40 conversinhas Ainda não te disse nada

[Resenha] Ainda não te disse nada, de Maurício Gomyde

29.2.12Dana Martins

por Dana Martins
- Livro: Ainda não te disse nada
- Livro único
- Autor: Maurício Gomyde
- Editora: Porto 71
- Comprar: Loja virtual do autor *onde eu comprei o meu, segura e rápida
- No skoob
*Acho que com a minha resenha pode acabar parecendo que é tipo Thalita Rebouças, mas não é. É mais adulto (garotas a partir de 14?), eu diria que um público parecido com o dos filmes "Cartas para Julieta" (já citado) e "Amizade Colorida". E garotos podem gostar também, se não tiverem preconceito. 




Mini-crítica: 
"Ainda Não Te Disse Nada" é sobre uma garota que deixa a cidade no interior e vai morar sozinha em São Paulo para se dedicar ao seu sonho: seguir na carreira de moda. No meio disso, sem querer, acaba virando um "anjo carteiro". O que ela faz é responder as cartas de um senhor em Portugal que acredita que está falando com um antigo amor. A história oscila entre a dedicação de Marina pela carreira, a vida amorosa dela e o mistério das cartas, todas essas pontas que no final acabam se encontrando. É um livro pequeno e leve que pode valer a pena para quem quer passar o tempo com um romance que lembra ao filme "Cartas para Julieta". Provavelmente, por ser uma história simples e tocante, o maior ponto positivo do livro é você poder emprestar para amigas, primas, tias...

Quer saber mais? Clique abaixo para conferir a resenha completa.
Esse livro começou a parecer em vários blogs por aí e pela capa bonita eu pensei que fosse algum novo da Intrínseca (vai entender...) ou algo assim, então foi uma surpresa quando eu descobri que era de um autor brasileiro. Ainda sem saber muito sobre o que era, vi que estava barato e decidi comprar, porque eu sempre tenho a esperança de encontrar bons autores daqui. A leitura foi uma surpresa, simples e um jeito gostoso de ler, trazendo uma história brasileira, atual e que não deve nada ao que tem lá fora. 

Sinopse: "Ainda não te disse nada" conta a história de Marina Albertini, uma garota de cidade de interior que troca a segurança de seguir os passos dos pais assumindo o negócio da família para se aventurar em São Paulo e estudar moda. Ela trabalha durante o dia numa agência de Correios e de noite vai para a faculdade, mantendo um pequeno apartamento onde ela mora sozinha. Os dias dela são praticamente isso: trabalho, passa em uma livraria para estudar até a hora da faculdade, faculdade e casa. Rotina que volta e meia é alterada para uma visita aos pais ou sair com as amigas. A vida dela continuaria assim, se dedicando à carreira e esperando uma oportunidade, se não fosse uma conversa com uma amiga de trabalho sobre o valor das cartas em um mundo cheio de técnologia como o nosso. Conversa que é seguida por um encontro estranho com uma mulher que se diz ser um "anjo carteiro", pessoa que é contratada para escrever fingindo ser um antigo amigo de alguém e, com isso, trazer algum ânimo para vida dessa pessoa. Logo depois, Marina se vê na mesma situação: escrevendo para um desconhecido como se fosse uma antiga namorada.

O livro é bem leve e consegue equilibrar todos esses conflitos com um tom de comédia romântica (me faz lembrar um pouco ao filme "Cartas para Julieta" e do livro "Três Metros Acima do Céu", do italiano Federico Moccia). Quando eu fui ler, imaginei que seria muito mais sobre as cartas, mas "Ainda não te disse nada" não é só sobre isso, até porque a Marina precisa de certo tempo no início para entender o que é, começar a fazer, duvidar se vale a pena... Só para o final que essa parte ganha realmente mais força. É aí que eu acho que o autor fez algo inteligente: se o livro fosse só as cartas, o início poderia ser cansativo, mas habilmente ele coloca a vida amorosa dela em jogo e traz um professor bonitão para criar expectativa. Sem falar das amigas dela que trazem boa diversão.

Aproveitando isso, outro ponto que vale lembrar é como os personagens recebem certas características: uma das amigas, quer ser escritora e vive parando para gravar pensamentos, o que rende boas piadas entre elas; A outra tem uma filha menor; Todas elas estão sempre falando de "questões amorosas"; E a própria Marina tem a mania de fazer listas de músicas com artistas que começam com a mesma letra (seria algo como Maroon 5, Mariah Carey, Mamonas Assassinas...), o que eu achei bem legal. São detalhes aqui e ali que dão mais cor - ou sabor - ao livro.

O livro é narrado em terceira pessoa e às vezes vemos trechos das cartas que ela recebe e escreve, mas o que realmente chama atenção são os diálogos. O modo deles falarem é muito próximo do natural (garotas jovens, da nossa época, brasileiras...). No início, a leitura fica estranha por falta de costume, mas depois de se acostumar flui normalmente. Esse jeito de mostrar o modo como elas falam só acrescentam na criação dos personagens e na aproximação entre livro e leitor. Eu não falo como elas, mas consigo imaginar claramente muitas pessoas ali.

Já que estamos falando de "imaginar muita gente ali", vou aproveitar para comentar sobre esse lado "atual" do livro - e não vejo isso apenas como uma forma de "agradar os leitores" como diriam por aí. Marina é uma garota decidida a fazer moda, tem um blog, fala como a gente, sai à noite (apesar de nem sempre ter vontade), pensa como boa parte das garotas e ainda tem amigas bem comuns. Às vezes, buscando fazer um livro "correto", o autor acaba passando por cima disso. Às vezes, não usar gíria ou se espelhar na realidade assim é o mesmo que fazer um filme de época e aparecer o ator de calça jeans (imagine "Tróia" com o Brad Pitt de jeans e camisa quadriculada \o/).

Como eu também gosto de equilibrar, o livro tem, sim, seu lado "negativo". (1) O público é meio restrito, ao mesmo tempo que é muito mais fácil indicar para aquela sua amiga que não costuma ler, não é nem para sua priminha nem para o seu pai. Garotos podem ter problemas se tiverem a cabeça mais fechada. (2) Uma coisa que sempre me faz questionar é por que as amigas dela fazem a mesma faculdade sendo que uma quer ser escritora e a outra é corretora (ou algo do tipo), além de parecer que elas nem têm tanto interesse (só em um momento do livro isso aparece e pouco). Parece mais que dessa vez o Maurício Gomyde fez isso só porque era mais conveniente. (3) Porque sempre tem um três, mas vou aproveitar para repetir: é um livro que depende de gosto, então não é qualquer um que vai ficar feliz.

Então, no geral, é um livro fácil de ler e que dá curiosidade, bom dentro do próprio estilo e que muita gente pode gostar. As minhas partes preferidas são, com certeza, as que mostram a dedicação da Marina, que desenha e busca crescer na carreira. O final um pouco previsível, mas que não deixa de surpreender, também é uma das partes mais legais. O drama por causa das cartas e algumas coisas quanto à forma de raciocinar eu não gosto muito (ou seja, isso é pessoal). O livro tem só umas 230 páginas, então passa rápido e vale a pena.

Pequeno aviso: eu sei que tem gente que não gosta, então é bom saber que em algumas partes a descrição vai mais longe do que "e eles se beijaram". Quanto a isso, "Ainda não te disse nada" está muito mais para "Amizade Colorida" do que para "Cartas para Julieta".

Extra - É seguro comprar o livro?
Eu comprei o livro pela loja do autor e sempre que a gente encontra algo de uma fonte "desconhecida" dá um medo, não é? Eu, pelo menos, tenho o maior cuidado com isso na internet. Resolvi tentar e deu tudo certo. O próprio autor, Maurício Gomyde, me respondeu rápido e cheio de educação. Enviou logo no dia seguinte e o livro não demorou a chegar aqui. Veio até autografado. Eu gostei tanto do atendimento que fui pedir uma parceria com o autor, que nos chamou agora para a nova promoção dele. Quem quiser/puder, participa aqui que é muito importante para gente e para o autor. Além de estar bem fácil ganhar o livro dele. :)

Classificação:

4 de 5 conversinhas, porque eu não vejo nada de negativo para não receber nota máxima (no caso, 4). Só dou 5 para os que viram preferidos. 

Semana que vem tem mais... e não esqueça de concorrer ao livro!

TAGS: , , , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

5 comentários

  1. Gostei muito da resenha. É verdade, tenho visto vários blogs resenhando este livro, mas ainda não tinha lido nada que me convencesse. O lance de lembrar "Cartas para Julieta" é ótimo, mas saber que não é só ingenuidade e que tem toques de "Amizade colorida" melhora muito as chances de ser lido por mim. Estou definitivamente interessada agora (e participando da promo).
    bjo

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha! Eu me apaixonei por esse livro, Maurício soube criar personagens bem caracterizados... morri de rir com a mania da louca de andar sempre com o gravador para não esquecer uma boa história pra "escrever mais tarde". Deixei passar o fato das amigas trabalharem em áreas completamente diferentes e estudarem na mesma turma da faculdade. O final é realmente previsível, mas isso não prejudica o livro. Parabéns pela resenha :D

    Beijos,
    whosthanny.com

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha! Realmente eu tenho vistou muito esse livro pelos blogs, eu adorei por ele tratar de cartas. Eu sou uma dessas pessoas que acho lindo enviar cartas, é tão mais pessoal que email. Quero muito ler *-*

    Beijitos
    http://www.bookpetit.com/

    ResponderExcluir
  4. Adorei a resenha! Meu livro já chegou e estou louuuuuuuuca pra lê-lo!


    beijos, lu
    bananapirata.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Esse livro parece ser muuuito bom *-*
    ainda vou ganahr ele e ler , haha (:
    Otima resenha...

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM