alosexual Ariel Carvalho

Será que eu sou Demissexual?

25.10.15Colaboradores ConversaCult


Hey, você! Quando eu falei da semana de Visibilidade Assexual no twitter, a Ariel se propôs a compartilhar a própria experiência. Já parou pra pensar como é crescer em um mundo que trata como se todo mundo tivesse atração sexual e da mesma forma? A Ariel diz: "Me descobrir demissexual foi, ao mesmo tempo, um desespero e um alívio." Leia o relato completo abaixo e entenda a demissexualidade. -dana

Sempre me senti deslocada no meio dos meus amigos quando os assuntos eram namoro e sexo. Muitos deles me consideram uma boa ouvinte, e sempre fui a conselheira, mas nunca entendi muito bem como uma pessoa conseguia ficar com outra sem que se conhecessem.

Eu os ouvia contando histórias de ficadas em festas e, em troca, compartilhava meus problemas amorosos, que eram, na maior parte, paixonites que não davam certo porque eu não era correspondida.

O conselho que eu sempre ouvia era: “você precisa se soltar mais, ficar com alguém, deixar de ser romântica”. Por mais tempo do que gostaria, eu realmente acreditei nisso. Acreditei que a razão para eu não estar com ninguém, para não ter feito sexo, era porque eu era muito presa a ideais românticos.

E, como era de se esperar, tentei mudar meu comportamento. Tentei flertar com estranhos. Tentei conhecer pessoas novas e ficar com elas. Mas a sensação que ficava quando eu começava essas tentativas era a de desespero e angústia. Além de não conseguir ir até o fim com nenhuma delas, eu era tomada por um medo enorme e simplesmente não sentia atração alguma pela pessoa que eu deveria beijar.



Até que, um dia, eu vi um teste (sou apaixonada por testes) no site LonerWolf e fui fazê-lo. Lá, nos testes relacionados, um com o nome de “Are You Demisexual?” (“Você é Demissexual?”), me deixou curiosa. Fiz o teste, deu que sim, fui pesquisar mais sobre o assunto.

Apesar do teste do LonerWolf não ser uma ferramenta eficiente para definir se você é ou não demissexual, foi por causa dele que eu comecei a pesquisar e concluí que sim, era demissexual. 

Demissexual é o termo utilizado para denominar pessoas que só conseguem sentir atração sexual por pessoas com as quais têm envolvimento emocional, intelectual ou psicológico, ou seja, é muito mais provável que eu me sinta atraída por um amigo meu do que por um modelo de cuecas da Calvin Klein. O termo é considerado parte da área cinza da assexualidade, entre os assexuais e os alossexuais (que são aqueles que sentem atração sexual da forma considerada “normal” pela sociedade).

Me descobrir demissexual foi, ao mesmo tempo, um desespero e um alívio.

Alívio porque eu finalmente chegara à conclusão de que não havia nada de errado comigo, eu só era incapaz de me sentir atraída sexualmente por pessoas estranhas. Alívio porque eu tinha uma explicação para o meu comportamento. Alívio porque eu não estava “quebrada”. Alívio porque descobri, através de relatos de outros demissexuais, que era completamente normal para eles a atração, sexual ou romântica, por pessoas no seu círculo de amigos (e ela poderia ir embora tão facilmente quanto chegara).

Um desespero porque, na prática, ser demissexual pouco mudava minha vida; eu ainda confundiria meus sentimentos em relação aos meus amigos, ainda teria que ouvir muita gente me criticando por não ser capaz de “ficar por ficar”. Desespero porque uma amiga, também demissexual, me disse que era difícil que minha psicóloga aceitasse que não havia nada de errado comigo. Desespero porque, numa sociedade onde somos bombardeados por sexo e onde aplicativos como Tinder ganham mais e mais espaço, eu não conseguiria jamais sentir essa atração toda. Sexo, para mim, só seria bom com alguém que eu conhecesse e gostasse. Desespero porque se eu, uma feminista super engajada nas lutas de outras minorias, nunca ouvira falar de demissexualidade, quem saberia o que era?

Se a assexualidade possui pouco espaço, pouca visibilidade, a demissexualidade é ainda pior. Mais recentemente, ela vem sendo mais discutida mas, quando eu descobri ser, a maioria dos textos que achei na internet eram em inglês.


Geralmente, os demissexuais não traem muito em relacionamentos, não sentem prazer ao assistir material pornográfico (vi algumas exceções quando o pornô em si tem uma história, se passa com um casal visivelmente apaixonado), não costumam ter casos de uma noite só, não sentem atração primária por partes do corpo (seios, bunda, músculos), se sentem sexualmente atraídos por pouquíssimas pessoas durante a vida e, o mais importante, só conseguem ter qualquer tipo de interação e atração sexual quando já há um vínculo emocional.

Eu aprendi muito com as minhas leituras. Acima de tudo, aprendi que cada um tem uma história diferente, e que respeitar a vivência de cada um é o mais importante.

Ainda é preciso buscar mais espaço e compartilhar cada vez mais nossas experiências pessoais, para a gente consiga conscientizar nossos amigos alossexuais e para que ninguém tenha que se achar menos do que outra pessoa só porque sente atração de uma forma diferente.


Autora: Ariel Carvalho 
Ariel é uma lua de Urano, um espírito do ar, um sabão em pó, uma marca de carro e uma pequena sereia, mas também é uma carioca de 20 anos, futura bibliotecária que não consegue terminar a meta de leitura, sabe tudo de Monty Python e chora com filmes de ficção científica. Eu escrevo no collinscalling.blogspot.com


TAGS: , , , , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

15 comentários

  1. Oiii eu aqui de novo.

    A minha pergunta: Só são demissexuais que é assexual, ou não?

    Posso falar por mim: Eu sinto atração sexual por estranhos sim, músculos e partes do corpo haha mas eu não sou capaz de ir pra cama com alguém que eu não tenha envolvimento emocional. Ou seja, mesmo que eu conheça alguém *novo* e até fique com essa pessoa o sexo só será possível se eu criar um vínculo com ela.

    Sei lá, mas costumo dizer que eu enxergo o sexo como consequência, consequência de uma boa relação, de um envolvimento de um sentimento... Enquanto outras pessoas o enxergam como MEIO, ou seja, um tipo de ferramenta que é essencial para se ter algum envolvimento - ou qqr outro objetivo.

    Enfim, cada um se vê de uma forma, mas com esse texto eu me identifiquei bastante, porque pra mim são coisas totalmente diferentes a pessoa sentir-se atraída sexualmente por outra e ela chegar até o ato sexual -- então a atração física pra mim não é suficiente.

    Paz e Amor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se entendi direito sua primeira pergunta, mas caso seja algo tipo "eu sou bissexual e demissexual, isso é possível?"
      Eu diria que a demissexualidade é uma forma de assexualidade - marcada pela ausência de atração sexual, a não ser em certas condições. Mas considerando isso, nada impede que a pessoa demissexual se sinta atraída por mais de um gênero. Agora, eu não conheço o bastante pra dizer se existe algo fixo, tipo "gênero não importa pras pessoas demissexuais". Mas pelo que eu entendi, ser demissexual é uma caracterização de como você experimenta atração, não em relação ao que. Então eu acho que não deve ser difícil ter uma pessoa demi que quando sente, só sente em relação a um gênero ou algo assim.

      Além disso, existem mais coisas em jogo do que apenas atração sexual. Tipo atração romântica, ou estética(?). Eu ainda tenho que aprender mais pra falar sobre isso, mas pode ser que isso também esteja te influenciando. Por isso, inclusive, mesmo sem atração sexual algumas pessoas assexuais gostam de ter relações românticas e fazer sexo.

      E também vou deixar um trecho do texto da Bells (sobre gray-a, veja aqui no CC):
      "Mas... vamos parar para pensar: nenhum ser humano é TOTALMENTE sexual. Todos nós - inconscientemente ou não - limitamos a atração sexual que sentimos através de um determinado conjunto de características físicas ou até mesmo intelectuais. E todos nós podemos vivenciar fases de intenso desejo sexual e fases de total falta de libido. Ao meu entender, o que caracteriza a sexualidade/assexualidade é a frequência em que ocorrem essas fases. Muitos assexuais até então sempre se perceberam na fase de falta de libido, outros experienciam fases de desejo sexual por uma pessoa ou mais e por aí vai."

      Ou seja, acho que se ver como assexual vai muito da frequência com que você experiencia isso (e como se sente em relação a isso).

      De uma forma ou de outra, é um espectro e acho que todos nós estamos em pontos diferentes deles e às vezes isso ainda é fluido. O mais importante é saber que existe a possibilidade. Saber que isso é natural. Aprender a entender o próprio corpo pra cuidar de si mesmo e ter uma vida saudável. :)

      Excluir
  2. Esse texto me representa tanto. Ler sobre ace e demi e ~orientações românticas~ foi uma luz na minha vida, depois de passar tanto tempo sem entender basicamente todas as pessoas ao meu redor. E de ser julgada como ~medrosa~ ou ~santa fingida~ por elas. Eita sociedade viciada em sexo. Chega um ponto em que algumas pessoas aceitam todas as orientações alossexuais, mas discriminam todo mundo do lado cinza, e isso é um saco. Não dá nem vontade de entrar no assunto. Ainda bem que a visibilidade tá aumentando, mesmo que aos poucos. O CC, por exemplo, tá ♥ com esse tema hahahahaah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, bom saber que alguém se sentiu representado pelo meu texto! ♥ Concordo com tudo que você disse hahaha

      Excluir
    2. Interessante é como existe essa imposição, né? "Não quero fazer sexo" "Ah, não precisa ter medo" ?????? TIPO???????????????????????????????????????????????????????????????
      só eu to vendo o absurdo disso?
      as pessoas nem consideram que você pode não querer. e mesmo se você tivesse medo... é algo tipo, que se dane, faça mesmo assim, tem que fazer???

      as pessoas são meio (muito) sem noção o.õ

      Excluir
  3. Eu gosto muito desse lance de vivência e de nso ficar restringindo as pessoas. Pq, por exemplo, estou pesquisando mais sobre a demissexualidade por experiências fracassadas. Tipo, um certo tempo atrás, eu não sentia muita repulsa de fazer sexo ou ficar com alguém com quem eu não tivesse muita intimidade. Mais com o tempo, eu fui parando de ficar com "desconhecidos" - que já não eram muitos - pq eu sempre me sentia muito vazia depois é, mas ainda assim, quando eu ficava, acabava fazendo sexo e aí me sentia mais vazia ainda. E daí, com uma fitinha recente, o desejo de conquistá-la e conhecê-la mais foi tipo, muito maior. Quando tive a oportunidade de beijá-la, sento que não era o momento, pq eu não tinha intimidade o suficiente... Daí conversando com um amigo que se sente assim tbm, comecei a me dar conta que não era um comportamento anormal, pq eu sentia que era duplamente anormal, por ser algo não concebível pra alossexuais e por não ser um comportamento estritamente demissexual. Ainda estou no processo de aceitar que eu não tenho que ter o mesmo comportamento que os meus amigos, de conhecer alguém, paquerar e ficar. Que não tem problema uma menina de 22 anos nunca ter namorado. Que "investir" em alguém a longo prazo não é coisa de gente "romântica".

    ResponderExcluir
  4. Eu queria realmente que meu namorado fosse demissexual como eu. Não gosto dessa ideia de que meu amor se sinta atraído por outras.

    ResponderExcluir
  5. Como é bom saber que não estou sozinha!

    ResponderExcluir
  6. Isso é mais comum entre mulheres, pelo que vejo. Imaginem como é isso entre homens, ainda mais com essa cultura do brasileiro. Bom ler esse texto. Ufa, não estamos sós.

    ResponderExcluir
  7. Moça, você não sabe o alívio que me deu ler isso, muito obrigada!

    ResponderExcluir
  8. Fiz o teste linkado e deu 74% demissexual. Acho que agora entendi o que tá acontecendo comigo... as minhas maiores diferenças quanto à demissexualidade são que eu já tive quatro relacionamentos (mas todos duraram pelo menos um ano e meio, o que é raro pra uma pessoa de vinte anos) e quando estou solteira normalmente sou considerada promíscua pq acabo ficando com todos os meus amigos (sou bissexual) mas a questão é: com eles, eu sinto uma atração absurda, quanto mais meu amigo mais eu sinto. E fora eles, se tento alguma coisa, me sinto vazia e arrependida, desconfortável... Me sinto mais forte pra recusar e fazer o que eu quiser e quando quiser depois desse texto. Obrigada por espalhar amor e aceitação. <3

    ResponderExcluir
  9. eu acabei de descobri q existe demissexualidade e me encaixo, agora imagine p mim q demissexual e homoafetivo a dificuldade q sempre foi manter relacões :(

    ResponderExcluir
  10. Interessante acrescentar q sou demi e as únicas duas vezes q me permiti me apaixonar foi a primeira vista/impressão. demi é interessante pq é como se tivessemos um filtro mais extendido comparado aos outros, tb seria legal acrescentar q a gente se sente araido por idolos/etc q criamos uma conexão com eles. Creio q nossas conexões são controláveis (a maioria talvez) tanto q isso evita paixões platonicas q deem num beco sem saída. comentem \o/

    ResponderExcluir
  11. O sorriso que eu dei lendo isso foi sem igual. Eu sou normal, afinal! Obrigada, ler isso me deu a confirmação de que eu sou demissexual. Parece que eu estava perdida esse tempo todo e agora me achei, mas confesso que é muito complicado pra mim.

    ResponderExcluir
  12. Estou confuso com tudo que li até aqui sobre o tema. No inicio vc e tachado de homo(por não se relacionar) mesmo q as vezes surge um sentimento. Depois vc descobre mais uma definição e como mágica, vc se ve totalmente descrito. Sou uma pessoa normal, sem qualquer problema com a timidez, mas quando o assunto e relacionamento, ficar, sempre achei e continuo achando que sem sentimento não da pra si quer beijar, o que te reconstrói e te retorna ao bv. Acho q tem um pouco de Assexualidade em mim.

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *