CCFilmes CCResenhas

[Resenha] Hearts Beat Loud

8.2.19Dana Martins


Filmes como esse são a exata razão de eu criar o ConversaCult: um filme legal, que eu não vejo ninguém falar e eu teria gostado de ver uma recomendado em algum lugar. Hearts Beat Loud segue um pouco o estilo de filmes como Mesmo Se Nada Der Certo (Begin Again), em que você tem uma dupla tocando música e vivendo a vida, e deixa a gente inspirado e feliz. 

O filme conta a história de um pai que está diante de três términos: O fim da loja de discos que ele teve por 17 anos, a ida da sua filha para faculdade e ter perdido sua esposa anos atrás. Mas não é o tipo de história triste, nem muito profunda. É quase como uma fotografia que captura esse momento em particular da vida dele e de sua filha. O momento que você está diante do fim de certas coisas... e precisa continuar indo em frente, no caminho tentando entender pra onde exatamente quer ir.

Dizer que é o melhor filme do mundo é um exagero, mas Hearts Beat Loud me deixou feliz durante toda a sua duração. Tem música boa, e eu amo essas histórias de gente criando música. A relação entre o pai e a filha também é muito bonita e genuína. Tem um romance muito fofo da garota com a namorada, que acho que entra na história como uma forma de mostrar ela indo em frente com os próprios pés.

No geral, tem uma coisa meio estranha no filme. Eu acho que a ideia é boa, mas não foi executado com tanta maestria. Dá uma sensação de que poderia ser grande e não é. Sem parar pra pensar na história, tem umas coisas que me deixam meio



Pra que eu tô vendo essa história? O que tá acontecendo aqui? Qual foi a conclusão?? Se não fosse a música tão boa combinado com atores carismáticos, ficaria estranho. Acho que faltou dar aquela amarrada que deixa tudo bem encaixado. Ao mesmo tempo, esses contornos bruscos dão ao filme certa característica.

E a relação da garota com a namorada é super bonita e desenvolvida naturalmente. Quando ela escreve uma letra de amor, meio que se recusando que é uma letra de amor e o pai olha pra ela com cara de "aham, tá bom" é muito fisdfdshspsps. Também é muito bom ver uma história entre pai/filha que existe respeito. Ele pergunta se ela tem uma namorada, e quando ela não parece confortável em dizer, ele deixa ela quieta até a própria filha falar pra ele. 

Eu diria que se você gosta de música, se você assistiu filmes como Mesmo Se Nada Der Certou ou até o Nasce Uma Estrela, acho que você vai ter um bom momento aqui. Só vai esperando uma história pra viver um momento simples e bonito, como uma pequena aventura de verão. 

TAGS: , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

2 comentários

  1. "O que tá acontecendo aqui? Qual foi a conclusão??"
    Acho que a gente tá muito acostumado com histórias "redondinhas", fechadinhas, mas como foi comentado, o filme "é quase como uma fotografia que captura esse momento em particular da vida dele e de sua filha". Até fiquei com vontade de ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu acho que no caso do filme foi mais um rolo na hora de conseguir orquestrar o final, do que um final aberto proposital. mas seja como for, foi legal mesmo assim.

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM