caixa carta

[Resenha] Por isso a gente acabou, de Daniel Handler

25.7.12Paulo V.

por Paulo V. Santana
- Livro: Por isso a gente acabou
- Livro Único
- Autores: Daniel Handler (romance) e Maira Kalman (ilustrações)
- Editora: Companhia das Letras
- Comprar: Submarino, Travessa, Saraiva.
Mini-crítica:
O livro é, na verdade, a carta de término de Min Green, uma garota fanática por filmes, para Ed Slaterton, o típico jogador de basquete e popular da escola. Min manda também uma caixa com diversos objetos que marcaram o relacionamento dos dois e ela fala sobre a história deles na carta. Uma história simples que foi transformada em um dos livros mais bonitos que já li pelo fantástico Daniel Handler, que, para quem não sabe, é o Lemony Snicket de "Desventuras em Série". O romance escrito por ele é acompanhado de ilustrações muito boas da Maira Kalman. Recomendação certa para quem procura um livro leve e emocionante.

Quer saber mais? Clique abaixo para conferir a resenha completa.


Escrever uma sinopse para “Por isso a gente acabou” é difícil porque eu começo a escrever e fica parecendo uma história bobinha e chata, no estilo filme para adolescentes chatinhas que repete pelo menos duas vezes por semana na TV. Enfim, a história é essa: Min Green (O Min é de Minerva, deusa romana da sabedoria, porque o pai dela estava fazendo mestrado quando ela nasceu e não adianta insistir, só a avó dela pode chama-la de Minnie. <3) é uma garota fanática por filmes e ela começa um relacionamento com o garoto popular (e jogador de basquete) da escola, Ed Slaterton. Os dois são muito diferentes, tem grupos de amigos completamente opostos, vivem em mundos contrários. Esse relacionamento, porém, acabou e a Min escreveu uma carta de término com os motivos pelos quais eles terminaram e mandou-a junto com uma caixa cheia de objetos comuns que marcaram o relacionamento dos dois (e que são a ponte para que a Min escreva histórias que aconteceram durante o namoro). E, bem, essa carta de término é o livro.

Essa é a premissa do livro. Uma história simples que nas mãos do fantástico Daniel Handler virou uma história incrível. Como isso fosse pouco, temos também as ilustrações Maira Kalman. Ela é uma ilustradora e escritora muito boa e em PIAGA* a cada capítulo, que é quando a Min fala sobre um objeto, temos a ilustração do objeto. Isso caiu bem no livro e foi mais um colorido (literalmente) para a história.
*sigla do livro

Mesmo livro sendo narrado em primeira pessoa pela Min, todos os personagens foram bem construídos e desenvolvidos ao longo do livro, desde ela mesma (quando ela se descreve no fim do livro é fantástico) até o Al, o melhor amigo dela. Falando no Al, tenho que acrescentar que ele é um personagem muito legal e gostei muito do Handler não ter deixado ele de lado. 

Não posso deixar de comentar sobre o Ed. Ele é aquele esteriótipo de co-capitão do time de basquete da escola que vemos em filme, mas uma sacada bem legal do Handler foi mostrar que ele não é só isso. Eu (e acredito que bastante gente também) tive sentimentos divididos quanto a ele. O que chega a ser engraçado porque tinham momentos do livro que eu o achava o cara mais babaca do mundo e não para de me perguntar o que diabos a Min estava fazendo com ele, entretanto em outros momentos eu tinha a certeza de que eles tinham sido feitos um para o outro. 

Como disse antes, a Min é fanática por filmes. Mas fanática MESMO, daquelas que relaciona tudo o que acontece na vida dela a um filme que ela já assistiu. Portanto, ao longo do livro são mencionados vários títulos de filmes e o mais legal de tudo isso é que eles saíram da cabeça do Daniel Handler. Até mesmo os atores mencionados e o cantor Hawk Davies* são frutos da mente brilhante do autor. E uma coisa engraçada é que nem todo mundo sabia ou percebeu que eles eram fictícios e ficaram procurando no google, hahaha.
* Uma das músicas dele, inclusive, é a frase que a Min escreveu na tampa da caixa que ela envia pro Ed, “You either have the feeling or you don’t” (Ou você tem o sentimento ou não tem).

Outra coisa para ser comentada é a voz da Min. Muitas pessoas falaram que ela não soava como uma adolescente de 16 anos, que estava mais para uma mulher de trinta e poucos anos, etc. Para mim isso tudo é o maior besteirol. Sério, primeiro (que também podia ser o único motivo) porque não existe essa coisa de “voz de adolescente” (tipo, tenho 14 anos e não venham me dizer que todos os adolescentes são iguais porque não são!) e segundo porque a Min é realista sim, eu mesmo conheço pessoas assim (não necessariamente com filmes).

Eu li o livro em português, na edição da Cia. Das Letras e tenho que parabenizar a editora porque eles fizeram um trabalho ótimo. O trabalho gráfico do livro está muito bonito e a tradução, como sempre, está boa. E como vocês já devem ter percebido, eles fizeram uma versão de capa diferente da original, pegando uma das ilustrações do livro e achei isso muito legal. Mas o maior acerto deles foi que eles pediram para a Maira escrever o título em português para que ele também ficasse com a letra dela, legal, né? Ah, vi também algumas pessoas reclamando que o livro é um pouquinho mais caro, mas acho-o justo porque o papel do livro é mais grosso por causa das ilustrações (e até a impressão delas deve ter encarecido o livro porque são coloridas e tal).

Enfim, “Por isso a gente acabou” é um livro muito lindo e leva 4 conversinhas. Eu amei o livro e tudo mais, porém, para mim, ele não foi tão tocante (até porque nunca passei por nada parecido) e especial a ponto de levar 5 conversinhas.

Sobre o filme:
Os direitos do livro foram comprados e pelo visto o projeto já está bem adiantado. Por hora as informações que temos são que a Beth McCarthy-Miller vai ser a diretora, o roteiro vai ser escrito pelo próprio Daniel Handler e que a Hailee Steinfeld vai ser a Min Green. A Bell do Nem Um Pouco Épico comentou na resenha dela que o Chris Evans em “Não é mais um besteirol americano” era o Ed Slaterton perfeito e eu concordo, pena que ele não tem mais 20 anos, haha.

Extra:
O Daniel Handler fez um site (na verdade, um tumblr), o The Why We Broke Project, muito legal onde as pessoas podem enviar e compartilhar as suas próprias histórias de término. E nele você não encontra só histórias de gente “comum”, temos também histórias de término de autores famosos, inclusive do Neil Gaiman e da Holly Black.

Classificação:
(4/5 conversinhas)


Nota: Semana passada recebemos a notícia de que agora somos parceiros da Companhia das Letras. Gostaríamos de agradecer à editora pela confiança em nós depositada e também aos leitores que tornaram isso possível. :D

Até a próxima!

TAGS: , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

7 comentários

  1. Interessantes, a resenha e o livro. Pelo que você disse, parece que a história foi contada de forma bem diferente e agradável. Estou curioso pelo livro, vou adicionar na lista dos que preciso ler (:
    E parabéns pela parceria! A Companhia das Letras é uma editora incrível e vocês do CC merecem esse reconhecimento.

    Abraços \o/

    Abraços :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é muito lindinho, leia mesmo! ;)

      Obrigado pelo comentário e abraços. o/

      - Paulo

      Excluir
  2. (Ignorem o abraços duas vezes, nem vi kldfhklfhj)

    ResponderExcluir
  3. Desde que vi PIAGA pela primeira vez, me apaixonei. Sério, que capa mais linda! Sou louca para lê-lo, mas por causa do preço, ele sempre é deixado por outras prioridades mais em conta. Já li o primeiro capítulo do livro online e só fiquei com mais vontade de ler. Parece ser uma história bonita e bem real.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu AMO essa capa e a capa original é ainda mais bonita. O preço é meio alto mesmo, mas pela qualidade do produto vale super a pena.

      Obrigado pelo comentário! :D

      - Paulo

      Excluir
  4. Já tive o prazer de ler este livro. Acredito que a personagem Min, ao longo da carta que escreve, amadurece seus sentimentos em relação ao se ex-namorado e vai, pouco a pouco, entendendo que tenha sido melhor o fim do namoro.
    Eu só fiquei curiosa e desapontada no momento em que terminou o livro e a personagem não conta se ficou ou não com o Al. Por outro lado, mudaria o foco da ideia original.
    A leitura, como vocês disseram, é bem simples e fluente. Nada de exageros ou detalhista ao extremo. E a capa, em formato de bilhete, ficou demais, visto que já mostra uma ideia do que podemos encontrar ao longo do livro.
    Livro recomendado.

    ResponderExcluir
  5. Esse livro está no topo da minha lista de prioridades para comprar. Desde que eu o vi em uma caixa de correio de um blog eu me apaixonei. Pela resenha o livro tem tudo para ser um dos meus favoritos. Eu achei a capa linda e quando vi as ilustrações eu cheguei à conclusão de que necessitooo desse livro.
    Amei isso de que o autor inventou alguns dos filmes que fala no livro, eu com certeza iria ficar procurando igual louca no google depois, valeu pelo aviso kkk. O que me impediu até agora de comprar foi o preço, porque vontade não me falta.
    Quero comprar esse livro antes de lançarem o filme, porque depois aposto que vão tirar essa capa linda para colocar a do filme, odeio quando fazem isso!
    Mês que vem tem que chegar logo para eu comprar essa belezura de livro *-*

    Abraços :)

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM