assim. Eles se enfrentam nessa noite para discutir sobre Valente. E eu, Dana, farei o papel de juiz nessa partida. Que os jogos comecem!


>>>Ana Luíza
"O roteiro é leve e faz com que 1 hora e 40 minutos passem voando."

A Ana Luíza resumiu o filme como desses que trazem uma lição de moral para todas as idades e esse ainda coloca no final uma frase de impacto para desconcertar qualquer um, te fazendo pensar na vida. Ela adorou a princesa que foge do clichê e luta tanto para salvar o dia quanto para ser livre e escolher o "príncipe" certo.

Além disso, ela também achou o filme "engraçadíssimo" e com "partes emocionantes que fazem qualquer pessoa chorar", fazendo jus aos nomes Disney/Pixar.

"Ah, sem esquecer do gráfico do filme, galera. É tão perfeito que uma das coisas mais belas do filme é o cabelo da Merida. Sério, você pode contar quantos fios de cabelo ela tem (se você tiver paciência, é claro) e é a coisa mais linda que existe!"

Nota: 5 conversinhas

>>>Igra e Paulo
"Achei que a surpresa pendeu para um lado que não era pra pender. Foi como se o roteiro tivesse sugerido algo no início e se perdido depois. E ninguém quis exatamente que ele se 'achasse'." - Igra.

A Igra acredita que o maior problema do filme é a imagem que ele passa antes de assistir, principalmente pelo nome "Valente". Você espera a aventura de alguém no maior estilo grifinória e encontra uma coisa muito mais morna, o que decepciona. Ela também achou que a história apresentada parece se perder. 

Fora isso, ela até gostou bastante da parte gráfica ("Toda a parte gráfica do filme, as cenas, tudo é maravilhoso") e gostou do filme quebrar esterótipos esperados da Disney.

O Paulo caminhou pelo mesmo caminho. E, embora ele não tenha nem tenha comentado a parte gráfica, ele disse que gostou. O problema é o mas:

"Hm, eu gostei do filme, mas ele é só ok. Ele prometeu muito mais do que cumpriu. Tipo, para mim, ele estava perfeito até a parte da maldição. O que acontece depois é legal e encaixa na história, mas se eles tivessem levado a coisa para outro lado seria beeeem melhor. O filme está (muito) longe de ser épico."

Nota: 3 conversinhas para Igra e 3,5 para o Paulo, que disse ter sido doloroso dar essa nota.

Ou seja...


Eu não achei o filme tão ruim quanto a Igra, mas também não achei tão bom quanto a Ana. Só para variar, fiquei no meio do caminho. Mas dessa vez eu tenho uma opinião mais formada e também quero comentar. E ADORO quando consigo encontrar gifs que sintetizam a reação geral! Fica para vocês entenderem...

"Valente" é um filme legal e que eu indico, mas às vezes ele vai receber crítica negativa pelo que poderia ter sido. Vou começar tentando mostrar (sem spoilers, é claro) onde é que o filme tropeçou.

E como é que a Merida conquista o próprio destino?


A moral narrada no início/final é de que "cada um pode ir atrás do próprio destino", mas o problema é que quando a personagem decide ir atrás do próprio destino ela faz uma besteira e lança um feitiço na mãe. A partir desse ponto, o filme não é mais sobre "buscar o próprio destino", é sobre desfazer a besteira que ela fez. Aí acaba que tentando fazer isso ela se aproxima da mãe e consegue o apoio para seguir o próprio destino. Como resultado: não é um filme sobre a coragem de seguir o próprio destino, é sobre conversar e mostrar o próprio ponto de vista para se entender. 

Então, o problema do filme não acaba sendo os nossos delírios de que a Merida ia para os Jogos Vorazes com o arco e venceria com a própria valentia, o problema é que o filme abre a proposta de "vamos lutar para cada um seguir o próprio destino" e termina como um mashup de "Fala sério, Mãe" e "Fala sério, Filha" (não li os livros, mas pelo menos os títulos...). É um filme para mães e filhas (ou pais e filhos, por que não?) assistirem e fazerem as pazes. E sobre ser Valente para... Para... conversar?

Tudo bem que ela conseguiu seguir o próprio destino (ou você acha que ia terminar sem um "felizes para sempre"?), mas o filme abandonou a moral universal de "seja valente para fazer o que quer" e ficou muito num caso específico de adolescente imatura e mãe que idealiza a vida da filha. Em outras palavras: é tipo fanta laranja na latinha de coca-cola. Começa dizendo que é uma coisa e por dentro é outra, mesmo que no final das contas tudo seja refrigerante*.
*Metáforas: Augustus Waters approves.

Orgulho e Preconceito: versão Disney, adolescente e sem Mr. Darcy

O filme, por si só, já é meio valente na hora de inovar. Tem tapa na bunda e insinuações (e é pra crianças?!) e uma protagonista sem par romântico. Sério, até Procurando Nemo tem alguma coisa disso. Nada de príncipe de verdade para você, Merida. 

De tudo o que o filme traz, provavelmente o que mais me chamou atenção foi a certa semelhança com Orgulho e Preconceito. O pai da Merida me lembrou muito ao pai da Elizabeth e ainda toda a situação, né? Mãe que quer que a família case a qualquer custo, filha que não tá nem aí e vai atrás do que quer... 
"Okay, Merida é Valente. Ela vai contra toda a estrutura conceitual padrão que se espera de uma mulher naquela época: não pretende se casar, quer ser livre, independente e etc." - Igra no comentário completo dela
E essa semelhança com Orgulho e Preconceito é só um dos motivos que me fazem discordar com a Igra nessa parte. Merida não vai contra o "padrão de uma mulher naquela época", o filme trata a questão da mulher em qualquer época e, principalmente, agora. É por isso que ele tem um tom mais "feminino", até a mãe da Merida é colocada em uma posição importante. Feminino porque contradiz a visão de mulher que, infelizmente, ainda agora se estabelece. "Valente" é uma metáfora para hoje em dia, não de um passado ou futuro. 

Daí a você perceber a metáfora, se conectar com a lição de moral, ver além de um mãe/filha... depende muito. Mas é um filme legal de assistir e que se você quiser dá para aproveitar bastante. Só não atingiu o alma, sabe? 

De qualquer forma, a Merida ainda é a personagem que todo mundo imaginou e poderia ser protagonista de um filme épico. Ela só precisa crescer. Espero que eles percebam isso e façam uma sequência. Animação YA, cadê você? por acaso, eu tenho uma resposta para isso, aguardem.

A minha nota é 4,5 conversinhas. Obrigada por perguntarem. HAUHA

Curiosidade ~ Mudança de nome

O filme passou por várias mudanças de nome, começando com "The Bear and the Bow" (O Urso e o Arco), que faria muito mais sentido e não levaria esperanças erradas para muita gente. Outros nomes possíveis foram "The Bear King and his Daughter", "Brave and the Bow" e "Bravehair". Talvez o problema tenha sido uma ideia inicial remexida demais até perder a essência...

Quem diria que o Brave, do título, teria vindo do cabelo dela?!

Sobre a nota: Com essa resenha misturada descobrimos que a Igra também tem a capacidade de não gostar... e que a Ana Luíza vive brigando com a mãe (brinks HUAHA). A nota final vai ser 4, o meio-termo entre os dois. Indicado para quem gosta de desenhos, coisas fofas, brigou com alguém (leve essa pessoa junto) ou quer um filme que trate sobre a situação da mulher. Ah! E se você gosta de filmes. 

Classificação:
(4/5 conversinhas)

TAGS: , , , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

4 comentários

  1. Gostei muito da resenha misturada. Ainda não consegui ver o filme, mas acho que sendo da Pixar, tendo uma heroína e abordando assuntos sérios e forma divertida, já é meio caminho andado para eu gostar (ou no mínimo achar mais ou menos).
    Agora... que metáfora da fanta e da coca foi aquela, meu Deus? Ri muito!
    bjo

    ResponderExcluir
  2. Oi gente ♥

    Nem preciso dizer que eu amo essas resenhas misturadas lisfghdslgh sério, é super legal saber a opinião de todo mundo.
    Então... não gostei dessa ideia de mudar a liçãozinha de moral no decorrer do filme. Eu acho que prefiro a primeira, sobre a coragem de seguir o próprio destino... acho mais inspirador, sei lá.
    Não tive a oportunidade de assistir o filme e acho que não vou ter (vocês sabem... a velha historinha da mini-cidade que não tem cinema e dos amiguinhos que não gostam de viajar de ônibus pra ver filme com o João). Mas assim que sair em DVD vou assistir (chorando por perder o efeito 3D dos cabelos de Merida) e deixo minha opinião aqui (:
    E eu ainda estou rindo dos comentários do último parágrafo KKK' sério. Preciso me controlar.

    Parabéns pela resenha, vocês são demais.
    Abraços \o/

    ResponderExcluir
  3. Eu concordo com o pessoal que disse que esperava mais e que o filme meio que se perdeu do que foi proposto no início. Estava MEGA ansiosa para ver o filme antes de viajar (quem de vocês estava comigo no twitter sabe, só não sei quem foi ;P) e quando finalmente consegui ver o filme... fiquei com aquela sensação de que faltou alguma coisa, sabe? Mesmo tendo A-MA-DO a Merida, o filme não entrou pros favoritos. Mas essa ideia da continuação é maravilhosa, mas uma à altura da personagem, espero. ;D

    Beijitos

    ResponderExcluir
  4. Eu nem conhecia isso até ver o pessoal em blogs falando. Ah, foi mal, mas não curto não. Acho bobinho... Vale a pena ver se você quer curtir um programa diferente, mas fora isso acho que não =/

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *