carrie ryan CCLivros

Infinity Ring: leia o livro, siga as pistas, vença o jogo

10.3.13Paulo V.


Vocês conhecem “Infinity Ring”? É uma série de sete livros, cada um escrito por um autor diferente (com exceção do desfecho, que é escrito pelo mesmo autor que iniciou). A Seguinte, selo jovem da Companhia das Letras, está trazendo a série no Brasil e hoje vamos apresenta-la a vocês.

Infinity Ring me conquistou porque é um projeto fantástico, tanto a ideia de cada livro ser escrito por um autor quanto a interatividade da série são muito legais. E não é qualquer autor que escreve para a série, são uns bem conhecidos, como o James Dashner, a Carrie Ryan e a Lisa McMann.



Qual é a ideia da série?

Não é esse anel do infinito...
Esse é um projeto da Scholastic, uma grande editora americana. Infinity Ring segue os mesmos moldes de outra série da editora, The 39 Clues. São vários autores de nome escrevendo uma série de aventuras e com várias pontes na internet. E, dessa vez, o tema é viagem no tempo!

O que eu mais gosto da série é a interatividade. Há vários jogos e missões online paralelos a cada um dos livros da série, o que é muito legal porque chama quem curte jogos online para a literatura. E, como a série é direcionada para um público mais novo, é uma iniciativa muito bacana. Eles entram em contato com livros e se divertem, porque não são livros porcaria, eles têm sua qualidade narrativa.

A série “The 39 Clues” veio para o Brasil pela Ática e a editora acabou não trazendo todo o conteúdo online que tem lá fora (e tem bastante coisa, sou cadastrado no site americano e de vez em quando recebo alguma novidade de jogo). Já “Infinity Ring” está vindo pela Seguinte, que já até colocou o site no ar com o jogo relacionado ao primeiro livro, “Um Motim no Tempo”. Para jogar, clique aqui.


Gostei, mas qual é a história?

...é esse Anel do Infinito
No universo de “Infinity Ring”, o mundo está perto do colapso e cada vez mais desastres naturais acontecem. Isso tudo foi causado por causa das Fraturas, falhas e desvios na linha do tempo que causam grandes consequências. Há uma espécie de organização, os Guardiões da História, que tentam identificar quais eventos da história da humanidade podem ser considerados Fraturas e devem ser consertados. Mas também há a SQ, uma organização que meio que controla a população e não gosta muito da ideia de consertar os eventos históricos.

Ok, os Guardiões da História são responsáveis por consertar as Fraturas, mas... eles não podem fazer isso pelo simples fato que ainda não foi descoberta uma forma de viajar no tempo. É aí que entram os protagonistas da história, Sera e Dak. Os dois são melhores amigos e ambos são gênios, mas cada um em uma área. Enquanto Dak sabe tudo sobre história, Sera é aficionada por ciências.

Os pais de Dak têm um mega laboratório em sua casa e, num belo dia, Dak e Sera (mas que nomes, hein?) entram nesse laboratório e descobrem um artefato que pode salvar a humanidade: o Anel do Infinito, a primeira máquina do tempo criada.

A partir daí os fatos se desenrolam e Dak e Sera, junto com Riq, um jovem Guardião da História, devem viajar no tempo para consertar os erros da história e salvar o mundo em que vivem.


Eu tenho X anos, será que vou gostar?

Como eu disse mais acima, o público alvo é mais jovem, algo em torno de 8-12 anos. Mas isso acaba não valendo muito, porque eu tenho 15 anos e estou adorando o primeiro volume. Ele é bem escrito e divertido, é uma leitura que está valendo a pena. Acredito que não importa a sua idade, vai ser uma leitura interessante e boa para passar o tempo.

E não podia ser diferente, porque o tema é viagens no tempo e, ei, viagem do tempo é a coisa mais fantástica que existe! Acho que todo mundo que curte Doctor Who* vai gostar e ia ser mega fã de Infinity Ring se tivesse lido quando eram mais novos.
*mas vamos lembrar que as viagens no tempo são diferentes e as histórias em si também são diferentes, a semelhança é o uso da viagem no tempo para salvar o mundo (ou o Universo, no caso de DW).




E quem são os autores?

Esses são os autores \o/
Particularmente, eu não tinha lido livros de nenhum deles, mas obviamente já os conhecia e é provável que vocês também. E se alguém achava que eram apenas autores de livros infanto-juvenis, todos (ou quase todos) eles escrevem livros Young Adult.

O primeiro autor é o James Dashner. Ele escreveu a trilogia Maze Runner, que a Dana falou sobre aqui e a Igra resenhou aqui. Além de começar a série, ele vai termina-la, o que eu achei bem legal.

O segundo livro é da Carrie Ryan, autora da trilogia “A Floresta de Mãos e Dentes” (Underworld). A série continua com a Lisa McMann, autora da trilogia “Wake” (Novo Século) e também de outros livros que ainda não saíram no Brasil. Os autores do quarto e do quinto livro, Matt de la Peña e Matthew J. Kirby, não foram publicados aqui, mas são conhecidos nos EUA. Por fim, a sexta autora é a Jennifer A. Nielsen, autora da trilogia iniciada por “O Falso Príncipe” (Verus).


7 livros? Nossa, vai demorar séculos para acabar!

Sim, a série é grande, mas nem vai parecer tanto! Os livros são muito curtos (para ter ideia, o primeiro tem 248 páginas e é daquele formato menor) e as datas de lançamento são muito próximas. “Um Motim no Tempo”, o primeiro da série, lança oficialmente no dia 4 de abril, enquanto os segundo e o terceiro saem em julho e novembro, respectivamente.

E os outros quatro livros não ficam muito distantes, todos vão lançar em 2014. A previsão é que os meses de lançamento sejam fevereiro, abril, julho e outubro. Então, não há desculpa de não ler porque vai ser mais uma série infinita*, né?
*de infinito já basta o anel –n

---

Por hoje é isso! Vocês gostaram da ideia da série? Ficaram com vontade de ler? Compartilhem com a gente. Ah, eu já estou lendo o primeiro e a resenha vai sair perto do lançamento! :D

- paulo v. santana

TAGS: , , , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

2 comentários

  1. Oi, tudo bem?
    Eu estou apaixonada pela ideia de ler Infinity Ring, tenho 20 anos mas eu adoro livro infantojuvenil e acredito que adorarei essa nova série.
    Quando o selo Seguinte foi inaugurado ano passado, durante a Bienal, as responsáveis pelo selo comentaram que não iriam demorar muito para lançar os títulos, ainda bem porque, né, editora que enrola para publicar ninguém merece :X
    O time de autores parece ser mesmo ótimo, já li Wake da Lisa, preciso finalizar a trilogia, os outros não conhecia, com exceção do Dashner.
    Enfim, espero gostar =D

    Beigos,
    mauraparvatis.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maura!

      Infanto-juvenil é amor. <3

      Eu gosto muito de livros assim porque os autores parecem ser mais sinceros, sabe? Não sei explicar direito, mas eu tenho um carinho enorme por literatura infanto-juvenil, mesmo que não leia muito.

      - Paulo Vaughan

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM