CCSéries Eduardo Ferreira

Mr. Robot: A melhor estreia de 2015

25.8.15Eduardo Ferreira


É impressionante quando uma série consegue te prender e te fazer esquecer qualquer coisa ao seu redor e simplesmente entrar num estado de inércia no sofá até perceber que o episódio acabou e você só tá pensando em ver o próximo.

Foi assim com Mr. Robot, uma série um tanto quanto diferente que te convida a entrar na mente de Elliot. Um hacker habilidoso que durante o dia trabalha como engenheiro de segurança virtual e à noite se transforma num vigilante do mundo virtual, usando suas habilidades para tornar o mundo melhor.

Logo no início somos apresentados à um mundo não muito diferente do nosso, mas que é único porque é contado na visão de Elliot, um personagem não muito tradicional. Num voice over de Elliot conversando com seu amigo imaginário, começamos a entender esse personagem e como ele se encaixa na sociedade que vive.

Elliot é cheio de problemas psicológicos. Diagnosticado com transtorno de ansiedade social, ele usa suas habilidades de hacker para fazer conexões com as pessoas. Mas, ele também é paranoico (e certamente esquizofrênico) e desde o começo da série você fica se perguntando se aquilo que você está vendo não é só uma alucinação ou se é realmente real. 

Em Mr. Robot, você é convidado a entrar na cabeça desse personagem e se vê vidrado o tempo todo tentando descobrir se aquela pessoa que ele está interagindo é real ou uma alucinação de Elliot ou se essa pessoa está interagindo com outras pessoas nas cenas para tentar entender se eles são realmente de verdade. E isso te DEIXA LOUCO. Porque, quando você percebe isso, você fica com vontade de rever os episódios e procurar todas as dicas escondidas e os pequenos detalhes na história para tentar entender o que tá acontecendo ali.

E, então, você começa a ficar paranoico. Começa a procurar em todo canto da tela do seu computador alguma pista escondida ou algum detalhe que pode te indicar o que realmente está acontecendo.

E isso nem começa a explicar sobre o que a série é e o que ela representa.

Logo no início Elliot é intimado por esse personagem completamente anarquista, Mr. Robot, junto com seu time de hackers, a fsociety, que acredita que a sociedade está sendo controlada pelas grandes empresas de tecnologia e precisa da ajuda Elliot para hackear a empresa de segurança que ele trabalha como uma forma de rebelião contra esse sistema capitalista que vivemos e derrubar a E Corp, uma grande corporação de tecnologia. 

Uma das coisas mais incríveis sobre a série é que ela realmente te coloca dentro da cabeça do personagem. Por exemplo, Elliot chama a E Corp de Evil Corp, porque é o que ele acredita que a corporação seja. E, desde que ele nos conta isso, toda vez que a corporação é mencionada na série, seja na televisão, em jornal ou pela boca de outras pessoas nós ouvimos eles chamarem de Evil Corp e não E Corp. O que te deixa ainda mais maluco, porque você tá ali vivendo dentro da cabeça desse cara e tem que se questionar o tempo todo se o que você tá vendo é verdade ou faz só parte do mundo dentro da cabeça de Elliot.

Todo a plot dessa primeira temporada é focado em Elliot ajudando Mr. Robot à derrubar a Evil Corp e ao mesmo tempo salvar a si mesmo.

Agora imagine você vivendo dentro de tudo isso e ainda tentando desvendar os mistérios do enredo? É um tipo de série que você não assiste, você experiencia.

A série tem um quê de V de Vingança com discursos tão incríveis sobre a sociedade e capitalismo e em quem nos tornamos por causa disso, que vai ser difícil você assistir a um episódio e não querer revê-lo.

Tem uma frase no começo do episódio piloto que se não te convencer a continuar assistindo a série, eu realmente não sei que outra coisa faria. Ela destrinça perfeitamente a sociedade que vivemos hoje e é completamente ignorante ao fazer isso. O que é simplesmente genial, dadas as circunstancias, e faz um paralelo super realista da nossa sociedade.

 
Talvez, porque nos todos pensávamos que Steve Jobs era um grande homem?
Mesmo depois de descobrirmos que ele ganhou bilhões explorando crianças?

Porém, não é só o enredo e os personagens que tornam Mr. Robot uma série tão incrível. A parte artística também chama bastante atenção.

O ângulo da câmera, por exemplo. Isso porque eles não usam aquele angulo usual da pessoa centralizada na tela e muito menos aquela coisa de ficar mostrando as costas da pessoa que tá ouvindo. São ângulos mais artísticos e que buscam mostrar aquilo de forma diferente. O que dá um tom completamente novo para aquilo que você tá assistindo.

 

Não só isso como também toda a beleza das imagens, a ambientação e toda a história que elas contam à parte daquilo que tá sendo contado.

E eu preciso comentar que Rami Malek, o ator que interpreta o Elliot, é simplesmente genial.

Mr. Robot é, até agora, a melhor estreia de 2015. E, definitivamente, a série que todo mundo deveria estar vendo.

Ou, talvez, porque todos os nossos heróis são farsas.

TAGS: , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

10 comentários

  1. Estou na metade do primeiro E AMANDO!!!
    Gosto muito do tema, principalmente ultimamente com essa discussão sobre privacidade e tal.

    Obrigada pela indicação. <3


    (E gente, o ator, que cara maravilhoso.)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voltando pra dizer que acho que nem vou conseguir terminar essa temporada. :(
      Estou no episódio 4 ou 5 (acho que o último que assisti foi o Exploits) e estou achando super chato. Uma pena, pois estava tão empolgada...

      Excluir
    2. Andrea, não faça isso!!! Sim,o quinto episódio é bem lendo, mas a partir dai as coisas só ficam mais intensas. O final do episódio 6 é (!!!!!!!) E as coisas só vão ficando mais incríveis e intrigantes.

      Excluir
    3. Eduardo, estou tentando, mas tá difícil, viu. Nem é por ser lento e tal, porque isso não me incomoda. É que tou achando tudo chato mesmo. Não estou com aquela curiosa pra saber o que vai acontecer no próximo episódio. Talvez procure um review pra saber o final da temporada e ver se eu animo a assistir, talvez pare por aqui mesmo.


      SPOILER
      As cenas da Angela, super vontade de pular todas. E tem também aquela garota lá que estava em contato com o grupo da China (nem lembro o nome dela), gente que personagem mais chata. Tenho vontade de pular essas partes também ou apenas colocar no mudo. E o Elliot com a vizinha (Shayla, né?) e o traficante? Aff. Gosto um pouco do Tyrell, ainda mais depois que apareceu a esposa dele e eu fiquei totalmente WTF ESSE CASAL hahaha. De resto, a série não me empolga mais como no começo.

      Excluir
  2. concordo em gênero e grau. e olha q sigo trocentas séries e vejo todos os pilotos q aparecem.

    ResponderExcluir
  3. Alguem por favor me fala que idioma é aquele que o Tyrrel e esposa dele fala, eu vou surtar. Ja pesquisei em tudo e nada! :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. julgo que é Dinamarquês ou Sueco

      Excluir
  4. Parabéns pelo texto! Mr. Robot é realmente uma série fantástica e tem tudo pra continuar sendo espetacular, dado a qualidade do roteiro, das interpretações e do cuidado estético empregado. Segue minha resenha sobre a Primeira Temporada: https://bauresenhas.wordpress.com/2016/05/17/mr-robot-primeira-temporada/

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo texto! Mr. Robot é realmente uma série fantástica e tem tudo pra continuar sendo espetacular, dado a qualidade do roteiro, das interpretações e do cuidado estético empregado. Segue minha resenha sobre a Primeira Temporada: https://bauresenhas.wordpress.com/2016/05/17/mr-robot-primeira-temporada/

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *