Carol Cardozo CCIndicação

Notas Brasileiras #10 - Semente de Vulcão

5.8.16Carol Cardozo



Mais uma banda da leva "Vi no WebFestValda e me apaixonei", a Semente de Vulcão é uma banda de Recife (PE) que nasceu em 2008. Ao vê-los entrá-los no palco, eu fiquei "Nossa, que vibe meio Reflektor tour" e meu amigo "Senti uma coisa meio MGMT meets Secos & Molhados". Quando eles começaram a cantar, a gente viu que era tudo isso e mais um pouco. Além da música ser incrível, os figurinos e as performances chamavam muito a atenção. Minha reação foi tipo:



HOLY SHIT!
ARRASARAM!!

Eles tem um EP de 2008, com seis músicas, e um cd em 2014, o "Expresso do Fim do Mundo", baseado na teoria dos deuses astronautas (leiam "Eram os Deuses Astronautas?", de Erich Von Daniken) e no livro “O 12º planeta”, de Zecharia Sitchin. Então se você gosta dessa vibe, dá uma olhada nesse disco.

E aí eu precisava mostrar mais dessa banda pra vocês, então entrei em contato com a banda e fiz uma entrevista com eles.

1 - Dentre as suas músicas, qual sua favorita?
João e Marcelo: O Vício
Léo: Missão Cavalgada
Doug: Ladeira da Prefeitura
Basílio: Lua de Agra




2 - Como a banda se juntou?
Nos juntamos em 2008, quando reencontrei Leo, que é meu primo e, na época, tocava com umas bandas de hard core. Eu tinha um projeto de frevo, mas tinha algumas composições que não cabiam no frevo. Quando mostrei Leo, ele gostou muito de uma em particular: "O vício", e disse que lembrava algumas músicas que ele escutava muito da década de 70. A partir desse dia, a gente começou a compor junto e, quando já estávamos com uma quantidade legal de músicas prontas, chamamos Ruan, Raone e Rostan, que na época, tocavam comigo na banda de frevo, mas também curtiam outras sonoridades. Com o passar do tempo, os três seguiram por caminhos que tornaram difícil conciliar a agenda deles com a da semente e ai chegaram Marcelo, Basílio e Doug.

3 - Como foi o processo de definir a sua identidade sonora?
Viemos de berços musicais muito diferentes. Eu tocava frevo, forró pé-de-serra e ritmos mais regionais, Leo era mais rock`roll. Quando toquei minhas músicas pra ele pela primeira vez, ele disse que lembrava muito "Ave Sangria", uma banda pernambucana que ja fazia um rock`n roll misturado com regionalismo na década de 70. Foi dessa década que vieram as principais influências musicais da banda. Por um bom tempo, sempre que terminávamos um show, alguém traçava um paralelo com Secos e Molhados, Ave Sangria, Alceu, etc... Hoje em dia, com o amadurecimento da banda temos uma identidade um pouco mais atual. 




4 - Uma lembrança querida da carreira? 
Os shows do início da nossa carreira no saudoso Quintal do Lima, onde dividíamos o palco com artistas amigos como Zé Manuel e Adiel Luna. 

5 - Qual vocês acham que é a maior dificuldade do cenário musical brasileiro atualmente?
 A falta de amadurecimento musical de grande parte da população que hoje prefere sons muito mais simples com letras de gosto duvidoso. Isso em grande parte é culpa da grande mídia, que coloca esse tipo de música pra tocar em detrimento de produções mais "enriquecedoras". Claro que a população não tem culpa, a pessoa só tem como gostar do que escuta, né? O povão gosta de coisa ruim porque é o que mais chega pra eles ouvirem. 

6 - Uma banda nacional que vocês acham que todos deveriam ouvir?
João, Basílio e Doug: Levante, da Bahia 
Léo: Alceu Valença 
Marcelo: Zé Manoel 
Basílio: Consuelo, de Brasília




Vocês podem ouvir mais do Semente de Vulcão no site deles. Aqui está o facebook, instagram, twitter e o canal no youtube.

TAGS: , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *