a origem dos guardiões CCSexta

O Natal é meu, mesmo que o Papai Noel seja da (spoiler)

6.12.13Dana Martins


Ontem eu descobri que fui enganada a minha vida inteira. Foi pior que descobrir que Papai Noel não existia, porque isso nunca fez muita diferença. Sabe o que eu descobri? Não, calma. Deixa eu fazer outra pergunta antes: Você sabe por que o Papai Noel usa roupinha vermelha? Você sabe por que ele é gordinho e com a bochecha rosadinha amigável? VOCÊ SABE POR QUE VERMELHO É UMA DAS PRINCIPAIS CORES DO NATAL?

- Porque é a cor do amor. - foi o que o meu avô me respondeu.

Não, meus amigos, não é o amor (apesar de ser quase isso). É A COCA-COLA. Até lá por 1920 o Papai Noel - ou São Nicolau - era um cara magrelo que usava roupa de bispo, mas é mais algo como Cosme e Damião. Você sabe exatamente como eles se parecem? Eu não. O Papai Noel também não tinha uma imagem definida assim, era só alguém que ajudava os pobres na cidade colocando moedas de ouro em suas chaminés no Natal (ou é o que dizem). De qualquer forma, só bem depois quando a Coca deu sua cor ao Papai Noel e inventou aquela roupa e a imagem para uma propaganda, é que o bom velhinho ganhou o rosto que nós conhecemos hoje. 

BOOM. IMPACTO. 

Agora o que isso tudo tem de importante? Vem comigo que você já vai entender.

O NATAL CHEGOU!!!


Hoje eu venho para a estreia das sextas temáticas de dezembro, onde falaremos sobre o Natal, que é uma data quase polêmica. Tem gente que vai pela comida, tem outros que vão pelo presente, as tias enchem de mensagens ~lindas~ de Natal a internet, as casas são decoradas e o bafafa de que tudo é falso começa. E aí você descobre que o Papai Noel é mais uma das coisas falsas do Natal.

Confesso que me senti traída quando descobri isso, mas... não importa realmente. E é sobre isso que eu quero falar com vocês. Eu sei que existe uma onda de que Natal é coisa ruim, ou que não é brasileiro e que Natal é puro marketing. E é mesmo. Mas pode ser algo mais e depende de você.

ERA UMA VEZ, UMA GAROTINHA...

em hogwarts, uma das maiores bruxas da grifinória e... não, pera. história errada...
Eu tive a sorte de crescer em uma família muito unida que todo Natal bate ponto no mesmo lugar quase que com as mesmas tradições. Sempre teve Papai Noel contratado vindo entregar os presentes, que só não vinha de trenó porque ele SEMPRE batia na torre do Barra Shopping e tinha que ser resgatado de carro, e eu sempre montei a minha árvore de Natal gigante (um novo cenário especial para os meus bonecos aproveitarem!!!). Cheguei até a ter aqueles trenzinhos elétricos que ficavam rodando em volta da árvore. Minha atividade preferida quando andava de carro era procurar pisca-pisca pela cidade. 

Também tive mais sorte ainda de perder alguns desses Natais, em que eu e o meu irmão ficamos sozinhos com a minha mãe e sem muito dinheiro. Mesmo assim ela fazia questão de comemorar. Nesse ano o Papai Noel passou de carro e jogou os presentes no jardim.

Depois de um tempo tudo quase voltou ao normal, até que nós crescemos e eu comecei a, eu mesma, esconder um presente no saco do Papai Noel para o meu irmão poder receber com todo mundo. E depois disso alguns não queriam mais Papai Noel porque "não tinha mais criança", e não queriam mais amigo oculto "porque dava muita confusão" e não queriam montar árvore porque "dava trabalho" e não queriam fazer rabanada porque "o bolo de sempre é mais gostoso."

O FIM DO NATAL


Podemos ver uma linha a seguir: daqui a pouco vamos em um restaurante qualquer para não encher a casa de ninguém, ou nem começamos a ir, porque com namorados surgem novas famílias e aí cada um vai para um lado. Ou comemos macarrão, que enche a barriga de todo mundo e é simples. 

No último Natal eu mesma quase não fui porque estava muito concentrada zerando um jogo de Assassin's Creed. 

E é assim, meus amigos, que o dia de Natal vira um campo de guerra, os enfeites ficam falsos e até o Papai Noel vira apenas uma propaganda na Coca-Cola. Mas nós não podemos deixar. Mesmo que a Coca-Cola crie o símbolo, somos nós o responsáveis por dar o significado. Mesmo que alguém esteja interessado só na comida, nós não podemos deixar isso estragar o nosso dia.

OH, QUEM PODERÁ NOS SALVAR? O SUPER-ESPÍRITO NATALINO!


Então é por isso que eu quero transformar o Natal, que sempre foi uma data especial para mim, em algo que continue sendo especial. E como nós fazemos isso? Com as tradições. 

Vou enfeitar a casa, obrigar todo mundo a escrever cartinha para o Papai Noel aqui em casa, dar presente para quem eu puder (nem que seja algo simbólico, tipo aquela corujinha ali em cima) e aproveitar para transformar essa época em um momento de relembrar que é importante valorizar as pessoas ao nosso redor. Porque eu posso dar o significado que eu quiser e aproveitar de qualquer maneira - e pode ter certeza de que eu não vou escolher ver tudo como uma coisa falsa e deixar os outros transformarem isso em realidade.

O Natal é meu, mesmo que o Papai Noel seja da Coca-Cola.

-dana martins

Extra: Também vamos vestir meus avós de Papai Noel e Mamãe Noel, porque que se dane que não queiram contratar. Vou fazer corujinhas com mensagens para todo mundo. Acho que vou fazer um vídeo com fotos da família pra gente assistir. Estamos pensando em um correio de mensagens. Vou fazer amigo oculto com quem quiser participar, nem que seja apenas eu e o meu irmão. Irei cozinhar minhas próprias rabanadas. E procurar na internet coisas legais pra obrigar todo mundo a fazer. 

TAGS: , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

4 comentários

  1. Ai o Natal
    Sempre fui a garota super animada com o Natal. Sabia que era os meus pais quem deixavam o presente no porão e que o pai da diretora do colégio se vestia se papai noel. Mesmo assim era uma data mágica para mim. Eu decorava a casa e empolgava todo mundo junto. Só que eu tinha o apoio da minha avó para fazer isso e depois que ela morreu o natal morreu junto. Só sentamos para comer por causa do meu pai que gosta da família comendo junto.

    Mas esse ano as coisas parecem que estão mudando. Minha mãe, que passou os últimos natais mega deprimida, está querendo comprar uma árvore pequena e toalhas com o papai noel. Eu estava meio assim mas estou começando a entrar no clima dela.

    Vamos ver se temos um Natal aqui em casa esse ano.

    ResponderExcluir
  2. Poxa, bem legal o post!! Confesso que não sou a pessoa mais natalina do mundo hahaha, nem me lembro quando deixei de acreditar no Papai Noel, acho que nunca dei tanta importância a isso, e hoje é tipo isso mesmo, temos respectivos "namorados quase maridos", minha família não é grande e nem muito empolgada. Mas, apesar disso, confesso que admiro muito aquelas famílias enormes que comemoram não só o Natal, mas várias festas ao longo do ano, e que sempre acham um motivo qualquer para se reunir e celebrar algo. Parece ser a coisa mais divertida! =)

    Um beijão, Livro Lab

    ResponderExcluir
  3. Foi um professor de História que me contou sobre a "verdade sobre o Papai Noel" uns anos atrás. Ele disse que o bom velhinho na verdade usava uma roupa verde, e depois do comercial da CocaCola com ele usando a cor vermelha (que é a cor oficial da marca da Coca) tudo mudou. Sério! É estranho pensar em como uma marca pode influenciar tanto, até mesmo em tradições. #mundocapitalista

    ResponderExcluir
  4. Aí, Dana, aqui em casa acontece as mesma coisas! Há uns anos era tudo muito bonito, muito colorido e farto e agora é um milagre se ligam pra desejar feliz natal! Que tristeza :c

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM