a bela e a fera a verdade por trás dos contos de fadas

A Verdade por trás de A Bela e a Fera

1.6.13João Pedro Gomes


Definindo esse post: altas revelações. O conto que, para mim, teria a verdade por trás mais fraca, se tornou o principal. Nem acredito que eu quase considerei não fazer um especial sobre A Bela e a Fera. Só para dar uma ideia: você já viu mil versões de A Bela e a Fera sem se dar conta, tem a ver com mitologia grega (e Percy Jackson), é o conto de fadas da agressão doméstica (alguém aí gosta da trilogia Millennium?) e, só para completar, é o conto que foi difundido - e meio criado - por MULHERES! E até agora eu nem sabia que havia mulheres relevantes assim no passado... Só para completar, esse post ainda é o exemplo ideal de como os contos de fadas são escritos.

A Bela e a Fera desde o início foi o maior enigma para mim. Afinal, de onde veio essa história? Eu sabia que não era dos irmãos Grimm, nem tinha exatamente a mesma origem do que os outros conto que nós mostramos durante o mês. E também não lembrava de ouvir nenhum boato sobre a verdade obscura por trás das linhas. Só para completar, A Bela e a Fera é um dos contos de maior sucesso. Como assim?!?!

A verdade que nós descobrimos por trás de A Bela e a Fera é que... Na verdade, é o conto mais peculiar de todos. E provavelmente o mais antigo. Talvez a verdade não acabe totalmente com a sua infância. Mas vai mudar como você vê.

Mentira, ela vai acabar sim com a sua infância, como acabou com a minha quando escrevi esse post.

Para começar, mesmo que não tenha nada de estupros (será?) ou outros tipos de violência grotesca desnecessária, junto com Chapeuzinho Vermelho, A Bela e a Fera continua sendo um dos meus preferidos. Por quê? A essência da história é uma ótima metáfora. A garota que vê o lado bom na Fera. Se a Lady Gaga, ou qualquer um nessa onda de "aceite quem você é", fosse escolher um conto. Com certeza seria esse.

E essa essência tem aparecido de mil modos. Não só nas adaptações diretas, como em Once Upon A Time (genial!) e no filme Fera. Crepúsculo ressoa essa ideia. "Uh, é claro, aquela porcaria copia tudo...". Sim, igual fizeram em O Fantasma da Ópera, O Corcunda de Notre Dame e até King Kong.

Mas a parte interessante é que... a história começa lá atrás, na Mitologia Grega, com a história de Eros e Psique.

A transformação


João enfiando o nariz no post da Dana: pra quem gostou do
mito de Eros e Psique, recomendo que veja as pinturas de
Denis Maurice retratando a história.
São lindas, vale a pena conferir! 
Começamos com a história de Eros e Psique, encontrada escrita por Apuleius em seu trabalho "O Asno de Ouro". No mito, Psique é uma jovem tão bela que Afrodite fica com inveja e manda seu filho, Eros, dar um jeito nela. Mas ele também se apaixona por Psique, enfurecendo sua mãe. Quando o pai da menina, desesperado por ela não encontrar um marido, vai se consultar com o oráculo, Eros intervém dizendo que ela está destinada a casar com uma horrível serpente e que deveria ser abandonada no alto de uma montanha. De lá ela vai parar em um grande castelo onde toda noite o marido aparece para se deitar com ela. Mas Psique é proibida de olhá-lo. Instigada pelas irmãs ciumentas e com medo de que seu amado marido seja uma serpente ou outro ser monstruoso, ela acaba olhando Eros durante à noite com uma lamparina à vela. Nesse momento, ele acaba acordando com uma gota de cera quente que cai sobre ele e, revoltado por Psique tê-lo desobedecido, vai embora. Depois ela começa uma aventura estilo Percy Jackson para recuperar seu amor e ficar de bem com Afrodite. (Curiosidade: Psique, na mitologia, representa a alma - alguns dizem que a história é sobre o desenvolvimento da alma).

Com o tempo isso acabou virando a história de Eros, que descumpriu a ordem de Afrodite, foi transformado em uma horrível serpente, e ficava no castelo tentando ganhar a confiança de sua amada Psique. Sem esses nomes, é claro.

Essa versão da Fera como serpente pode ser encontrada em muitos contos de fadas. Seja um conto popular francês, um na Rússia chamado "The Enchanted Tsarevitch" e até na China, "The Fairy Serpent”.

Versões mais recentes

Já lá para idade média, no século 16, o italiano Straparola (Giovanni Francesco) contou a história do “Re Porco” (Rei Porco), um homem bruto que recebeu esse nome não por ser realmente um porco, mas por ter um comportamento de porco em relação a mulheres. Uns 100 anos depois, outro italiano contador de histórias incluiu >quatro< contos do estilo de A Bela e A Fera em seu Il Pentamerone (1646).

Na Escandinávia outro conto parecido foi encontrado, “East of the Sun and West of the Moon”. Nessa história a fera é um urso branco, mas que vai para a cama de Bela como um homem toda noite. Como no caso de Psique, a moça está proibida de olhar para o seu amado. E, também como no mito, há uma forte ênfase no lado sexual dessas versões.

Nesse ponto é que eu paro e fico pensando. Essa história de urso, porco, serpente e idade média... Fico imaginando pobres garotas que eram "atacadas" por homens desconhecidos em suas camas e eram obrigadas a não olhar quem era. Talvez fosse seu pai, algum velho, o senhor do castelo, alguém realmente muito ruim. Isso me lembra Os Homens que Não Amavam as Mulheres.

Voltando! Agora chegamos a 1697 com Charles Perrault (junto com os Grimm e Andersen, que reuniram os principais contos que você conhece). Ele reuniu o conto “Riquet a la Houppe” na compilação “Histoires ou Contes du Temps Passé”. Essa versão de A Bela e a Fera é a única que o leitor é deixado para descobrir a questão: A Fera realmente se transforma em um homem bonitão ou apenas parece que se transforma aos olhos da mulher?

Posso interromper outra vez? Agora eu realmente vejo isso como o caso de estupro e violência doméstica. Daqueles que a mulher (ou homem!) apanha tanto e é tão castigado que no fim passa a proteger o agressor. Eu acabei de destruir um dos meus contos preferidos. Obrigada, gente.

A versão de A Bela e a Fera mais conhecida hoje em dia

Em 1740 uma mulher... Sim! Uma MULHER! Gabrielle-Suzanne Barbot de Gallon de Villeneuve escreveu “La Jeune Amériquaine, et les Contes Marins”, uma série de contos para entreter seus amigos, não crianças (imagina lá aquele bando de nobre francês).

Um desses contos se tornou a versão de A Bela e a Fera que conhecemos hoje em dia. E era bem maior do que a versão conhecida, ela incluía a história dos dois protagonistas - Bela na verdade era descendente da realeza, ele é um príncipe amaldiçoado - e várias sequências de sonhos.

 João: Fera javali? Então tá, né... Ilustração de Walter Crane,
datada de 1875. Pensando bem, até que o artista
teve uma visão interessante das personagens...
Cinco anos depois, OUTRA MULHER, Jeanne-Marie Le prince de Beaumont, foi para a Inglaterra e virou tutora e escritora. Em 1756, ela fez uma versão curta da história da primeira, deixando de fora toda a genealogia, maior parte dos sonhos e terminando com a transformação da Fera. Essa versão foi publicada com outros contos em "Magasin des Enfants". Essa é a versão mais conhecida que serviu de base para outras interpretações, inclusive as que conhecemos hoje, como a da Disney.(Curiosidade: nem no conto da Villeneuve ou da Beaumont a Fera é descrita. Isso deixa abertura para muitas possibilidades. As mais comuns são javalis, leões e até algumas parecidas com elefante).

---

É isso, gente! O post de hoje teve um foco um pouco diferente dos outros, mas acho que valeu a pena mostrar algo além daquelas mensagens por trás das linhas. Afinal, um conto com uma história tão antiga e rica em detalhes merece ser lembrada, não é? 

Enfim. O mês pode ter acabado, mas esse assunto polêmico ainda vai render muitas conversinhas por aqui. Pode apostar que vai... *suspense* 

Uma rosa pra finalizar o post. Porque não dá pra falar de A Bela e a Fera sem citar esse símbolo em algum momento... 

TAGS: , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

26 comentários

  1. Okay! Minha infância acabou, minha vida acabou... não quero mais saber de viver nesse mundo cheio de mensagens subliminares por trás dos meus filmes favoritos. Chorando.
    Eu já deduzi mil coisas, mas nunca cheguei a essa conclusão sobre os possíveis estupros. O pior de tudo é que faz sentido, e isso é uma droga.
    http://ancoreblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Esqueceu de comentar o recente seriado Beauty and the Beast :)

    achei o post genail, obrigado!

    ResponderExcluir
  3. eu sempre pensei que fosse representado como uma fera por ser um agressor/estuprador. Não no literal mas metaforicamente "a fera" abusava da mulher. Entende? mas achei interessante também.

    ResponderExcluir
  4. ESSES CONTOS DE FADA SÂO TODOS MACABROS, UMAS ESTORIAS ESQUISITAS DEMAIS.

    ResponderExcluir
  5. O texto é ótimo e levanta reflexões interessantes, mas os contos de fada somente serão macabros se a pessoa quiser, na verdade. Não há necessidade de sempre julgá-los corruptos ou corruptores. Ainda há bondade no conto de A Bela e a Fera.

    Aqui há uma conversa em podcast sobre o folclore, o conto francês e sua influência nas artes:
    http://supernovo.net/noticia/cinecast-especial-14-a-bela-a-fera-e-o-amor/

    ResponderExcluir
  6. eu achei que isso destruiu o conto da bela e da fera mas tudo o que vc falou faz sentido

    ResponderExcluir
  7. Não achei que destruiu, não. Pode até ter sido tudo isso, mas ainda consigo ver que a Bela enxergou dentro da Fera algo bom, e passa a mensagem de que temos que olhar além da aparência, sem preconceitos. Pois a bondade está dentro de cada um, basta que observemos com atenção. prefiro ainda ver isso na história.

    ResponderExcluir
  8. Vão procurar o que fazer e deixem a magia tomar conta....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkk gostei... Sem estupro ou com estupro kkkkkk

      Excluir
  9. Vão procurar o que fazer e deixem a magia tomar conta....

    ResponderExcluir
  10. Vão procurar o que fazer e deixem a magia tomar conta....

    ResponderExcluir
  11. O fato de uma mulher ter escrito não desvaloriza uma obra, percebi sua indignação por esse detalhe. Mesmo assim, a sexualidade pelo visto é bem mais tabu hoje em dia.

    ResponderExcluir
  12. Acabei com minha infância, sim esse era meu conto predileto...porém algo interessante e usarei para o trabalho escolar!

    ResponderExcluir
  13. Oi! Que dez este post! Gostei mesmo! Claro que não fiquei muito feliz com algumas coisas reveladas, porque era, e ainda é, meu conto favorito. rsrsrs, mas faz parte. Riquíssimo seu post.

    ResponderExcluir
  14. Gostei da história de Eros e Psique, mas há também todo um simbolismo na própria representação do monstro serpente, que eu confesso que teria que fritar horas pensando e lendo mais a respeito pra fazer associação. Não estragou o que representa a história da Bela e a Fera, pelo menos não a contada pela Disney, porque há outros elementos na estória da animação que afasta um tanto da obscuridade. Não que não tenha o visível abuso, afinal a moça é trancafiada no castelo, devendo obedecer ordens. Mas cada vez que vejo essa estória me concentro mais em como o verdadeiro homem que quer uma dama linda e dona de casa é o Gaston e não a fera. Gaston é superficial, tenta internar o pai da Bela num hospício, a chantageia para conseguir casar com ela, como se ela fosse uma mercadoria e ainda consegue causar terror psicológico na população para que ataquem seu inimigo que está no caminho de conquistar seu troféu. A fera não é inicialmente bem vista, é um personagem arrogante e nada afetuoso. Mas há um grande período que não é exemplificado em que os anos passam e ele continua amaldiçoado. As estórias antigas sobre a bela e a fera podem ter realmente significados sombrios de abuso e violência doméstica, mas acho que ao menos no conto Disney o roteiro soube transformar o sentido.

    ResponderExcluir
  15. E ah! Gostei do Texto. Não era uma crítica negativa ali em cima, só minha opinião quanto a estória. Mas sempre boa essa provocação quanto a sentido. :D

    ResponderExcluir
  16. Eu entendi patavinas do que você escreveu... E olha que li tudo ou quase

    ResponderExcluir
  17. eh um bando de desocupado, vai caçar uma lavagem de roupa, vai encerar um carro, mas para de ser idiota!
    crianças nao vao analizar desta forma nem sequer tomar isso como exemplos, faz assim arrume um gato e um cachorro dai vc vai ter com o que brincar e parar de pensar bosta...

    ResponderExcluir
  18. E esta história da realeza francesa: https://tudorbrasil.com/2015/09/02/a-verdadeira-historia-da-bela-e-a-fera/

    ResponderExcluir
  19. Muito bom o seu post eu gostei. Em relação ao conto do urso existe um filme bem antigo sobre ele. (1991) Não recordo o nome em português, mas em inglês se chama The Polar Bear King, onde de dia ele é urso e de noite é um homem que vai para a cama dela, porém ela não pode olhar para seu rosto.

    ResponderExcluir
  20. Muito bom o post, mas a escrita é confusa!

    ResponderExcluir
  21. Sim...ficou subliminar, nas entrelinhas o motivo pelo qual a Fera foi amaldiçoada. Quando homem ele violentava/violentou alguma mulher???

    ResponderExcluir
  22. Escreve muito. Amei

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM