apagamento bifobia

Por que bissexuais são invisíveis?

25.9.15Dana Martins


Quarta foi o dia da visibilidade bissexual, que é um dia importante pra lembrar QUE BISSEXUAIS EXISTEM E SÃO INCRÍVEIS e ensinar às pessoas sobre essa orientação sexual. Aí eu tive uma conversa muito boa sobre como é viver invisível e decidi compartilhar aqui, dando seguimento aos nossos textos sobre Visibilidade Bissexual que vão começar a aparecer pelo CC. 

Eu li vários relatos sobre bissexualidade essa semana e a maioria é tipo "eu não sabia o que eu era, porque eu não era gay, mas também não era hétero. Demorei mais tempo porque eu nem sabia que a bissexualidade era real." E o que eu tenho a dizer sobre isso? Talvez os bissexuais sejam confusos mesmo, mas não porque são problemáticos. São confusos porque falta informação e representatividade para validar a forma como a gente se sente. 

"Primeiro, Bissexualidade existe." "Não é um primeiro passo para se assumir totalmente gay."

Eu me identifico com esses relatos, porque sempre senti uma ~coisinha~ por meninas, mas ignorava porque eu também gosto de meninos. Então você acaba, até pela questão da heteronormatividade, ignorando o que você sente, porque "você só pode gostar de um ou outro". E essa ideia se baseia na concepção de que bissexualidade é uma mistura de heterossexualidade e homossexualidade. Mas não é. É uma sexualidade por si só. E não tem que escolher merda nenhuma se você gosta de mais de um gênero. 

Sim!!! E ninguém quer assumir uma identidade pra ficar ouvindo merda. Vi ontem uma pesquisa que diz que 1/3 dos jovens nos EUA e Reino Unido são bissexuais, mas o que acontece é que muitos não se consideram assim ou não sabem que pode ser. Pra chegar nesse dado a pesquisa envolve perguntas tipo: Você se identifica como? A pessoa: hétero. Você já teve relações com pessoas do mesmo gênero? Sim.

Cara, e o pior é que acho que já ouvi mais pessoas de dentro do lgbt falando merda que pessoas hétero." 

"Não significa que a pessoa é simplesmente indecisa e não pode escolher um time"
 "E acredite em mim, minha vida seria 10 vezes mais fácil se eu tivesse me identificado como gay em vez de bi"
"Porque eu não precisaria ficar constantemente valida minha própria existência, não apenas para pessoas hétero, mas para as pessoas gay também"
"E essa é a principal razão de eu me identificar como bi."


Isso me lembrou outra conversa que eu tive há um tempo quando falei na Hora da Conversa que escreveria sobre bissexualidade:

"Vim de uma família religiosa, e demorei um tempo para entender o que estava acontecendo, e outro bom tempo para me aceitar. Na minha cabeça, era melhor ser assexuado do que algo além de hétero. Mas afinal, toda experiência é experiência. Essa fase me fez repensar os dogmas que me foram repassados, tenho a cabeça aberta de um jeito que meu eu no passado nunca poderia ter sido. Em retrospectiva, acho que foi uma das melhores coisas que aconteceu comigo. 

Agora, eu entendo que não é questão de escolha, eu simplesmente me apaixono por pessoas e fim. Não espero que ninguém me aceite, porque eu não preciso da aceitação de ninguém (claro, uns dias mais do que outros)

Passado todo o drama óbvio, o que mais me incomoda nesse "mundo" é quando os bissexuais são simplesmente desconsiderados do movimento LGBT+, quando são chamados de indecisos, promíscuos e coisas do gênero dentro do próprio movimento, quando gays e lésbicas acreditam que bissexuais mancham a imagem que eles constroem. Isso machuca, principalmente quando vem daqueles que passaram por algo parecido contigo. "

Então, eu sou bissexual. E daí? É algo e é real. Digo, é chamado de LGBTQ por uma razão. Há um B ali,
e não significa badass (pessoa foda). Tudo bem, meio que significa, mas também significa bi. 

E, não por coincidência porque é um problema constante quando você é um bissexual, na quarta saiu um texto no Ovelha sobre dia na visibilidade bissexual que diz:

"Corta para quando conheci o feminismo. Sendo mulher e não me identificando como HT, acabei caindo no nicho das lésbicas/bissexuais. Apesar de conhecer muitas lésbicas bacanas que não falam isso, a opinião parece ser geral. “Não existe bifobia” me diziam. Que é um discurso que cabe muito bem com o discurso hétero, já que se não existem bissexuais, então claro que não existe bifobia. RISOS fim da piada (alô gaslight!). Pior, se me sentia desconfortável com os comentários bi-fóbicos, automaticamente me reprimia, já que me sentia uma traídora por fazer mimimi do preconceito das irmãs."

Acho que a pior parte da invisibilidade bissexual não é nem que exista um apagamento externo (existe. muito.), é que esse apagamento faz o bissexual duvidar da própria existência. Fica difícil se tornar uma comunidade unida se você não consegue nem falar o que você é.




Repara nos 3 relatos - o primeiro é o total desconhecimento de que você pode existir (a pessoa às vezes pode até ter relações com o mesmo gênero, mas não chega nem a considerar que isso faz parte da sexualidade dela!!!). O segundo mostra que mesmo que você saiba que exista, você tende a não querer se "rotular" - pra quê? Pra ouvir merda dos outros? ("não sei o que eu sou, não gosto de rótulos") E o terceiro é um exemplo da violência direta que a pessoa bissexual encontra. O que eu mais gosto nele é que me fez repensar os meus conceitos. Como? 

Naquele primeiro diálogo, eu fiquei sensível ao uso do "dentro do lgbt falando mais merda do que pessoas hétero", e a minha continuação do texto original era algo tipo "gente, não vamos criar briga entre grupos oprimidos. tá todo mundo ferrado. vamos entender que muita gente LGBT+ cresce em um ambiente agressivo (a heteronormatividade é agressiva!) e muita gente sobrevive com uma cultura de resistência. não é produtivo ficar reforçando isso", mas aí é que o texto no Ovelha me fez repensar. Bissexuais não devem se omitir por causa disso. Sabe o que é menos produtivo?

Invisibilidade.

"devo usar minha invisibilidade para lutar contra o crime ou o mal???" alguns vão ao cinema

É simples assim: as pessoas não acreditam, não sabem ou ignoram a existência de pessoas bissexuais. Repara que em todos os casos as pessoas estão lutando para dizer apenas "CARALHO!!! EU SOU REAL!!! EU EXISTO!!!" Alguma vez você já falou que "o casamento gay foi legalizado"? Olha aí você esquecendo totalmente a existência das pessoas bi (e pan, e assexuais, e...). E isso é mais do que uma mera questão de palavras. 

"Bissexuais enfrentam riscos elevados de violência e discriminação, mais até do que gays e lésbicas. Bifobia na medicina faz homens bissexuais terem maior risco de contrair HIV ou DSTs, mais do que homens héteros ou gays. Problemas de saúde mental, violência doméstica e abuso de substância são todos maiores na comunidade bissexual." - (x)

E às vezes a pessoa nem deve saber que é bissexual, PORQUE TRATAM COMO SE ISSO NÃO EXISTISSE.

Ou não consideram >de verdade<. "ah, mas ela tá namorando um homem" "é só pra fama"...


Eu escrevi aqui uma série de posts sobre Crise Existencial e falei que no último, um dos maiores problemas da pessoa entrar em crise, é que ela não sabe se pode existir. Se você é bissexual, isso é parte da sua realidade. A mesma pessoa no primeiro relato tem um amigo gay que às vezes diz pra ela "nossa, miga, você tá muito lésbica!" (só porque ela tá falando mais de garotas). Isso é abusivo pra caramba. Ela já me falou algo tipo que sente que ele não acredita que ela seja realmente bissexual, só uma lésbica com medo de sair do armário. Felizmente, ela tem acesso a uma comunidade bissexual que valida a existência dela. 

Mas e quem não tá?

Por isso é tão importante a existência de um dia para a Visibilidade Bissexual, para os bissexuais colocarem os pés no chão e falarem EU ESTOU AQUI, EU EXISTO. Por isso é importante que as pessoas bissexuais se reconheçam como tal. Falando sério, isso de "eu não gosto de rótulos" é um pensamento gerado pelo medo, porque você só ouviu a definição do que você é ser usada contra você. E eu digo isso porque quando você tem acesso a comunidade de pessoas confiantes, o tal "rótulo" é a coisa mais linda.




Eles fazem bichinhos fofinhos pra cada tipo de super-sexualidade. Eles fazem piadas internas. Eles têm orgulho das cores. É praticamente um time de futebol (???), você agarra a camisa, beija a bandeira e cantando o hino, de quebra ainda grita loucamente quando faz gol.






Se você está lendo isso e já sentiu atração por mais de um gênero - já ficou, já pensou "nossa, eu pegaria essa pessoa", já teve suas dúvidas ou queria ver - saiba que você existe. Existe um nome pra a forma que você se sente atraído. Existem pessoas iguais a você. Existe todo um mundo mágico do outro lado do armário esperando por você. 

Feliz semana da visibilidade bissexual. :)

"Por que você tá me chamando de hétero ou gay?
POR QUE EU NÃO POSSO SER BI?"

obs: acho que muitos desses dados sobre bissexuais incluem as pessoas pansexuais, e pode ser que você seja pan se você sente atração por mais de um gênero. como eu disse, existe um nome pra todo tipo de atração!!



TAGS: , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

9 comentários

  1. Não tenho nada para comentar agora, mas só passei pra dizer que li o texto.
    Ahhhh, as fotinhas são fofa <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada por dizer (verdade, é sempre bom ver pessoas reais aqui HAUHAUH)
      o tumblr é muito bom. volta e meia aparece algo novo de ~fotinha~ assim. acho que aprendi 80% do meu conhecimento sobre sexualidades assim

      Excluir
  2. <3 Gente não é fácil o ser-humano hehe

    Concordo plenamente com uma das imagens que diz: "seria mais fácil eu me assumir como gay do que como bissexual".
    Porque se tu fala que gosta de meninos e meninas as pessoas dizem : "ah mas vc é hétero e está confuso".
    Se o rapaz saí com meninos e um dia saí com uma menina já perguntam: "ué, mas tu não gostava de homem?"
    E para os gays, é meio que "trair" a luta. Mas tipo, a pessoa não pode ser obrigada a gostar de um gênero apenas, assim como não podem ser obrigadas a gostar só do "oposto" (se pensarmos pelo lado da crença binária)

    Resumindo: eu adorei as postagens sobre esse assunto, pra mim nunca tinham sido tão bem explorados, me senti representado, isso me fez me entender melhor ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HUAHUAHUAH mas pode ser muito bom, né? xD

      é muuito isso. e mesmo se tivesse confuso? E DAÍ? QUAL É O PROBLEMA DE FICAR COM ALGUÉM DO MESMO GÊNERO? isso é bifobia internalizada (e homofobia também)
      O mesmo pra esse pensamento de trair a luta. Se ter uma relação com uma pessoa hétero ou gostar de outro gênero é visto como negativo e ser oprimido, isso é oprimir a bissexualidade.
      E esse é o nível da invisibilidade das pessoas bi, as pessoas ignoram/desvaliam/oprimem e nem conseguem entender o que estão fazendo. :(

      Muito obrigada por participar e comentar aqui, Allan <3 sério, seu comentário fez tudo isso valer a pena!


      Excluir
  3. Isso tudo é muito confuso, de verdade. Mas acho fantástico a quantidade de informação que vocês transmitem no CC. Acho que muita coisa ruim acontece por falta de informação.
    O ser humano é muito mais complexo do que podemos imaginar. E o fato de ficarmos presos a tabus, status, conceitos, princípios e opiniões limitadas e fragmentadas, faz com que não percebamos, a complexidade disso tudo.
    Até ler o texto sobre a visibilidade bissexual aqui no CC, eu era do grupo: "bissexuais não existem; são pessoas confusas; são pessoas "safadas", etc. E de repente eu leio aquele texto e tipo, quem sou eu pra dizer o que existe ou não?
    E o pior é que esse preconceito e puritanismo, muitas vezes nos oprime. Essa definição, essa divisão do mundo em apenas duas partes, faz com que não nos encaixemos. Até a gente descobrir que tem espaço pra todo mundo. No fim das contas todos existimos, todos somos pessoas. O que importa é respeitar as escolhas e o espaço do outro.
    Aprendo muito com esses textos, de verdade.
    Sempre me defini hétero, mas agora não tenho tanta certeza, rs. No fim das contas pessoas gostam de outras pessoas, simples assim.
    (Ainda não consegui diferenciar pansexualidade de bissexualidade, mas tô quase lá, kkk)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também acho que é isso. :( Esse é até um dos problemas da heteronormatividade - ao partir do princípio de que as pessoas só são (e podem ser) hétero, toda a nossa cultura é criada como se o resto não existesse ou fosse inválido. Resultado: nenhuma informação. Pra completar, as pessoas que questionam isso, é como se elas saíssem do armário pra os dois lados. Pra o mundo heteronormativo como #orgulholgbt, e pra dentro do armário em Nárnia pra um espaço onde circulam todas essas informações. Mas acaba que quem tá do lado de fora não fica sabendo de nada e por causa da agressividade da cultura, essas informações só chegam através de briga/defesa. Ou seja: ninguém sabe de nada. :(

      MUITO obrigada por comentar isso, é saber que os textos estão tendo esse resultado que me motiva a fazer. <3 Eu nunca cheguei a pensar nada assim, mas eu tenho muita bifobia internalizada que eu to aprendendo a resolver. E sabe qual é a coisa bizarra desse tipo de pensamento? (de que pessoas bi são safadas ou sei lá) É que ser bi é tão comum/natural quanto qualquer outra sexualidade, então você tem literalmente todo tipo de gente bi. É como imaginar que toda pessoa hétero é safada porque viu alguém transando com todo mundo. Você pode ter PORNÔ HARDCORE com bissexuais, mas bissexuais que são todos românticos-fofinhos-vamos-andar-de-mãos-dadas ("olha esse garoto bonito...", "olha essa garota bonita...").

      E, se você pensar, até a ideia de que são pessoas safadas é meio sem lógica. Se é uma pessoa safada, que quer fazer sexo com todo mundo, é porque ela QUER fazer sexo com todo mundo e isso é parte de quem ela é, é o que ela gosta, não uma pessoa que tá de sacanagem no meio do caminho. Mas de algum modo a possibilidade a ideia dela ser algo diferente (um terceiro tipo de sexualidade) é apagada.

      Seu comentário <3 <3 <3 (mais uma vez, porque eu to muito feliz HUAHUAH)

      E independente de como você se defina, lembre que seus sentimentos são válidos. Tudo bem explorar quem você é e o que você sente. :)

      Sobre bi vs. pan: também to quase lá. HAUHAUHA To reunindo informações pra escrever sobre isso ainda. Até agora minhas conclusões:
      1- Bi é mais de um gênero, não necessariamente todos. Enquanto pan é por todos os gêneros (atenção: não todas as pessoas daquele gênero. acho.)
      2- Nas pessoas bi o gênero tem um peso maior em como a pessoa se sente, enquanto a ideia de pan é mais voltada para "atração sexual por todas as pessoas. essas coisas não influenciam na atração"
      3- É uma diferença de identidade (escolha "política") - ex: eu sou pan porque quero mostrar que sou aberto a todos os seres humanos. eu sou bi porque é um termo mais reconhecível, tem história, etc.
      4- Ex: eu sou bi, porque não tenho certeza do que é ser pan ou certeza de que eu realmente sinta atração por todos, mas já senti por mais de um gênero.

      Preciso de mais pesquisas, mas por enquanto é isso.

      Muito obrigada por compartilhar <3

      Excluir
  4. Só nesse ano fui descobrir o que é ser assexual e fiquei, tipo, "Cara, eu sou normal?", porque a gente quase não vê ninguém falando sobre pessoas que não tão nem aí para relacionamentos (na verdade, hoje em dia quase tudo tem a ver com sexo), e aí a gente acaba pensando que só pode ter alguma coisa errada por ser assim. Estamos em pleno século XXI e acho triste que as pessoas ainda não tenham total liberdade para ser nada menos do que elas são.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fico muito feliz que você tenha percebido que é assexual. Eu fico imaginando quem é e não sabe. E acha que tem que ser hétero e seguir as exigências de uma cultura assim. #protejamosassexuais E sabe de uma coisa? Talvez nem seja tanto uma questão de liberdade. Se as pessoas já soubessem que existe e é real, já facilitaria muito!

      Excluir
  5. Não dá pra não comentar, mds suahsuahs
    Cara (ou, mina), esses textos ficaram muito perfeitos. Eu descobri muita coisa que eu nunca tinha visto. Além de chegar a algumas conclusões as quais eu tinha muitas duvidas sobre.
    Sabe, sou bissexual. EU GOSTO É DE BEIJAR! Mas não quer dizer que eu vou beijar todo mundo. E não quer dizer que todo mundo me atrai.
    Eu to tentando entender agora essa duvida sobre pan e bi também. Meu deus,que bagunça suahsaush
    Eu acho que bi é quem sente atração por vários gêneros, não necessariamente todos. Pan já é quem, talvez, sente atração por todos os gêneros. Talvez, bi, seja quem sente atração só por 2 tipos de pessoas mesmo. As vezes você pode ser hétero e sentir atração por trans, acho que te torna bi. Talvez, pan, seja quem sente atração por mais de 2 tipos de pessoas, talvez todos mesmo. E ainda, talvez os bissexuais tem essa coisa mais íntima de "garotos com barba me atraem mais", "garotas com cabelo comprido me atraem mais", enquanto o pan talvez não tenha isso, do tipo, "PESSOAS me atraem".
    Acho que o importante é você se rotular como se sentir bem, contanto que você se aceite.
    Eu posso muito bem ser hétero, sentir atração por garotos, mas dizer que eu sou hétero, porque eu gosto, e, principalmente, porque é o que EU QUERO dizer que eu sou. Eu sou livre pra fazer as minhas próprias escolhas, e acabou. E eu me aceito. Vou continuar saindo com garotos se eu quiser.
    Meu lema maior é: "A vida é feita de o que você quer (e consequentemente do que não quer) e as consequências disso (mas, pra você, não pros outros, viu?)".
    SUCESSO!!!

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *