1920 Carey Mulligan

O Efeito Gatsby: Por que esse filme vai ficar na história

10.6.13João Pedro Gomes


O Grande Gatsby estreou aqui no Brasil na última sexta feira e está causando o maior rebuliço. É gente morrendo pra ver o filme, ler o livro ou até mesmo voltar à década de 20 pra poder viver naquela época cheia de festas, luxo e riqueza. Hoje, pra celebrar o sucesso (ou não) do filme, eu, João, venho falar um pouco sobre como a obra do diretor Baz Luhrmann tem impactado a mídia e a sociedade em geral.

>> Divulgação
O filme já chegou chegando antes mesmo da estreia. Você acha que cartazes e painéis foram o suficiente para promover o filme? Não, meus caros, Gatsby foi além disso. Em Londres, por exemplo, uma das principais estações de metrô da cidade, localizada na Oxford Circus, teve um corredor inteiramente decorado especialmente para o filme, olha só:


Ah, e como eles gostam muito de um metrô, Madri também foi alvo de uma intervenção muito bacana, que você pode conferir no vídeo abaixo:


Houve também um coquetel na Harrods, a loja de departamentos mais luxuosa do mundo, todo inspirado no filme e na década de 20.

E engana-se quem acha que o Brasil ficou de fora! Por aqui estão fazendo uma divulgação tão legal (ou até mais) quanto no exterior. Se você passar na rua Oscar Freire, em São Paulo, até o dia 12 de junho, irá se sentir como se tivesse voltado no tempo: o local está totalmente decorado com elementos da época, incluindo bancos, luminárias, floreiras e relógios. No dia da estreia havia também carros antigos e atores caracterizados, e, de quebra, quem passou por lá pôde tirar fotos em preto e branco numa cabine especial, gratuitamente. Sabe quantos filmes são divulgados assim? Muito poucos.


>> Trilha Sonora
A trilha sonora também foi algo de grande destaque no filme. Também, não poderia ser diferente: com grandes nomes da música, como Lana Del Rey, Florence and The Machine, Beyoncé, Emeli Sandé, Fergie e Will.I.Am, as músicas tinham tudo pra dar certo. E deram. A trilha sonora, produzida por Jay-Z, vendeu mais de 130 mil cópias na primeira semana de vendas, emplacando o segundo lugar no ranking de discos mais vendidos da Billboard, além do primeiro no ranking de álbuns digitais. Não é pra qualquer um.

Não vou me aprofundar muito mais aqui, pois uma trilha tão boa merece post exclusivo aqui no blog, que vocês verão em breve. Fiquem ligados! Por enquanto, ouçam “Young and Beautiful”, uma das melhores músicas do filme. 

Apenas tive que colocar a imagem desses vinis aqui. Olha que riqueza! São edições especiais e limitadas da trilha sonora do filme. O da direita é de ouro, e o da esquerda de platina. Obviamente, possuo os dois. Porque né. -n
 >> Efeitos Visuais
Desde que saíram as primeiras imagens e trailers do filme, percebeu-se que esta categoria seria, talvez, a de maior relevância da produção. Algo já era esperado do diretor, que sempre trabalhou com projetos muito ricos, visualmente falando.


Os cenários, figurinos, efeitos especiais, o 3D... Tudo foi minuciosamente planejando para dar um show de beleza nas telonas. É praticamente impossível não perder o fôlego com toda a riqueza de detalhes dos sets, até mesmo os mais simples cativam o espectador. Eu ainda estou extasiado com a beleza deste filme (isso porque ainda nem assisti).

>> Crítica
Mas toda essa beleza teve seu lado negativo. “COMO ASSIM, JOÃO?!?”. Pois é, também fiquei impressionado, mas, segundo a maioria dos críticos de cinema, o diretor foi muito exagerado nesse ponto. Ele criou uma verdadeira “orgia visual”, que passou longe de representar a sensibilidade que a história do livro pedia.  Disseram ainda que, mesmo com a nova versão, o cinema ainda não tem uma boa adaptação do livro. 

Gatsby não curtiu. Achou ofensivo.
Não vou negar que fiquei um pouco triste com essas críticas. Li o livro e achei mesmo as festas do Jay um pouco exageradas (me assustei com essas duas moças, fiquei tipo "wtf?!?"), mas nada tão grave a ponto de interferir na qualidade do enredo. Bem, é uma pena que isso tenha acontecido.

>> Bilheteria
Apesar da má recepção da crítica, O Grande Gatsby se desempenhou muito bem nos cinemas. No fim de semana de estreia nos Estados Unidos, o filme conquistou nada menos que 51 milhões de dólares. Até agora o filme soma mais de 128 milhões em bilheteria. Resumindo: é a opinião da crítica contra a opinião do público. Só assistindo para tirar minhas próprias conclusões.


>> Conclusão
Mesmo polêmica, essa adaptação do clássico de F. Scott Fitzgerald se tornou muito marcante para o cinema. Por tudo isso que citei e muito mais. Nem preciso falar do consagrado elenco do filme (sabiam que O Grande Gatsby foi a segunda melhor estreia do DiCaprio?), as mil novas versões do livro que surgiram, tanto nos Estados Unidos quanto no Brasil, o retorno da moda da década de 20 às passarelas (do qual a Elilyan falou nesse post)... Ao final desse post, acho que não estou enganado ao afirmar que O Grande Gastby, mesmo com suas falhas, veio pra fazer história. 

E é isso, galera! Deixem aqui embaixo suas opiniões sobre o filme, se você já tiver assistido, ou suas expectativas, caso pretendam assistir. Espero que tenham gostado do post! 
Até mais!

- joão pedro f. gomes.
___________________________________________________________________________________

TAGS: , , , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

2 comentários

  1. Achei o livro sensacional, mas estou tratando de frear minhas expectativas em relação ao filme; já li por aí que realmente o enredo não dá conta, que tudo fica muito no visual e blá blá. Não duvido, mas ainda assim vou conferir o filme (claro!) e tenho certeza que vou me deleitar com a fotografia, já que adoro os trabalhos anteriores do diretor (ainda que não tenha assistido Austrália).
    Sei que essa história de deixar a trilha sonora mais pop é meio que marca dos filmes do Luhrmann, mas saber que não irei encontrar o jazz dos anso 20 pura e simplesmente me desencantou um pouco. Pelo menos na trilha tem Florence + The Machine...

    Bjs, Livro Lab

    ResponderExcluir
  2. Faz uns dois anos que vagueio sem rumo pelas livrarias procurando por um mísero exemplar de O Grande Gatsby - se liga no drama XD Quando soube que o romance seria adaptado pela terceira vez para o cinema, só faltou eu fazer sapateado em cima da mesa (a mesma reação multiplicada por 1000 aconteceu quando ouvi a trilha sonora ~Florence, sua linda~). Fiquei até assustada com tanta repercussão - com direito até a relançamento em edição bilíngue e capa dura - mas com certeza tenho que assistir ao filme. E o mais importante: comprar o livro.

    Beijos!
    Clara
    labsandtags.blogspot.com

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM